30 de set de 2016

Volvo V40 2017 virá com motor T4 e 193 cv

Volvo V40 2017 virá com motor T4 e 193 cv

Novidades são algo que realmente não faltam no setor automobilístico, que nunca decepciona quem deseja ver algo novo no mercado. Afinal de contas, todos os anos há lançamentos por partes de marcas do mundo inteiro, que lançam novos motores, reestilizações e até mesmo novos modelos que deixam os apaixonados por carros completamente loucos. E a última novidade fica por conta da Volvo, que vai trazer o seu V40 reestilizado aqui para o Brasil, que chega com poucas mudanças no visual, mas aparece sem uma opção de motor antiga e outra nova sob o capô. É exatamente para que você saiba todos os detalhes sobre a novidade da marca no Brasil é que nós trouxemos aqui uma série de informações sobre o assunto.

Descubra o novo Volvo V40

Apresentado pela primeira vez em março, no Salão de Genebra, a linha 2017 do Volvo V40 acaba de chegar em terras brasileiras e já está a venda aqui no país. A novidade passou por uma leve remodelação e conta com alguns detalhes que fazem a diferença em sua nova linha. O carro da marca sueca tem como detalhes mais marcantes de sua discreta renovação visual os novos faróis com DRLs de LED integrados, que marca a assinatura visual nova adotada pela Volvo, que foi batizada de "martelo de Thor", visual este que já pode ser encontrado em outro veículo da marca, o SUV XC90. Além disso, outra discreta mudança no V40 fica no para-choque, que sofreu leves alterações. Sem dúvida alguma, a maior diferença entre a linha 2017 e a anterior fica escondida sob o capô. Isso porque, para a linha 2017, o V40 não conta mais com a opção de motor T3, propulsor 1.5 quatro cilindros que entregava 152 cv e equipava a versão de entrada do veículo por R$ 100 mil, um custo benefício bastante interessante para o que era entregue.

Agora, a versão de entrada – a Kinetic - já chega equipada com o motor T4, um propulsor 2.0 de quatro cilindros que é capaz de entregar até 193 cv de potência e torque máximo de 30,6 kgfm entre 1.300 e 4.000 rpm. Para acompanhar o novo motor está a transmissão automatica de seis velocidades, conjunto este que torna possível o V40 acelerar de 0 a 100 km/h em apenas 6,9 segundos. Para efeito de comparação, o motor antigo, o T3, acelerava de 0 a 100 km/h em 9,2 segundos, um tempo consideravelmente maior. Com um motor mais potente e um carro mais rápido, a versão de entrada 2017 do V40 chega também mais cara. Isso porque agora o preço de partida do hatch da Volvo é de R$ 129.990. Na versão de entrada, a Kinetic, o V40 conta com itens de série como ar-condicionado digital dual zone, bancos de couro com novas opções de cores, central multimídia com DVD, On Call – sistema de monitoramento que serve para prestar assistência em situações de emergência -, sete airbags e também faróis com LEDs, xênon e acendimento automático.
Para acompanhar o novo motor está a transmissão automática de 6 velocidades, conjunto este que torna possível o V40 acelerar de 0 a 100 km/h em 6,9s.

Fonte: Salão do Carro
Categoria: Prévias

Inédito: BMW divulga primeiros detalhes do X2

Inédito: BMW divulga primeiros detalhes do X2

Empresas automobilísticas estão aumentando cada vez mais o campo de novidades presentes em novos modelos. E a BMW divulgou seu teaser para o sexto utilitário esportivo, o X2. Será demonstrado aos visitantes no Salão do Automóvel em Paris, de acordo com a imprensa suas características estão semelhante à versão de produção. Comparando o X1 ao X2, percebemos que utilizam a mesma plataforma, alterando apenas o estilo. No entanto, a versão atual conta com um visual mais esportivo, portando faróis finos e também, muito provavelmente irá contar com o modelo de raques por cima e teto mais baixos. A plataforma concedida ao X2, chamada UKL, contará com tração dianteira, mas oferece versões de tração integral.

2017



Com lançamento previsto para segundo semestre de 2017, o novo crossover será uma das maiores novidades do ano. Em procedimentos de finalização dos primeiros protótipos, fontes afirmam sobre um estilo de automóvel mais esportivo e medindo características que a marca fez com maiores X4 e X6. Sendo um mediador dos modelos X1 e X3, o modelo não ira fugir muito do patamar produzido pelo X1. Muito provável que o X2 possua motor a gasolina e diesel com 3 e 4 cilindros, tendo opção de tração dianteira ou integral. Em situações nacionais, muito provável que no Brasil será usado 2.0 turbo com potencias entre 184 cv e 245 cv, mesmo o 1.5 turbo de 136 cv aderido pelo mini seja previsto. O modelo novo da BMW trará uma grande novidade, pois será constituído pelo lançamento de duas versões, contendo três e cinco portas, visando garantir maior versatilidade e opções ao comprador. O X2 pretende alcançar um publico jovial e ira disputar concorrência com o Audi Q3, aguardamos mais detalhes no Salão de Genebra ano que vem.

Versão Híbrida

Uma opção considerada pela marca alemã é lançar uma versão híbrida do veículo, com 2996 cv, mas apenas uma cogitação.

O visual esta previsto na base dos modelos X4 e X6 como referência, agregando um design rico e inovador para ser lançado nos modelos da linha BMW X de SUVs.

Nomenclatura X

As linhas SUVs e BMW receberam a nomenclatura X, pelo motivo de uma renovação de modelos. A marca alemã atua muito bem com suas metas nas vendas de automóveis esportivos, produzindo linhas muito bem trabalhadas e que chamam atenção do consumidor, um exemplo é o conceito demonstrado no modelo X4. Atualmente sem previsões de valores e vendas no Brasil, sendo assim, criando muitas expectativas. Entretanto, só nos resta aguardar mais detalhes sobre todos os modelos X que tem possibilidades de serem divulgados nos meses finais de 2016.
A plataforma concedida ao X2, chamada UKL, contará com tração dianteira, mas oferece versões de tração integral.

Fonte: Salão do Carro
Categoria: Prévias

Fique ligado: você presta atenção na marca do estepe?

Fique ligado: você presta atenção na marca do estepe?



Leitor da coluna comprou um Honda Fit zero km e, meses depois, descobriu que o pneu sobressalente era diferente dos outros quatro. O estepe era Firestone, os outros eram Michelin. Ele estranhou, pois existe a recomendação de não se colocar num mesmo eixo pneu de uma marca de um lado, de outra marca no outro. Pois o comportamento de cada um no momento de uma freada ou curva pode ser completamente diferente. Um perigo, pois o motorista pode até perder o controle do carro, rodar na pista ou sair da estrada. Porque o sobressalente de outra marca? Provavelmente a fábrica ficou com o estoque baixo de pneus e destiná-los exclusivamente para as quatro rodas, sem colocar o estepe. Evita assim paralisar a linha de montagem. O carros sem sobressalente são levados ao pátio e aguardam chegar uma nova remessa de pneus. Pode entretanto ocorrer de o próximo lote a chegar na fábrica ser de um outro fornecedor. Mesmo assim, são colocados como estepe, embora a própria empresa não recomende o uso de pneus de marcas distintas pelos problemas de segurança que esta medida pode gerar. O leitor pergunta o que fazer. E a resposta é ir à concessionária e exigir a imediata substituição do estepe, por outro de mesma marca que os outros quatro. Esta recomendação não vale no caso de o carro ter pneu emergencial como estepe. Aqueles pequenos para serem usados apenas até chegar no borracheiro para reparar o que furou. Neste caso, tanto faz a marca ser igual ou não...   Vale a pena lembrar que esta não é única “estripulia” da fábrica em relação aos pneus. Ao receber um carro zero km na concessionária, o dono tem que ficar atento aos pneus. Pois, por motivo de custo, a fábrica pode ter instalado pneus de muito boa qualidade, porem de marca relativamente desconhecida no nosso mercado. Como algumas asiáticas: japonesa, coreana ou chinesa, ainda sem uma razoável rede de lojas no Brasil. Se um dia um pneu se estraga ao passar num buraco, por exemplo, e precisa ser substituído, o dono do carro vai ficar em apuros para encontrar outro igual. E, se encontra (às vezes a concessionária o tem em estoque), vai pagar uma “nota preta”.

Fonte: R7

Kia Soul 2017 recebe novo motor com 201 cv

Kia Soul 2017 recebe novo motor com 201 cv

Uma grande novidade está prestes a ser apresentada em Paris, inicia-se no próximo dia 29, o inovado Kia Soul 2017 teve suas primeiras impressões reveladas. O maior destaque foi o visual autêntico e bem apresentável, além do reajuste interno e o conjunto mecânico composto por um motor 1.6 turbo e câmbio de dupla embreagem. Kia confirmou que aceleração de 0 a 100km/h acontece em 7,5 segundos e a velocidade máxima é de 196 km/h, obtendo três escolhas de condução (Normal, Eco e Sport). A cabine interna recebeu apliques metálicos em preto brilhante e sistema de multimídia com tela de 5, 7 ou 8 sensível ao toque e possuindo dispositivo Apple CarPlay/Android Auto. Disponível a câmera traseira, porta USB, sensor de chuva, monitor de pontos cegos e alerta de trafego traseiro.

Tecnologia

O investimento para elaborar um automóvel único e eficaz como Kia Soul, contou com a aliada tecnologia, no entanto, possui um revestimento melhorado tanto internamente como externamente. Em relação ao visual, surge com apontamentos vermelhos nos pára-choques dianteiros e nas saias laterais, conta com saídas de escape duplas e jantes de18 com 10 raios. Internamente, a combinação de cores mais chamativas, exibindo o preto e laranja a transparecer um ambiente mais jovial e irreverente. A principal novidade está relacionada a seu motor 1.6 litro T-GDI (turbo de injeção direta de gasolina), idêntico ao usado no cee’d GT, se resumindo em 204 cv, a 6.000 rpm e 27 kgfm de torque, a 1.750 rpm, associado repassagem autorizada com sete marchas e dupla embreagem. Para conter todo esse ímpeto do novo modelo, a Kia adicionou eficientes discos de freios com 17” nas rodas dianteiras, alternando a seleção e o modo de condução.

No Brasil

Devido a alta procura pela Autoo, a Kia informou que não possui previsão para oferecer o Soul 1.6 no Brasil, primeiramente porque o propulsor precisaria ser convertido para flex, necessitando de tempo e alto investimento. O Facelift e suas modernidades no interior estarão apresentados no Salão de São Paulo em novembro deste ano. O Soul 2017 tem bancos com regulagem elétrica para motorista e também para o passageiro, sensor de chuva possuindo nas versões mais caras, em termos de investimento, equipada com o motor 1.6 T-GDI. Aderindo também um detector de pontos cegos no retrovisor e alerta de tráfego cruzado.

Conclusão

Por fim, esse novo modelo Soul 2017 produzido pela Kia, será um exemplo de modernidade e eficiência, pois alem de conter um revestimento aprimorado, possui um motor extremamente potente. Seus investimentos foram o principio do sucesso, repassando a mensagem de que um grande investimento abrange um imenso retorno futuramente.
Kia confirmou que aceleração de 0 a 100km/h acontece em 7,5 segundos e a velocidade máxima é de 196 km/h.

Fonte: Salão do Carro
Categoria: Prévias

Motor 2.0 será utilizado em Land Rover Discovery

Motor 2.0 será utilizado em Land Rover Discovery

Quem gosta de SUVs com certeza já pensou em ter uma Land Rover, é um 4X4 que faz jus a função de Off-Road. A nova versão do carro será lançada no Salão de Paris, entre os dias 1 e 17 de outubro desse ano. Essa nova geração vai deixar de lado o atual propulsor de motor V6 a diesel para utilizar o mesmo bloco que compõe os modelos Discovery Sport e Range Rover Sport e Evoque, além do jaguar XE, XF e F-Pace. Estamos falando do novo motor 2.0 litros turbodiesel de quatro cilindros da família Ingenium, que provavelmente ficará disponível nos Estado Unidos e na China. Embora não seja uma informação oficial liberada pela fabricante, tudo indica que a mudança tem como objetivo tornar a Land Rover mais econômica em termos de consumo de combustível, além de diminuir a emissão de poluentes.

Provável motor

Os rumores indicam que a versão do motor Ingenium que será utilizada no novo Discovery, vai oferecer cerca de 180 cv e 45 kgfm de torque, associado a uma transmissão automática de nove marchas, além da tração nas quatro rodas.

Land Rover Discovery Sport já é produzida no Brasil

Enquanto o modelo da Discovery 2017 ainda não está disponível, quem quer uma Land Rover pode escolher o modelo Discovery Sport que já está sendo produzida na fábrica de Itatiaia no Rio de Janeiro. Esse modelo nacional está disponível em três versões, SE, HSE e HSE Luxury. Nas três versões o motor é 2.0 de 240 cv a gasolina, com câmbio automático de nove marchas. Outro modelo que é fabricado no Brasil e está sendo muito vendido é a Land Rover Evoque.

Land Rover Evoque



Esse SUV é um cinco estrelas que, mesmo sendo um carro luxuoso, está se destacando na questão de custo-benefício. Nós podemos justificar isso pelo fato dele ser vendido com o preço muito parecido com o do Discovery Sport. O carro produzido na cidade maravilhosa, mantem o requinte e estilo com pontos mais fortes, melhorando ainda mais com o novo redesenho. Faróis e lanternas possuem contornos de LED, o que deixa a impressão de um carro mais esportivo. Quem está sempre de olho em economizar combustível, o motor turbodiesel chega a 100 km/h em 10,6 s, ante os 8,4 s do 2.0 a gasolina, mas oferece 14,2 km/l de consumo médio, uma boa diferença em termos de economia.

Equipamentos que trazem conforto para o Evoque

Se você optou por adquirir um Evoque, você pode ter certeza de que vai encontrar boas opções para deixar o seu SUV ainda mais confortável. São oferecidos quatro pacotes de equipamentos, que podem ser combinados de acordo com a versão o Evoque que você escolheu. Você vai encontrar entre esses itens: estacionamento autônomo em vagas paralelas e perpendiculares, frenagem autônoma de emergência, alerta de mudança de faixa involuntária, sistema de entretenimento com visão dupla, faróis adaptativos, câmera com visão 360 graus, head-up display e TV digital.
A nova versão do carro será lançada no Salão de Paris, entre os dias 1 e 17 de outubro desse ano.

Fonte: Salão do Carro
Categoria: Prévias

29 de set de 2016

BMW e Puma criam tênis moderno e com materiais diferentes

BMW e Puma criam tênis moderno e com materiais diferentes

Conteúdo em Vídeo
A BMW e a Puma criaram uma parceria com o objetivo de lançar um modelo de tênis que se utiliza de materiais encontrados no processo de fabricação de carros. O modelo foi batizado de X-Cat Disc, e já está sendo vendido pela internet, por um preço médio de  US$ 135 (aproximadamente R$ 437).

O tênis traz algumas novidades interessantes. Ao invés do tradicional cadarço, por exemplo, o modelo conta um disco giratório. A cor escolhida para o lançamento foi o cinca metálico, levando a assinatura de designers das duas empresas envolvidas.
Calçado futurista usa componentes que podem ser encontrados em veículos.

Fonte: Salão do Carro
Categoria: Vídeos

Bem Collins ensina técnicas de pilotagem com Ford Focus RS

Bem Collins ensina técnicas de pilotagem com Ford Focus RS

Conteúdo em Vídeo
A Ford divulgou um vídeo nas suas redes sociais com a lenda do automobilismo mundial, Bem Collins, ensinando técnicas de pilotagem no Focus RS. Dentre as manobras que o piloto faz está o famoso drift, que acaba tendo um grande impacto especialmente para quem está vendo de fora. O piloto também aproveita para passar algumas dicas para os motoristas do dia a dia.

O vídeo mostra a aula do piloto começando pelo mais básico para realizar manobras como esta, inclusive com ele explicando o que é necessário para que o carro e o piloto realmente consigam fazer algo do gênero. Ele também fala das diversas possibilidades técnicas existentes para se fazer um Drift, tais como usar o freio de mão ou a embreagem, ou jogar o carro de lado e reduzir a marcha acelerando forte.
Collins já participou de diversas provas e atuou como dublê de James Bond.

Fonte: Salão do Carro
Categoria: Vídeos

Discovery Sport ganha nacionalidade brasileira por R$ 217.696

Discovery Sport ganha nacionalidade brasileira por R$ 217.696



Campeão de vendas da Land Rover mundo afora e importado mais vendido no Brasil em agosto, o Land Rover Discovery Sport agora é produzido no Brasil ao lado do irmão Range Rover Evoque. Os preços em relação ao modelo importado não foram alterados: de R$ 217.696 a R$ 272.596. - Siga o AUTOPOLIS no Facebook- […] The post Discovery Sport ganha nacionalidade brasileira por R$ 217.696 appeared first on Autopolis Portal.

Fonte: R7

IAA 2016 - Salão de Hannover

IAA 2016 - Salão de Hannover

Salões internacionais de veículos quase sempre apostam nas tendências para o futuro. E o 66º IAA Commercial Vehicles de 2016, popularmente conhecido como o Salão de Hannover e que acontece sempre nos anos pares, segue essa linha. Desde sistemas cada vez mais digitais e propulsores com emissão zero de poluentes aos já palpáveis pesados autônomos, o maior e mais importante “motorshow” de veículos comerciais mostrou que a redução do consumo, a sustentabilidade e a segurança nas estradas é um sonho cada vez mais próximo para o transporte de cargas e coletivo. Tal futuro pode ser vislumbrado a partir de 2.013 expositores de mais de 50 países, em uma área de cerca de 270 mil m², com 27 pavilhões e mais de 300 lançamentos, entre veículos, componentes e implementos.

Destaques do Salão de Hannover - IAA 2016

DAF Trucks – A marca holandesa exibiu sua gama completa de produtos e serviços, incluindo o novo sistema de gestão de frotas DAF Connect, que busca otimizar o desempenho das frotas e dos condutores e melhora a eficiência logística da operação por oferecer informações, em tempo real, sobre o desempenho dos veículos e condutores. Além disso, levou as inovações dos motores PACCAR PX-5 e PX-7, presentes nos populares caminhões de distribuição LF e CF. Com torque superior e rotações mais baixas – até 300 rpm a uma velocidade de cruzeiro de 85 km/h. Um novo software de gestão otimizada de calor e ar aumentou em até 12% o torque dos motores Paccar PX-5 de 4.5 litros e PX-7 de 6.7 litros, passando a 86,7 kgfm e e 122,4 kgfm, respectivamente.

Foton – A chinesa Foton mostrou o novo Auman EST Super Truck. O pesado recebe o motor OM 457, produzido pela Mercedes-Benz. Com 12 litros, seis cilindros e movido a diesel, ele é capaz de entregar 163,2 kgfm de torque máximo em 1.100 rpm e potência de 350 cv a 2 mil rpm. O veículo é resultado de um programa de pesquisa e desenvolvimento da Beijing Foton Daimler Automotive Co., Ltd., fundada em 2012.

Iveco – A marca italiana valorizou para valer a ideia de que o futuro “é logo ali”. No conceito Z Truck, as emissões zero são conseguidas com o uso do gás natural liquefeito e de biometano junto com a recuperação da energia térmica dos gases de escape. E promete uma autonomia que pode chegar a 2.200 km. Além disso, a presença de sistemas de condução autônoma permite que o motorista atue como um operador logístico e deixe para o próprio caminhão a tarefa de conduzir durante as entregas.

Mercedes-Benz – Visões futuristas também foram o forte da Mercedes-Benz no IAA 2016. Principalmente pelo Urban eTruck, primeiro caminhão totalmente elétrico com Peso Bruto Total de até 26 toneladas. A Daimler Trucks acredita que esta tecnologia poderá ser disponibilizada ao mercado já no início da próxima década. O Urban eTruck está baseado em um caminhão pesado Mercedes-Benz de três eixos para serviços de distribuição de curta distância. Adicionalmente, os engenheiros da Daimler Trucks revisaram o conceito de propulsão: o trem de força convencional foi substituído por um novo eixo traseiro, com propulsão elétrica por motores posicionados diretamente nos cubos de rodas – solução derivada do eixo traseiro elétrico que foi desenvolvido para o ônibus híbrido Mercedes-Benz Citaro. A força é alimentada pelo conjunto de três módulos de baterias de íons de lítio. Isso resulta em uma autonomia de até 200 quilômetros, suficiente um dia de entregas típicas em distribuição urbana. Graças ao conceito integrado com os motores juntos aos cubos de rodas, as baterias são acomodadas em um local à prova de colisões, dentro do quadro do chassi.

Mitsubishi – A terceira geração do Fuso eCanter também faz sua estreia no IAA deste ano. Em 2010, o eCanter foi o primeiro caminhão leve do mundo com propulsão puramente elétrica. Agora, uma série limitada da terceira geração, de até 6 toneladas de peso bruto total, será entregue a clientes da Europa, Estados Unidos e Japão a partir de 2017. O novo eCanter é equipado com um motor elétrico de 250 cv de potência. Sua bateria tem capacidade de 70 kW por hora. Assim, dependendo da carroceria, carga e tipo de aplicação, uma autonomia de mais de 100 km é possível sem recarga com o veículo parado.

Scania – A marca sueca aproveitou o evento para apresentar sua nova geração de cabines, projetada pelos designers internos da própria fabricante. Não há elementos compartilhados com a geração atual e, de acordo com a Scania, quando todas as variantes estiverem prontas, nada menos que 24 diferentes cabines de base estarão disponíveis. Destaque especial para a linha S, com piso plano. Mas tanto esta quanto a linha R estão mais amplas, com a altura do teto aumentada em até 16 centímetros.
Volvo – Não tinha como ser diferente: a principal atração da Volvo em Hannover foi o The Iron Knight, um verdadeiro supercaminhão desenvolvido para quebrar o recorde mundial de aceleração e velocidade entre os modelos pesados. Ele tem motor central-traseiro turbodiesel de seis cilindros e 12.8 litros de capacidade, feito com base nos propulsores que equipam a linha FH da marca sueca. Modificações como um intercooler mais eficiente, quatro turbocompressores, reprogramação de software e materiais leves para reduzir o peso do bloco garantiram uma ficha técnica avassaladora. São 2.433 cv de potência e estrondosos 611,8 kgfm de torque máximo. O sistema trabalha em conjunto com uma transmissão automatizada de dupla embreagem de 16 marchas – 12 à frente e quatro a ré –, que foi reforçada para aguentar a enorme quantidade de torque extra. O resultado é que ele é capaz de partir do zero e andar um quilômetro de distância em apenas 21,29 segundos.
Volkswagen – A MAN Latin America, fabricante mundial da marca Volkswagen Caminhões e Ônibus, comemorou em Hannover seu 35º aniversário e os 20 anos de sua fábrica brasileira exibindo modelos brasileiros no IAA 2016. Além do consagrado VW Constellation 24.280, líder do mercado brasileiro há oito anos ininterruptos, que foi exposto na Alemanha equipado com kit GNV, apareceu com destaque o VW Constellation 25.420 Prime. O 8X2 celebra os dez anos de lançamento da linha Constellation, tem cabine eco-friendly com componentes plásticos feitos por meio de materiais recicláveis e é equipado com motor Cummins ISL de 9 litros, com 420 cv de potência e 188,6 kgfm de torque.

Autor: Márcio Maio (Auto Press)
Fotos: Divulgação

Cargas futuristas - Salão de Hannover de 2016 aposta em tendências futuristas e soluções sustentáveis para os veículos comerciais

Fonte: Salão do Carro
Categoria: Eventos

Impressões do Volkswagen Golf Comfortline 1.0 TSI

Impressões do Volkswagen Golf Comfortline 1.0 TSI

Conteúdo em Vídeo
Leia também:
  • Volkswagen Golf terá motor 1.0 TSI
A adoção de motores menores com turbocompressores para ganhar potência e economia de combustível – o chamado “downsizing” – tem se popularizado cada vez mais no Brasil. No segmento de hatchs médios, o próprio Golf foi o precursor da prática ao adotar o 1.4 TSI, enquanto seus concorrentes utilizavam motores maiores e aspirados. Dessa vez, o hatch da VW incorpora o motor 1.0 TSI, semelhante ao do Up, mas reajustado para render 125/116 cv com etanol/gasolina e 20,4 kgfm de torque com ambos os combustíveis. Disponibilizada apenas com câmbio manual de seis velocidades, a versão Comfortiline 1.0 TSI torna-se uma variante intermediária entre as já existentes Comfortline 1.6 MSI –  a versão de entrada da linha – e a Highline 1.4 TSI.

A mágica dos números do motor tricilíndrico com injeção direta e turbo é bem mais complexa do que parece. Para extrair 21% a mais de torque e 19% mais de potência em relação ao Up, a Volkswagen executou diversas mudanças em seus componentes. O turbo trabalha com maior pressão, totalizando 1,3 bar. Para suportar a pressão extra, foi preciso adotar uma nova carcaça, feita agora de liga de aço. O rotor da turbina também foi revisto e agora é feito de níquel e cromo. O ponto de combustão do motor foi ligeiramente atrasado, passando a render mais torque em baixas rotações. A junta de cabeçote passou a ser tripla. Além disso, as válvulas de exaustão também mudaram e passam a ser preenchidas de sódio, que dissipa melhor o calor e as velas passam a ser de irídio para melhorar a mistura ar/combustível. A maior diferença fica por conta do sistema de arrefecimento, o principal empecilho para o Up desenvolver essa potência por conta do seu limitado espaço no cofre do motor. O radiador principal e o auxiliar do Golf 1.0 TSI são 68% e 170% maiores, respectivamente, para dar conta do calor gerado pelos 125 cv.

Com inicial de R$ 74.990, a versão Comfortline 1.0 TSI é bem recheada de série. Há sete airbags, alarme, controles de estabilidade e tração, assistente de partida em rampa, bloqueio eletrônico do diferencial, central multimídia, vidros elétricos, direção elétrica, faróis de neblina, Isofix, rodas de liga aro 16” e sensores de estacionamento dianteiros e traseiros. O modelo ainda conta com quatro pacotes de opcionais. O teto solar custa R$ 4.573, enquanto o pacote Conforto (ar digital e bancos de couro) sai por R$ 4.632. O Elegance incorpora sensor de chuva, acendimento automático dos faróis, retrovisor eletrocrômico, piloto automático, volante multifunção e rodas aro 17” por R$ 3.200, enquanto o Exclusive (com os mesmos equipamentos mais central multimídia com GPS e tela de 6,5” com Android Auto e CarPlay) custa R$ 9.549. Quando completo, o Golf 1.0 TSI pode custar R$ 96.944. Vale lembrar que, enquanto um carro 1.6 paga 13% de IPI, o 1.0 tem apenas 7% de tarifação, mesmo com turbo. Não fica claro se a Volkswagen repassou esse desconto aos compradores ou se aproveitou para aumentar sua margem de lucro.

Primeiras impressões

Parado na garagem de casa ou na rua, é dificílimo diferenciar o novo Golf 1.0. Tarefa para os mais atentos, que notam a saída única no escapamento e o logo TSI apenas com a letra I em vermelho, como acontece no Up. Tirando isso, trata-se apenas de um Golf de sétima geração. A litragem pequena do motor 1.0 pode criar um certo preconceito no início, mas o desenvolvimento do carro impressiona. Os 20,4 kgfm de torque, já disponíveis aos 2 mil giros, empurram com disposição os 1.223 kg do Golf.

A relação mais curta até a quinta marcha, em relação ao Up, ajuda na sensação de rapidez com que o veículo pede a próxima. Os engates são sempre macios e precisos, típicos da fabricante. O desempenho lembra bastante o do subcompacto, com suas devidas proporções. As acelerações são vigorosas e deixam qualquer um atrás do volante se esquecer de que se trata de um veículo 1.0. O comportamento é surpreendente, melhor até do que o Golf equipado com motor 1.6 MSI.

Além da maior sensação de potência, o motor 1.0 TSI proporciona suavidade e economia de combustível. O modelo já foi avaliado pelo Inmetro e obteve nota A em todos os quesitos, com médias de até 14,3 km/l, com gasolina e na estrada. Ao volante, a dinâmica afiada segue a mesma, com boas entradas e saídas de curva. A direção é leve em manobras e exibe uma precisão em movimento que impressiona. O Golf 1.0 TSI parece preparado para quebrar paradigmas. Seu motor 1.0 se revela mais que suficiente para se movimentar com destreza e ainda proporciona uma economia acima da média.

Ficha técnica

Volkswagen Golf Comfortline 1.0 TSI

Motor: Bi-combustível, dianteiro, transversal, 999 cm³, com três cilindros em linha, quatro válvulas por cilindro e turbocompressor. Acelerador eletrônico e injeção direta de combustível.
Transmissão: Câmbio manual com seis marchas à frente e uma a ré. Tração dianteira e possui controle eletrônico de tração.
Potência máxima: 125/116 cv a 5.500 rpm com etanol/gasolina.
Aceleração 0 a 100 km/h: 9,7 segundos.
Velocidade máxima: 194 km/h.
Torque máximo: 20,4 kgfm a partir de 2.000 rpm.
Diâmetro e curso: 74,5 mm X 76,4 mm.
Taxa de compressão: 10,5:1.
Suspensão: Dianteira independente do tipo McPherson, com triângulos inferiores, amortecedores hidráulicos e barra estabilizadora. Traseira por eixo de torção, com molas helicoidais, amortecedores telescópicos hidráulicos e barra estabilizadora. Oferece controle eletrônico de estabilidade. 
Freios: Discos ventilados na dianteira e sólidos na traseira.
Pneus: 205/55 R16.
Carroceria: Hatch em monobloco com quatro portas e cinco lugares. Com 4,25 metros de comprimento, 1,79 m de largura, 1,46 m de altura e 2,63 m de distância entre-eixos. Oferece airbags frontais, laterais, de cortina e de joelhos para motorista de série. 
Peso: 1.223 kg em ordem de marcha.
Capacidade do porta-malas: 313 litros.
Tanque de combustível: 50 litros.
Produção: São José dos Pinhais (Paraná).
Itens de série: 7 airbags (2 frontais com desativação do lado do passageiro, 2 laterais nos bancos dianteiros, 2 de cortina e 1 de joelho para o motorista), alerta de perda de pressão dos pneus, ar-condicionado com regulagem mecânica “Climatic”, banco traseiro com 3 apoios de cabeça, banco traseiro com encosto bipartido e rebatível (1/3 e 2/3), bancos dianteiros com ajuste de altura e lombar, bloqueio eletrônico do diferencial “EDS e XDS”, cintos de segurança dianteiros com ajuste de altura, cintos de segurança traseiros automáticos de 3 pontos (inclusive o central), coluna de direção com ajuste de altura e profundidade, direção elétrica, espelhos retrovisores externos eletricamente ajustáveis, aquecíveis, com luzes indicadoras de direção integradas e função “Tilt down”, faróis de neblina com luz de conversão estática, fixação da cadeirinha de criança com sistema ISOFIX, freio de estacionamento mecânico com função para assistência de subida “Hill Assist”, lanterna de neblina, porta-luvas iluminado e refrigerado, rodas de liga leve aro 16”, sensores de estacionamento dianteiro e traseiro, sistema de entretenimento com rádio CD-Player, tela touchscreen de 6.5”, sensor de aproximação, Bluetooth, entrada para SD-Card, conexão USB, 8 alto-falantes e comando de voz e vidros dianteiros e traseiros elétricos, com função “one touch”.
Preço: R$ 74.990
Opcionais: Sensores de chuva e crepuscular, espelho retrovisor interno antiofuscante (eletrocrômico), controle automático de velocidade com limitador de velocidade, volante multifuncional em couro com comandos do rádio, computador de bordo, roda de liga leve 17" com pneus 225/45 R17, sistema Infotainment "Discover Media" com rádio CD-Player, tela touchscreen de 6.5", teto solar elétrico, ar-condicionado digital de duas zonas e bancos e revestimento interno em couro.
Preço completo: R$ 96.944.

Autor: Fabio Perrotta Junior (Auto Press)
Fotos: Fabio Perrotta Junior/CZN

Um litro de ousadia - Volkswagen Golf 1.0 TSI tem o desafio de tentar quebrar paradigmas entre os hatches médios

Fonte: Salão do Carro
Categoria: Testes

28 de set de 2016

Teste do Chevrolet Onix Activ

Teste do Chevrolet Onix Activ

Modelos de entrada de marcas generalistas precisam apostar em estratégias que aumentem seus volumes de vendas. Não à toa, quase todos contam com uma lista extensa de versões que incluem mudanças de trem de força e também estéticas. Aliado a isso, a procura por modelos aventureiros cresceu intensamente nos últimos anos entre consumidores brasileiros que não têm dinheiro ou necessidade para adquirirem veículos 4X4. A Chevrolet, disposta a manter o hatch Onix na liderança nacional – conquistada no ano passado e mantida, com tranquilidade, ao longo de 2016 –, reservou para a linha 2017 uma nova configuração de topo que se encaixa exatamente nesse perfil de cliente: a Activ, com vendas iniciadas há dois meses. As mudanças envolvem principalmente a estética, mas alterações nos pneus e acerto de suspensão conseguiram elevar a altura em relação ao solo e o ângulo de visão do motorista.

Leia também:
  • Chevrolet lança Onix e Prisma 2017
  • Impressões do Chevrolet Onix e Chevrolet Prisma linha 2017
Na frente, o Onix Activ traz vincos esculpidos sobre capô, faróis de máscara negra com filetes de leds, grade bipartida com moldura em preto brilhante e para-choque – também na traseira – customizado. Um aplique lateral contorna toda a parte inferior do veículo, desde os faróis de neblina à traseira. Aparece ainda rack de teto, uma espécie de peito de aço no spoiler frontal e retrovisores externos e adesivos da coluna B em preto. As rodas são exclusivas, com acabamento de superfície usinada, dez raios e 15 polegadas, calçadas em pneus 195/65 – as demais configurações com propulsor 1.4 recebem pneus 185/65 R15. Por dentro, as cores preta e laranja predominam nos revestimentos de porta e bancos e até no painel de instrumentos. Na carroceria, seis opções aparecem na palheta do carro: laranja metálico, branco, prata, cinza grafite, vermelho e preto. A direção é elétrica e a configuração aventureira já sai da fábrica com sistema MyLink com câmara de ré, compatibilidade com Android Auto e Apple CarPlay e sistema OnStar, capaz de ajudar a encontrar restaurantes e outros pontos de interesse. A lista de itens de série é a mais completa da linha, com direito a sensores de chuva e estacionamento traseiros, ajuste elétrico dos retrovisores e travas e vidros com acionamento remoto pela chave, entre outros.

Na parte dinâmica, o Onix Activ se destaca entre todas as configurações do hatch pelos 3 cm a mais de altura. A intenção é facilitar a vida dos motoristas que precisam superar terrenos mais acidentados ou pequenos alagamentos, por exemplo. A posição de dirigir também sobe, o que aumenta o campo de visão do condutor em 4 cm em relação às demais variantes do modelo.  O trem de força é o mesmo adotado na antiga versão de topo, a LTZ. Trata-se do velho conhecido 1.4 que desenvolve até 106 cv de potência a 6 mil rpm e 13,9 kgfm de torque a 4.800 rpm quando abastecido com etanol e 98 cv e 13 kgfm nos mesmos giros com gasolina no tanque. Segundo a marca, o motor passou por avanços recentemente, com pistões e bielas redesenhados e tipo de óleo lubrificante e módulo eletrônico trocados, além de novo sistema de arrefecimento e de gerenciamento de cargas elétricas. Não mudaram os números de desempenho do modelo, mas deixaram-no mais econômico que antes. 

Ponto a ponto

Desempenho – Os 106 cv e 13,9 kgfm de torque do motor 1.4 que equipa o Onix Activ empurram o hatch com competência, mas sem grandes surpresas. Em acelerações para ultrapassagens ou retomadas emergenciais, fica clara a baixa litragem do propulsor. O câmbio automático, presente na versão avaliada, até responde bem às solicitações do condutor, mas não faz milagres. Não se trata de um modelo que inspire esportividade na condução. As trocas das seis marchas, no entanto, são suaves. Nota 7. Estabilidade – Mesmo com a altura ligeiramente elevada do Onix Activ – pneus maiores e suspensão recalibrada deixaram o carro 30 mm mais alto –, no asfalto não se notam diferenças nesse quesito. O comportamento do hatch aventureiro é adequado à proposta e curvas são encaradas com eficiência em alta ou baixa velocidade. A direção é um pouco menos suave que a das outras variantes, mas nada tão notório. De qualquer forma, ajuda a manter o carro no caminho desejado. Nota 8.

Interatividade – O sistema multimídia MyLink é simples de usar e tem comandos autoexplicativos. A ergonomia é boa e a posição de dirigir é facilmente encontrada e levemente mais alta. Com isso, em relação às demais configurações, o Onix Activ conta com mais 40 mm de campo de visão. Nota 8. Consumo – O InMetro testou o Onix Activ e aferiu médias de 7,7/8,6 km/l na cidade/estrada com etanol e 11,2/12,6 km/l nas mesmas condições, com gasolina no tanque. O resultado foi de 1,85 MJ/km, com nota C na categoria e B no geral. Pouco em comparação a projetos mais recentes. Nota 5.

Conforto – O espaço interno é bom em relação a outros compactos. Quatro ocupantes viajam sem problemas e um quinto até é aceitável, desde que em trajetos curtos e com passageiros dispostos a passar por algum aperto no banco traseiro. O isolamento acústico é bom e a suspensão amortece bem as irregularidades do asfalto e em percursos de terra. Nota 8. Tecnologia – O Onix é um carro recente, construído sobre a plataforma GSV, a mesma dos sedãs Cobalt e Prisma e da minivan Spin. Ela é moderna e prioriza o espaço interno. O modelo teve ainda participação importante na popularização dos sistemas multimídias, a partir da disponibilidade do MyLink mesmo na motorização de entrada, a 1.0. A transmissão é moderna, com seis marchas, mas os motores são antigos. Nota 8.

Habitabilidade – Há diversos nichos para guardar os objetos do motorista. As quatro portas têm bons ângulos de abertura e o entre-eixos de 2,53 metros, embora não seja o melhor da categoria, garante bom espaço no habitáculo. O porta-malas, porém, transporta apenas 280 litros – há opções com mais espaço para bagagens entre os hatches compactos. Nota 7. Acabamento – Os materiais aparentam boa qualidade e a combinação das cores preta e laranja entrega um charme diferenciado à versão nos revestimentos de portas e bancos. Não há rebarbas aparentes e os encaixes passam impressão de solidez. Nota 8.
Design – O Onix já recebeu uma reestilização que o deixou com visual mais moderno. A versão Activ dá ao hatch uma estética aventureira que insere um pouco mais de personalidade ao modelo. A nova grade bipartida traz moldura em material preto brilhante, um aplique lateral contorna toda a parte inferior do veículo e diversos elementos alusivos a carros off-road estão presentes, como rack de teto e uma espécie de peito de aço no spoiler frontal. As rodas são exclusivas, com acabamento de superfície usinada, dez raios e 15 polegadas. A combinação é interessante e, principalmente na cor laranja metálica da unidade avaliada, se destaca nas ruas. Nota 8. Custo/benefício – Com câmbio automático, o Onix Activ custa R$ 62.290 – mas a cor laranja metálica adiciona R$ 1.550 à conta, totalizando R$ 63.840. Um Renault Sandero Stepway 1.6 automatizado sai por R$ 60.720, enquanto a Toyota pede R$ 63.220 por um Etios Cross automático 1.5. A Hyundai cobra R$ 69.445 pelo HB20X automático equipado à altura, mas seu motor 1.6 rende 128 cv. Já a Volkswagen chega a estrondosos R$ 74.553 por um Crossfox com equipamentos semelhantes aos do Onix. O hatch aventureiro da Chevrolet não chega a ser a melhor opção nesse quesito, mas está entre as mais vantajosas. Nota 7. Total – O Chevrolet Onix Activ automático somou 74 pontos em 100 possíveis.

Impressões ao dirigir

É inegável que o Chevrolet Onix Activ causa uma boa impressão à primeira vista. Principalmente na cor laranja metálica da unidade testada, que vem sendo explorada exaustivamente em todas as campanhas da nova versão. Os adereços aventureiros conferem ao hatch um visual instigante e chamativo, capaz de se destacar facilmente pelas ruas do Brasil.
Em movimento, o motor 1.4 não faz feio, mas também não se destaca. Arrancadas, retomadas e ultrapassagens são feitas de forma honesta, mas sem qualquer arroubo de esportividade. Por outro lado, a transmissão automática de seis velocidades disponível para a configuração impressiona com suas trocas suaves e pelo bom entrosamento com o propulsor, subindo rapidamente os giros quando necessário e descendo gradualmente nos momentos em que se alivia o pé direito.  O comportamento dinâmico é bem semelhante ao das outras versões do hatch, mesmo com a elevação em 3 cm da altura em relação ao solo. A diferença, no entanto, é claramente sentida nos trajetos mais esburacados ou de terra. As rolagens de carroceria até aparecem, mas de forma tão sutil que só são notadas quando o motorista desvia parte de sua atenção especificamente para isso.
A ergonomia é boa dentro do Onix Activ, assim como a visibilidade. A direção elétrica é suave o suficiente para entregar manobras de estacionamento leves e, em velocidades superiores, uma sutil rigidez. Mas isso é mais nítido nos caminhos fora de estrada do que no asfalto liso. Não se trata de um modelo totalmente apto às aventuras off-road, mas o Onix Activ é capaz de satisfazer quem enfrenta algumas poças de água ou percursos de terra mais esburacados.

Ficha técnica

Chevrolet Onix Activ

Motor: flex, dianteiro, transversal, 1.389 cm³, quatro cilindros em linha, duas válvulas por cilindro e comando simples no cabeçote. Injeção multiponto sequencial e acelerador eletrônico.
Potência máxima: 106 e 98 cv a 6 mil rpm com etanol e gasolina.
Torque máximo: 13,9 e 13 kgfm a 4.800 rpm com etanol e gasolina.
Diâmetro e curso: 77,6 mm X 73,4 mm.
Taxa de compressão: 12,4:1.
Pneus: 195/65 R15.
Peso: 1.062 kg MT / 1.092 kg AT 
Transmissão: Câmbio manual ou automático de seis marchas à frente e uma a ré. Tração dianteira. Não oferece controle eletrônico de tração. 
Suspensão: Dianteira independente do tipo McPherson, com molas helicoidais com carga lateral, amortecedores telescópicos e barra estabilizadora. Traseira semi-independente com eixo de torção, molas helicoidais e amortecedores telescópicos. Não oferece controle eletrônico de estabilidade. 
Freios: Discos ventilados na frente e tambor atrás. ABS de série.
Carroceria: Onix: Hatch em monobloco com quatro portas e cinco lugares. Com 3,95 metros de comprimento, 1,73 m de largura, 1,55 m de altura e 2,53 m de distância entre-eixos. Oferece airbag duplo de série. 
Capacidade do porta-malas: 280 litros.
Tanque de combustível: 54 litros.
Produção: Gravataí, Rio Grande do Sul.
Itens de série: Serviço OnStar, ar-condicionado, direção elétrica, travas elétricas, vidros dianteiros elétricos tipo um toque, painel com velocímetro digital, bússola e alerta de mudança de marcha, multimídia MyLink, chave tipo canivete com controle remoto das travas e vidros elétricos, faróis com máscara negra, banco do motorista e cintos de segurança dianteiros com regulagem de altura, porta-revista no dorso do assento do carona, limpador e desembaçador traseiro, espelho nas sombreiras, sistemas antifurto, aviso sonoro para uso do cinto de segurança, freios ABS com EBD, airbag duplo, coluna de direção com regulagem de altura e sensor de estacionamento traseiro com auxílio gráfico, vidros traseiros elétricos com a função um toque, computador de bordo, bancos com revestimento premium e tecido de alto relevo, retrovisores externos com ajuste elétrico, farol com superfície interna cromada e led, faróis de neblina, rodas de alumínio de 15 polegadas com pneus 195/65, rack de teto em forma de “U” e peito de aço no spoiler frontal.
Preço: R$ 57.190. 
Opcional: Transmissão automática de seis velocidades (R$ 5.100) e cor laranja metálica (R$ 1.550). 
Preço da unidade avaliada: R$ 63.840.

Autor: Márcio Maio (Auto Press)
Fotos: Isabel Almeida/CZN

Na trilha da variedade - Versão Activ do Chevrolet Onix dá ao carro mais vendido do Brasil chance de ampliar vendas

Fonte: Salão do Carro
Categoria: Testes

Renault e Nissan fazem parceria com Microsoft

Renault e Nissan fazem parceria com Microsoft

O futuro dos aparelhos Windows Phone pode não estar tão definida como pensamos. A visão mobile da Microsoft agora também tem outro foco: carros. Uma colaboração entre as companhias Renault-Nissan entende o carro do futuro de forma semelhante como a Microsoft trata os PCs.

Colaboração

A Microsoft revelou no dia 26/09, que obteve um acordo de vários anos com a Renault-Nissan para estar presente nos carros futuros das fabricantes com a sua tecnologia de cloud Azure.

A parceria Renault-Nissan afirmou que contará com 10 carros autônomos na estrada até 2020, e que vai usar a nuvem da Microsoft para tecnologias que otimizem o tempo do motorista.

Como funciona a tecnologia

O que é relevante sobre a combinação das empresas é como a Renault fala sobre o seu carro para o futuro: basicamente da mesma maneira como vemos os PCs hoje. Por exemplo, se você adquirir um carro Renault ou Nissan e depois comprar outro carro dessas mesmas fabricantes, elas dizem que você conseguirá fazer “login”, e que as suas configurações e dados (presumivelmente pontos de interesse e rotas) serão passadas de um carro para outro. Conforme você faz uma viagem, seu carro vai pagar automaticamente qualquer pedágio ou coisa do tipo, com o Azure cuidando desses pagamentos.

E conforme estiver dirigindo e seu carro navegar casualmente pelo trânsito, você pode acessar simultaneamente o seu escritório: a Nissan promete ofertar uma nova maneira mais “produtiva”, possivelmente ao adicionar o Office ao veículo. Essa é a mesma característica de um acordo parecido que a Microsoft fechou há algumas semanas com a Mercedes-Benz na IFA, com a ferramenta In Car Office fazendo com que seu calendário de trabalho e seus contatos profissionais fiquem acessíveis a partir do painel do automóvel.

Desenvolvimento tecnológico em conjunto

As empresas irão trabalhar juntas para que seja desenvolvida a nova geração de serviços conectados para carros equipados com o Microsoft Azure, que como já vimos, é o serviço de nuvem da marca. Estes futuros serviços oferecem navegação avançada, manutenção preventiva e serviços centrais dos veículos, monitoramento remoto dos equipamentos do carro, experiências móveis externas e atualizações via OTA (over-the-air).

Outras parcerias

No começo de 2016, a parceria das duas empresas contratou o ex-executivo da Nokia Ogi Redzic, para liderar seus esforços de carros conectados. Além da Microsoft, a aliança também vai contar com os serviços da startup francesa Sylpheo, cujos os softwares foram adquiridos por Renault e Nissan. Entre os produtos da Sylpheo presentes na colaboração das empresas, estarão propostas para apps de transporte semelhantes ao Uber, e compartilhamento de carros.

Não são as únicas

A Renault e a Nissan não são as únicas montadoras tradicionais a investir num projeto de carro sem motorista. A Toyota e a Volvo, junto ao Uber, e a GM, em parceria com o Lyft, estão depositando diversas formas de investimento em startups e desenvolvendo tecnologias para instigar a criação de carros autônomos. O gigante de buscas, Google, é uma das grandes empresas que vem apostando nesse modelo tecnológico já faz algum tempo.
A parceria Renault-Nissan afirmou que contará com 10 carros autônomos na estrada até 2020, usando a Microsoft Azure.

Fonte: Salão do Carro
Categoria: Prévias

Segunda geração do Hyundai Veloster é flagrada

Segunda geração do Hyundai Veloster é flagrada



O Hyundai Veloster não teve vida fácil. O enorme furor causado em seu lançamento, principalmente por conta do visual ousado e das exóticas três portas, não foi o suficiente para conter a queda nas vendas causada pela falta de novidades e as críticas ao desempenho – especialmente no Brasil onde ele usava motor de HB20. Apesar […] The post Segunda geração do Hyundai Veloster é flagrada appeared first on Autopolis Portal.

Fonte: R7

SLC 300 terá novo motor

SLC 300 terá novo motor

A nova versão da Mercedes SLC 300 vai continuar inovando para agradar quem tanto ama esses conversíveis esportivos. Quem já se surpreendeu com o “airscarf”, que apareceu na segunda geração do veículo e o teto de vidro que escurecia conforme a incidência solar, vai ter motivos para sorrir, pois a quarta geração vai agradar devido às novas opções de motores. Muitos achavam que o SLK, nome do da sua versão anterior, que tinha um motor 1.8 de 184 cv, mesmo não sendo um carro lento, não tinha uma performance que honrasse seu visual superesportivo.

Versões com mais potência

Agora se nós pegarmos a versão mais “leve” da SLC 300 em termos de potência, vamos nos deparar com um motor quatro cilindros 2.0, turbo de 245 cv. Um outro modelo é a AMG SLC 43, que conta com um motor 3.0 V6 biturbo 367 cv. Um show de performance para um esportivo que impõe respeito na pista.

Na estrada

Quando o SLC 300 está em movimento ele mostra suas varias facetas. Você encontra nesse moderno conversível, um seletor com cinco modos de direção: Eco, Comfort, Sport, Sport+ e individual. Essas opções servem para ajustar parâmetros do veículo como suspensão, transmissão, direção e respostas do motor.

Design

A parte da frente teve para-choque e as grades redesenhadas, deixando o veículo com uma aparência ainda mais esportiva. Quando se compara os faróis é que se nota as principais alterações: eles estão mais arredondados que o anterior, algo parecido com o que se vê no superesportivo AMG GT. Na traseira as mudanças foram sucintas, apenas um novo acabamento interno nas lanterna e uma alteração no para-choque. Na parte interna, já se repara que o volante é mais esportivo. O carro ganhou um incrível acabamento em alumínio e fibra de carbono. Bancos e quadro de instrumentos tiveram uma alteração no conceito. Não podemos esquecer também que um carro esportivo, além de ter um ronco no motor que parece música nos ouvidos de quem é fã de carros assim, precisa mostrar respeito. Tenha certeza que a dupla de ponteiras de escapamento fazem esse respeito aparecer em sombra de dúvidas. Um item que interessa muito é a central multimídia Comand, que agora possui uma tela de 7 polegadas. O teto pode ser aberto ou fechado eletronicamente se você estiver em uma velocidade de até 40 Km/h.

Vários Itens de serie

Nesse quesito, o Mercedez SLC 300 também arrasa. Ele vem com ar condicionado automático digital, direção hidráulica, trio elétrico, quatro airbags, freios ABS com EBD, bancos esportivos, freio de estacionamento elétrico, controles de tração e estabilidade, assistente de partida em subida, faróis em LED, soleiras das portas com a logomarca da “Mercedes-Benz”, além de conectividade via Bluetooth para celular e players de mídia. O carro conta também com o pacote Brasil que dispõe da função Start/Stop, detalhes do acabamento interno, volante multifuncional, alarme, escapamentos esportivos, sensor de chuva, câmera de ré e pacote de integração de smartphones com integração com CarPlay.
Um item que interessa muito é a central multimídia Comand, que agora possui uma tela de 7 polegadas.

Fonte: Salão do Carro
Categoria: Prévias

27 de set de 2016

Hyundai Creta chega com motor 1.6 e 162 cv

Hyundai Creta chega com motor 1.6 e 162 cv

Sempre repleto de novidades, o mercado automobilístico é um prato cheio para quem ama carros. Afinal de contas, todos os anos são novos modelos, motores ou reestilizações lançados ao redor do mundo que deixam os apaixonados por velocidade completamente loucos. E a mais recente novidade do mercado ficou por conta da Hyundai especialmente para o mercado chinês. Isso porque o Creta, lá vendido como ix25, acabou de ganhar novas versões que são equipadas com novos motores. E é exatamente para que você saiba tudo sobre o lançamento da Hyundai em território asiático é que nós reunimos aqui uma série de informações sobre o assunto, tudo para que você não perca nenhum detalhe.

O novo motor 1.6 da Hyundai

A novidade já está sendo comercializada no mercado chinês no Creta, lá ix25. O lançamento em questão fica por conta de novas versões do veículo que agora chegam equipadas com o motor 1.6 T-GDI e já está rodando pelas ruas da Ásia. Por fora, o carro pode ser reconhecido tanto pelo emblema do motor, a sigla T-GDI, e também pela saída do escapamento, que para o motor em questão é dupla. Sob o capô, o propulsor 1.6 turbo é capaz de entregar até 162 cv, além de alcançar um torque máximo de 25,5 kgfm. Tudo isso chega acompanhado de uma transmissão com dupla embreagem e sete velocidades, além de contar com tração dianteira. Para se ter uma ideia dos ganhos que o carro teve com o novo motor, basta analisar os números de rendimento do motor 1.6 VTVT, que até então era a opção disponível no mercado para o veículo. Este propulsor é capaz de entregar até 126 cv de potência, além de fornecer um torque máximo de 15,4 kfgm, números consideravelmente mais baixos do que aqueles fornecidos pela novidade. Já a outra opção de motor que também já estava disponível na linha do Creta na China, a versão 2.0 aspirada, é capaz de entregar até 162 cv de potência e um torque máximo de 19,6 kfgm. Ou seja, apesar de terem potência igual, a novidade turbo apresenta um torque consideravelmente maior.

Com tudo isso se pode perceber que o novo conjunto equipado com o propulsor 1.6 T-GDI e também com caixa DCT se apresenta bastante superior do que aqueles que já eram oferecidos para o veículo até então. O Creta equipado com o novo motor 1.6 T-GDI já está sendo vendido na China em duas versões diferentes de acabamento. Todas elas são bastante recheadas e apresentam uma lista considerável de equipamentos, como controle de estabilidade, teto solar panorâmico, volante multifuncional, assistente de rampas e descidas, acesso e partida sem chave, sensores de estacionamento, piloto automático, tudo isso como itens de série. Para quem gosta do veículo vendido na China, as novidades são boas. Isso porque o Creta, ou ix25, já está com previsão de produção aqui no Brasil já para o começo de 2017. Sua apresentação oficial está marcada para o Salão do Automóvel de São Paulo e ele ainda não conta com a gama de motores confirmada ainda.
Sob o capô, o propulsor 1.6 turbo é capaz de entregar até 162 cv, além de alcançar um torque máximo de 25,5 kgfm.

Fonte: Salão do Carro
Categoria: Prévias

Uber quer oferecer veículos voadores de curtas distâncias

Uber quer oferecer veículos voadores de curtas distâncias

Conteúdo em Vídeo
A empresa Uber, que ficou conhecida no mundo inteiro por oferecer uma solução de transporte mais barato e alternativo aos taxis, quer mais longe. Depois de divulgar imagens com testes sendo realizados com veículos sendo conduzidos de forma autônoma, a empresa também quer disponibilizar veículos de “Decolagem e Aterrisagem Vertical” (VTOL, na sigla em inglês). De acordo com as imagens que são apresentadas no projeto, são aeronaves que podem rodar, decolar e voar verticalmente, como se fossem helicópteros, com a diferença de serem mais silenciosas e com asas fixas.

Mas para quem pensa que se trata de um projeto que será lançado em um futuro distópico, está enganado. A previsão do Uber é que isso aconteça em, no máximo, uma década. A empresa afirma que os projetos estão avançados, mas o que realmente será complicado é conseguir inserir os VTOL’s nas rotinas das grandes cidades.
Vídeo mostra parte do projeto que está sendo financiado pela empresa.

Fonte: Salão do Carro
Categoria: Vídeos

Conceito GT-PHEV antecipa mais um SUV da Mitsubishi

Conceito GT-PHEV antecipa mais um SUV da Mitsubishi



A temporada de conceitos da Mitsubishi que antecipam futuros SUVs começou em 2013 e, desde então, foram apresentados nada menos do que seis modelos diferentes. Nenhum lançado neste período. O único que está próximo de ganhar as linhas de produção é o XR-PHEV, recentemente flagrado nos Estados Unidos. Engrossando a lista, a Mitsubishi apresentou o […] The post Conceito GT-PHEV antecipa mais um SUV da Mitsubishi appeared first on Autopolis Portal.

Fonte: R7

Ford Fusion 2017 ganha vídeo com Bento Ribeiro

Ford Fusion 2017 ganha vídeo com Bento Ribeiro

Conteúdo em Vídeo
A Ford divulgou nas suas redes sociais um vídeo bem-humorado para demonstrar algumas das novas tecnologias presentes no Fusion 2017. A campanha está sendo estrelada pelo ator e comediante Bento Ribeiro e pela jornalista automotiva Cecília Ribeiro. O vídeo foi captado no campo de provas da Ford em Tatuí, no interior de São Paulo, e ganhou um formato de tutorial, ele explicando mais detalhes das novidades do veículo, tais como as tecnologias semiautônomas e as mudanças do design do Fusion.

Tudo ganha uma explicação, até mesmo do desenho da grade dianteira, que chama a atenção, bem como o sistema de controle ativo que tem como principal objetivo otimizar a aerodinâmica e economia do combustível. O carro também conta com assistente de frenagem autônoma com detecção de pedestre, que freia sozinho, e o sistema Auto Start-Stop, que desliga e liga o carro automaticamente quando ele está parado para economizar combustível.
Montadora criou campanha para divulgar as tecnologias do novo carro.

Fonte: Salão do Carro
Categoria: Vídeos

26 de set de 2016

Novo Volkswagen Tiguan vem com motor 1.4

Novo Volkswagen Tiguan vem com motor 1.4

Desde que foi lançado na Europa em 2007, o Tiguan é um dos utilitários da Volkswagen mais interessantes já lançados, sendo um dos modelos mais bem recebidos dentro deste segmento tão competitivo. A nova geração já foi lançada no Velho Continente, mas nem por isso a Volkswagen decidiu parar a produção da geração anterior, que ainda é comercializada em muitos mercados importantes, como o Brasil, por exemplo. Para o mercado brasileiro a geração anterior ainda recebeu novidades, e com isto, chegou o novo Volkswagen Tiguan 1.4 TSI 2017, que nós vamos conhecer nas próximas linhas!

Novidades debaixo do capô



Uma das principais mudanças está debaixo do capô, já que o novo Volkswagen Tiguan 2017 ganhou um motor 1.4 TSI, que empresa agilidade, desempenho e economia nas medidas mais que certas. Equilibrado, este motor entrega uma potência de 150 cv e um torque de 25,5 kgfm, sendo abastecido apenas com gasolina (ao contrário do motor que equipa o Golf Variant, que é Flex). Com isto, o modelo é um dos que apresenta a melhor relação entre custo x benefício do mercado, já que o novo Volkswagen Tiguan 1.4 TSI 2017 é capaz de entregar bom desempenho e de proporcionar economia de combustível.

Pacote de equipamentos interessante

Apesar de não trazer nada demais, o fato é que o pacote de equipamentos oferecido pelo Volkswagen Tiguan 1.4 TSI 2017 pode ser considerado como sendo interessante e completo. O ponto alto fica por conta do teto solar panorâmico que conta com persiana elétrica, que deixa o modelo ainda mais atraente e elegante, sem perder o arrojo e a robustez tão comuns aos modelos da categoria. O novo Volkswagen Tiguan 1.4 TSI 2017 também chega com revestimento emborrachado tanto no painel, quanto nas portas, além de trazer detalhes metalizados em seu console. O banco traseiro é repartido, dando mais conforto aos ocupantes, e ainda conta com mesinhas retráteis, para garantir que as pessoas possam se sentir bem durante longas viagens, por exemplo.

Modernidade presente

E para os consumidores mais jovens, que adoram ter em mãos um veículo que apresente conectividade acima da média, o novo Volkswagen Tiguan 1.4 TSI 2017 traz itens que mostram que a modernidade também está presente. Ele conta com sistema multimídia com Android Auto/Car Play/MirrosrLink, que é um dos mais modernos sistemas do gênero e que faz deste SUV da montadora alemã um dos mais interativos da atualidade. Para completar o conforto, o novo Volkswagen Tiguan 1.4 TSI 2017 chega equipado com ar-condicionado dual zone, para garantir que todos os ocupantes do veículo possam usufruir dos benefícios deste item. Visualmente, o modelo apresenta rodas de liga leve com aro de 17 polegadas equipadas com pneus 235/55, que dão a ele um aspecto ainda mais esportivo e ainda mais agressivo. Detalhes em preto espalhados por pontos estratégicos da carroceria completam o visual mais esportivo e mais moderno. Com preços a partir dos R$ 124.990, o novo Volkswagen Tiguan 1.4 TSI 2017 deverá ser mais um grande sucesso de vendas da montadora alemã neste segmento tão competitivo.
O ponto alto fica por conta do teto solar panorâmico que conta com persiana elétrica, que deixa o modelo ainda mais atraente.

Fonte: Salão do Carro
Categoria: Prévias

Conheça a Ferrari GTCL4Lusso T com 610 cv

Conheça a Ferrari GTCL4Lusso T com 610 cv

A empresa com as marcas de carro mais romantizadas do mundo (além de suas máquinas criadas para a escuderia na fórmula 1) mostrou na quinta-feira, dia 22, o seu mais novo carro. E que já está na boca de todos os apaixonados por automóveis e nos bastidores de quem trabalha ou entende do assunto. O possante em questão é o novo GTC4Lusso T. O carro se diferencia de outros carros do modelo por uma característica, até agora, única. É o primeiro modelo da marca que faz uma união inédita: um carro para quatro pessoas com os novos motores V8 turbo, já que os outros usavam o V12 aspirado.

Capacidade do veículo



O carro, nesse caso, é V8 com capacidade de 3.9 litros e 610 cv de potência, com 7.500 rpm e toque de 77,5 kgfm. A ideia de uso do motor não caiu do céu, muito menos nasce do nada, é uma versão que apresenta algumas modificações do V8 presente no modelo California T. Tem, inclusive o mesmo torque. A diferença está na potência: o California tem 50 cv a menos, ou seja, 560 cv. A ideia difundida da Ferrari em trabalhar uma linha de motores menores, mas com turbo, é reduzir a quantidade de emissões de carbono, além de ter modelos com mais versatilidade. Garantir mais conforto para as pessoas dirigirem no dia a dia, mas que ao mesmo tempo, não decepcione o condutor quando submetido a uma corrida. O veículo, aliás, também tem o potencial de se tornar gigante para o desempenho nas pistas. É muito veloz. A fabricante afirma que o novo modelo faz de 0 a 100 quilômetros por hora em apenas 3,5 segundos e pode chegar a correr acima dos 320 km/h em sua velocidade. Quanto ao quesito de capacidade de aceleração, ele não muito fica muito atrás do modelo GTC4Lusso  que vem equipado com o potente motor V12 e 6.3 litros aspirado, que chega a potência de 690 cv e, por fim, 72,1 kgfm de torque.

Outras especificações



A fabricante disse que o tempo que a turbina leva para entrar em ação, no caso desse modelo, foi zerado. pois existe um maior controle das variações do turbo. Isso ajudou o veículo apresentar uma aceleração um tanto mais linear, além de menos agressiva quando em velocidades mais baixas. Além das coisas já citadas, foram também adicionadas ao modelo novo da Ferrari, o esterçamento presente nas rodas traseiras e na parte interior, uma tela multimedia com sistema sensível ao toque de 10,25 polegadas. O carro terá tração apenas traseira e não haverá a possibilidade da escolha integral, como há na versão com motor V12. A preocupação da Ferrari é que o modelo feito com a possibilidade de transportar 4 pessoas, seja extremamente confortável e prático para rodar diariamente. Daí também surgiu a preocupação com a dirigibilidade do automóvel, torque com baixas rotações e um ronco de motor, que apesar da alta potência do motor, não será um incomodo para as pessoas em seu dia a dia.
Esse novo modelo vem com um motor V8 com capacidade de 3.9 litros e 610 cv de potência, com 7.500 rpm e toque de 77,5 kgfm.

Fonte: Salão do Carro
Categoria: Prévias