10 de nov de 2016

Salão Internacional do Automóvel de São Paulo 2016

Salão Internacional do Automóvel de São Paulo 2016

São Paulo/SP – 2015 foi um ano bem ruim para a indústria automotiva brasileira. Houve um recuo de 25% nas vendas de automóveis e comerciais leves em relação a 2014 e foi o terceiro ano seguido de retração nas vendas. Mas aí veio 2016 e mostrou que a coisa poderia ficar pior. Nos primeiros dez meses desse ano, queda de 22% nas vendas em relação a 2015. Nesse clima depressivo, era de se esperar que o Salão Internacional do Automóvel de São Paulo 2016 - que acontece de 10 a 20 de novembro - refletisse um certo baixo astral. Mas tirando uma lamúria ou outra, o clima é de otimismo. Mesmo as marcas que não têm novos produtos para apresentar, por causa dos tempos bicudos por aqui, aproveitaram para mostrar modelos vendidos no exterior ou conceitos. O esforço para ostentar vigor, mesmo depois de tanto tempo de vendas retraídas, define o espírito da edição desse ano do motorshow paulistano, que estreou sua nova sede - deixou o Pavilhão de Exposições do Anhembi e acontece no São Paulo Expo, na capital paulista.

As quatro marcas que atuam há mais tempo no mercado brasileiro expressam bem a proposta de injetar algum otimismo nesses tempos de crise. Líder de vendas em 2015 e se mantendo na posição em 2016, a General Motors não se economizou. Apresentou o recém lançado Chevrolet Camaro e fez a pré-estreia dos renovados Cruze Sport6 e Tracker, que chegam às concessionárias da marca nos próximos meses. Já a Fiat, segunda colocada no ranking nacional de vendas, apostou em uma sofisticada versão BlackJack da picape Toro e no Mobi Drive, uma versão do subcompacto com o novo motor 1.0 de 3 cilindros Firefly e câmbio automatizado Dualogic. A Volkswagen optou por valorizar três conceitos: a van elétrica Budd-e, o SUV compacto conversível T-Cross Breeze -  que deve originar uma nova linha de utilitários esportivos da marca em 2017 - e o compacto Gol GT, uma versão esportiva do compacto desenvolvida no Brasil. Sem grandes novidades para apresentar, a Ford trouxe dois esportivos de peso para instigar o público, mesmo sem planos imediatos de vendê-los por aqui. Com seus designs arrojados, Mustang e GT cumpriram a função de atrair a atenção.

Entre os chamados "newcommers" - marcas que chegaram ao Brasil na última década do século passado -, as japonesas são as que estão atravessando melhor a atual retração do mercado nacional. A Toyota, além da recém-lançada nova geração do elétrico Prius, exibiu o conceito C-HR. Já a Honda valorizou o evento com um lançamento mundial: o WRV, o utilitário esportivo compacto, construído sobre a plataforma do Fit, que será produzido no Brasil em 2017. A Nissan mostrou uma nova versão do SUV Kicks e a nova geração da picape Frontier. Renault, Hyundai, Jeep e Peugeot seguiram a trilha da Nissan - e do mercado brasileiro.  Ou seja, investiram nos utilitários esportivos.  A Renault trouxe logo três: Kwid, Captur e Koleos, que serão vendidos no Brasil em 2017. A Hyundai, além do novo Tucson, apresentou o SUV compacto Creta. A Jeep destacou a nova versão Limited do seu "best seller" Renegade. A Peugeot desembarca por aqui o 3008, enquanto a Citroën mostrou o New C4 Picasso em carroceria de cinco e sete lugares. Maserati, Audi, Land Rover, Jaguar, Subaru, Chery, Suzuki e Mitsubishi também apostam nos SUVs. Nessa cadência, pelo que foi possível perceber no Salão de São Paulo de 2016, em breve o Brasil será o país com a maior variedade de utilitários esportivos disponíveis no mundo. 

Veja os principais destaques do Salão de São Paulo 2016

Chevrolet Cruze Sport6 – A nova geração do hatch médio traz visual bem mais moderno que o anterior e o mesmo conjunto propulsor de sua versão sedã, já à venda no Brasil. O visual reforça a ideia de esportividade, principalmente pela grade exclusiva inspirada na configuração RS do mercado estadunidense. O motor é sempre 1.4 turboflex com injeção direta de 150/153 cv e 24,5 kgfm de torque, ligado ao câmbio automático de seis marchas.

Fiat Mobi Drive – Quando lançou o subcompacto, ainda este ano, a Fiat jurou que não adotaria tão cedo o novo motor 1.0 de três cilindros no modelo. Mas mudou de ideia. O “carrinho” é um dos destaques da marca em nova versão Drive, com o propulsor 1.0 Firefly que estreou no Uno em setembro. O trem de força de 77 cv de potência e torque de 10,9 kgfm será exclusivo da configuração. Outro item que só fica presente nesta variante é a direção elétrica e, futuramente, câmbio automatizado.

Volkswagen T-Cross Breeze – O utilitário conversível traz motor 1.0 turbo e deverá servir de base para a construção de um SUV compacto para concorrer com modelos como o Jeep Renegade, o Honda HR-V e o Hyundai Creta, entre outros. A variante final será fabricada no Brasil sobre a plataforma MQB, a mesma do Golf.

Ford GT – O superesportivo tem produção limitada a 500 exemplares e suas vendas no Brasil ainda não têm uma data prevista. A carroceria leva vários componentes de fibra de carbono e alumínio e o motor é um V6 turbo 3.5 litros de 600 cv. A nova geração do carro, mostrada em janeiro de 2015, no Salão de Detroit (EUA), foi desenvolvida para comemorar os 50 anos da primeira vitória do GT40 na tradicional 24 Horas de Le Mans.
Toyota C-HR Concept – Embora não seja a versão de produção do utilitário esportivo compacto da marca nipônica, a presença do conceito no evento deixa clara a intenção de vendê-lo por aqui. A plataforma é a modular TNGA e o conceito mede 4,36 metros de comprimento e 2,64 m de entre-eixos. Não há, no entanto, informações de qual motorização ele pode receber no Brasil.
Honda WR-V – O modelo fez sua estreia mundial em São Paulo. E sua comercialização por aqui já é confirmada para o primeiro semestre de 2017. Ele estará posicionado abaixo do HR-V e compartilha plataforma com o monovolume Fit. E tudo indica que a motorização também seja a mesma: motor 1.5 de 116 cv e transmissão continuamente variável.
Nissan Frontier – Com lançamento previsto para o primeiro trimestre de 2017, a picape está em exibição na versão cabine dupla com tração 4X4, equipada com o novo motor diesel 2.3 com duplo turbo, de 190 cv. De acordo com a marca japonesa, a estrutura está mais resistente, com chassi reforçado e quatro vezes mais durável. Entre as tecnologias de segurança presentes estão o controle automático de descida, assistente de partida em rampa, limitador de carga, sensores de estacionamento e outros.
Audi S5 Coupé – A marca alemã garantiu boa dose de esportividade com a versão apimentada de seu sedã. O design é mais agressivo que o do A5 – porém, mais condizente mesmo com seu comportamento dinâmico. O modelo se move a partir de um motor 3.0 V6 turbo de 354 cv e é capaz de partir do zero e chegar aos 100 km/h em apenas 4,7 segundos.
Hyundai Creta – Lançamento mais aguardado da marca coreana no Salão do Automóvel, o Hyundai Creta foi apresentado pela fabricante coreana com promessa de incomodar os atuais líderes do segmento de SUV compacto. Disponível em versões 1.6 e 2.0, com opções de câmbio manual de seis marchas para a versão menos potente e automático de seis marchas para as duas, o modelo traz como trunfo equipamentos que deixam a desejar em seus concorrentes, como partida por botão, luzes diurnas de leds, direção elétrica, seis airbags e controles de tração e estabilidade. As vendas se iniciam no começo de 2017 e sua produção nacional ocorrerá em Anápolis, em Goiás.
Jeep Renegade – A Jeep aproveitou a mostra para anunciar as novidades da linha 2017 do Renegade. A principal fica por conta das novidades implementadas no motor 1.8 Flex. Foram atualizados diversos componentes, como o coletor de admissão variável, a bomba de combustível e o lubrificante do sistema. O modelo passa a ser equipado com o dispositivo de Stop&Start, visando a economia de combustível. Com isso, o Jeep Renegade 1.8 Flex ficou 5% mais potente, chegando a 139 cv a 5.750 rpm com etanol. O torque máximo subiu para 19,3 kgfm a 3.750 rpm. Além disso, a variante flex passa a ter uma nova versão topo de linha, chamada de Limited, e que incorpora itens como bancos de couro, chave de presença, faróis de xenônio, sensores de faróis e de chuva, entre outros. Kia Cerato – Principal lançamento da Kia no evento, o Cerato 2017 chega com visual renovado. Além de design atualizado, com frente e traseira repaginados, o modelo passa a ser fabricado em outro país. Sai a linha de produção na Coreia do Sul e entra a da fábrica de Pesquería, no México. Com mudanças exclusivamente visuais, o modelo apresenta novo desenho na dianteira, com faróis redesenhados e novo para-choque, além de novo layout de luzes na traseira. O motor segue o 1.6 16V flex de até 128 cv e torque de 16,5 kgfm, sempre acoplado a um câmbio automático de seis marchas. Os preços começam em R$ 76.990 - R$ 3 mil a mais em relação ao anterior – e as vendas começam ainda neste mês. Land Rover Range Rover Evoque Conversível – Baseado na configuração duas portas, o Evoque conversível foi mostrado pela primeira vez no Brasil. O modelo, que recebeu reforços estruturais para compensar a perda do teto, utiliza o já conhecido motor 2.0 turbo a gasolina de 240 cv, ligado a um câmbio automático de nove marchas. Trata-se de uma série especial limitada a 45 unidades e que já estão em pré-venda. O preço é tão grande quanto o nome: R$ 292.500. O lançamento será em março de 2017. Mercedes-Benz GLC 250 – Mais nova aposta da fabricante alemã para o mercado de SUV, a versão cupê do utilitário esportivo GLC chega às lojas do país por R$ 299.900. O design é imponente e segue a linha de tentar dar aos SUVs a aparência de cupê. O modelo é 76 cm maior no comprimento do que a GLC convencional, além de ser 42 cm mais baixo e levar 95 litros a mais no porta-malas. O motor é um 2.0, que gera 211 cv de potência e 35,7 kgfm de torque, combinado a uma transmissão automática de nove velocidades 9G-Tronic além da tração integral 4Matic. As rodas são de 20 polegadas calçadas com pneus de uso misto. Peugeot 3008 – O Peugeot 3008 finalmente assumiu a linha a SUV em sua nova geração. O modelo ganhou aparência mais esportiva e robusta. Produzido sobre a nova plataforma modular EMP2, tem 4,45 m de comprimento, 8 cm a mais em relação à geração anterior, e 6,2 cm a mais na distância entre-eixos (2,67 m). As medidas mais imponentes significam mais espaço interno e capacidade do porta-malas, que agora é de 520 litros, 90 a mais do que anteriormente. O motor é um conhecido 1.6 THP de 163 cv, que equipa parte da gama de Peugeot e Citroën no Brasil. As vendas no Brasil estão previstas para o final do primeiro semestre do ano que vem. Renault Kwid e Captur – A Renault apresentou o Kwid e o Captur. Principal aposta da marca para concorrer com Honda HR-V e Jeep Renegade, o Captur já está em versão de produção. O SUV compacto terá a pré-venda iniciada nesta semana, com entregas previstas para fevereiro de 2017. O modelo usa a mesma base do Duster, mas tem visual mais descolado. No interior, o destaque fica para o painel do Clio europeu. Serão duas opções de motor: O 1.6 de 120 cv, com câmbio manual de cinco marchas ou CVT ou 2.0 de 148 cv. Todos terão rodas de liga leve aro 17, ESP e hill-holder. Os preços variam de R$ 80 mil a R$ 95 mil. Já o compacto Kwid promete chegar no primeiro semestre de 2017. O modelo foi apresentado pela marca francesa em uma versão conceito, chamada de outsider. Com produção confirmada na planta de São José dos Pinhais, no Paraná, o modelo chamou atenção pelo visual aventureiro, repleto de apliques plásticos e suspensão elevada. A motorização será a mesma do Sandero e Logan de três cilindros e 82 cv.
Autor: Luiz Humberto Monteiro Pereira (Auto Press)
Fotos: Luiz Humberto Monteiro Pereira/CZN

Sem crise de criatividade - Em um ano de forte recessão nas vendas de veículos, Salão de São Paulo 2016 serve como exibição de vigor das marcas

Fonte: Salão do Carro
Categoria: Eventos
Publicado em: 09 Nov 2016 17:30:00

Nenhum comentário:

Postar um comentário