31 de mai de 2015

Yamaha MT-25 chega dia 6 de junho

Yamaha MT-25 chega dia 6 de junho

Um dos maiores mistérios dos últimos tempos dentro da indústria de motocicletas acabou de ser revelado, já que finalmente a Yamaha definiu a data para a chegada de seu mais novo modelo de moto naked. A Yamaha MT-25 oficialmente foi anunciada para chegar ao mercado mundial no próximo dia 6 de junho, quando o modelo deverá ser apresentado oficialmente durante uma megafesta organizada na Indonésia, com DJs, shows de Rap e muito mais.

Imagens vazadas na internet



Como normalmente ocorre com este tipo de lançamento cheio de mistério, também com a naked da Yamaha, a MT-25, houve uma tentativa de se manter tudo em segredo o máximo de tempo possível. Mas esta intenção de manter segredo em torno da motocicleta acabou caindo por terra por conta do vazamento de imagens que mostraram muito mais do que a fabricante japonesa pretendia. Com isto, a pressão por mostrar o modelo oficialmente aumentou, e a Yamaha da Indonésia acabou por criar um teaser e divulgá-lo na internet, mostrando um pouco mais da MT-25 e convidando todos para uma megafesta de apresentação da motocicleta. Este evento grandioso deverá ocorrer na Indonésia, no próximo dia 6 de junho, e contará com apresentação de DJs, com shows de artistas de Rap, com paintball, com disputas entre levantadores de peso e também com disputas entre praticantes de Parkour, entre outras coisas.

A moto é o principal astro do evento



No entanto, apesar de todas estas atrações para chamar a atenção dos presentes, o fato é que o que realmente deverá ser o astro principal do evento da Indonésia será a Yamaha MT-25. Apesar de não haver confirmação oficial, o fato é que a motocicleta apresentada no teaser deve ser mesmo a MT-25, que a Yamaha fez como um modelo sem carenagem da YZF-R25. No mercado europeu, a motocicleta já havia sido apresentada como e lançada com o nome de R3, fazendo muito sucesso e sendo muito bem recebida, tanto por público, quanto por crítica. Para os consumidores brasileiros, no entanto, que sempre adoram os modelos da Yamaha, o fato é que a fabricante japonesa ainda não se definiu sobre se irá ou não lançá-la por aqui. E caso isto venha a acontecer, é bem provável que ainda demore um pouco mais para ocorrer, sendo um lançamento mais para o final do ano, com preço um pouco mais salgado do que o praticado em outros mercados.
A Yamaha MT-25 oficialmente foi anunciada para chegar ao mercado mundial no próximo dia 6 de junho, quando o modelo deverá ser apresentado ao público.

Fonte: Salão do Carro
Categoria: Motos

GM atinge marca de 500 milhões de veículos no mundo

GM atinge marca de 500 milhões de veículos no mundo






Veja a galeria completa Executivos da General Motors agradeceram a marca inédita de 500 milhões de veículos produzidos no mundo Divulgação/GM A General Motors celebrou nesta segunda-feira (4), em vários países, a marca inédita de 500 milhões de veículos produzidos ao longo de seus 106 anos de existência. Fundado em 1908, o conglomerado norte-americano (que reúne as marcas Buick, Cadillac, Chevrolet, GMC e Opel) é o primeiro a atingir tal volume. Deste total, 21 milhões de modelos foram entregues na América do Sul, sendo 14,5 milhões só no Brasil, terceiro maior mercado do grupo. Só a título de comparação, em 2012, a Ford anunciou ter atingido a marca de 350 milhões de unidades. No mesmo ano, a Toyota celebrou 200 milhões de veículos, mesmo total atingido pela Volkswagen dois anos depois, em 2014. Segundo Santiago Chamorro, presidente da GM do Brasil, se enfileirados, os 500 milhões de veículos dariam a volta no planeta 70 vezes e, se empilhados, somariam quatro vezes a distância até a Lua. – É um ano para fortalecer o laço que temos no Brasil. Em 2014, anunciamos um investimento de R$ 6,5 bilhões para o desenvolvimento de novos produtos e inovações. Isso demonstra a confiança que temos no futuro do País. É motivo de orgulho vermos o sucesso absoluto de Onix e Prisma nas vendas desde a estreia. Os modelos são exemplos de como um trabalho bem-feito de design e tecnologia fazem a diferença. GALERIA
Veja os carros mais vendidos do Brasil de todos os tempos Veja a galeria completa Lançado em 1994, o Corsa chegou à 2ª geração (foto) em 2002 Reprodução Corsa é o campeão nacional Em janeiro deste ano, a GM completou 90 anos de atividades no Brasil, e a marca de 14,5 milhões de veículos produzidos no País. Destes, o Chevrolet Corsa é, até hoje, o campeão de vendas da marca, com 3 milhões de unidades entregues entre as duas gerações comercializadas por aqui. Em segundo lugar aparece o Celta, ainda em produção, com 1,8 milhão de unidades. O terceiro é o Chevette, com 1,4 milhão de modelos. Cada um dos três modelos tinha atributos que os tornaram bem-sucedidos em suas épocas. Contudo, Jaime Ardila, presidente da GM na América Latina, lembra que vivemos outra época e que, no futuro, o que vai definir o sucesso dos carros é muito diferente de tudo o que já foi oferecido até hoje. – Os próximos carros serão mais fáceis de se produzir em termos de manufatura, mas terão um desafio bem maior quando observamos a satisfação do consumidor. Existe uma percepção de que os jovem perderam o interesse nos autoóveis, mas as estatísticas mostram que 40% dos veículos foram adquiridos recentemente por jovens com idades entre 30 e 40 anos. O que mudou é que o consumidor de hoje exige uma vida digital a bordo. Tecnologicamente, os próximos carros serão um conjunto de softwares trabalhando para o motorista. E essa integração da conectividade é o que fará com que o automóvel continue fazendo a diferença na vida das pessoas. Leia mais notícias de Carros

Fonte: R7

BMW Concept 101: uma moto conceito de arrasar

BMW Concept 101: uma moto conceito de arrasar

Um dos eventos mais tradicionais do calendário da indústria motociclística, o Concorso d’Eleganza Villa d’Este, que ocorre na Itália, reúne sempre algumas das criações mais interessantes do mercado mundial. A alemã BMW sempre marca presença neste importante evento, e na edição deste ano irá apresentar um novo conceito, a BMW Concept 101, que promete ser uma moto de arrasar. Vamos conhecê-la melhor!

Um conceito feito pela Motorrad



A divisão Motorrad da BMW é responsável pelo desenvolvimento de alguns de seus novos modelos de motocicletas, e foi esta divisão a responsável pelo desenvolvimento da Concept 101 que será apresentada na Itália. Toda a ideia por trás deste conceito veio da intenção de criar uma motocicleta feita para quem deseja rodar pelas estradas dos Estados Unidos, que é justamente o mercado para onde o modelo deverá ser direcionado caso venha a ser lançado comercialmente no futuro. Sua base é a K 1600, sendo que o chassi deste modelo foi aproveitado, além de seu motor de seis cilindros, mas o visual da Concept 101 é totalmente inovador e simplesmente não se parece com nada que tenhamos visto até aqui. Futurista, o seu design também apresenta elementos de motocicletas mais clássicas, o que dá o diferencial perfeito para a BMW Concept 101, que apresenta apliques de madeira em sua carenagem, em seu tanque e também em porta-bagagens.

Origem do nome



Muita gente vai pensar que o nome de batismo da BMW Concept 101 se deve ao seu número de cilindradas (101 polegadas cúbicas), mas o fato é que ele se deve à rodovia que serviu de inspiração para seu projeto. Este modelo teve como inspiração a Highway 101, que é simplesmente uma das rodovias mais tradicionais dos Estados Unidos, localizada no estado da Califórnia, exatamente na mesma região onde está localizado o estúdio da BMW. Aliás, o desenvolvimento do projeto se deu em parceria entre a divisão Motorrad da BMW e a Designworks, que é famosa no mercado por conta de sua criatividade, sempre presente em seus projetos. Com estilo híbrido, que fica no meio do caminho entre o futuro e o passado, a BMW Concept 101 tem luzes traseiras que traçam duas linhas de LED, contrastando completamente com a traseira escura que a motocicleta apresenta. Ainda não se sabe se este modelo irá ser produzido em larga escala, mas se isto ocorrer, sem sombra de dúvidas ela deverá ser bem cara.
A alemã BMW sempre marca presença no Concorso d’Eleganza Villa d’Este, e na edição deste ano irá apresentar um novo conceito, a BMW Concept 101.

Fonte: Salão do Carro
Categoria: Motos

Com o Gol, você pode perder sua carteira em 11 segundos

Com o Gol, você pode perder sua carteira em 11 segundos






Fonte: 4 Rodas Carburada
Categoria: Publicidade em Quatro Rodas
Autor: Fabio Paiva

30 de mai de 2015

Volkswagen lança Saveiro Rock in Rio

Volkswagen lança Saveiro Rock in Rio

Patrocinadora oficial do Rock in Rio 2015, que irá ocorrer em setembro deste ano na Cidade Maravilhosa, a Volkswagen, como sempre costuma fazer, acabou de lançar um modelo especial. Estamos falando da Saveiro Rock in Rio, que chega ao mercado com pacote diferenciado, baseado na versão Highline e com preços que partem dos R$ 60.390. Vamos conhecê-la melhor!

Alusão ao evento musical mais importante do ano



Como sempre ocorre com este tipo de edição especial, a Saveiro Rock in Rio também chega com um visual que faz alusão ao evento musical mais importante do ano, o Rock in Rio 2015. O modelo da Volkswagen apresenta cabine dupla e é o terceiro e último modelo de seu portfólio a ganhar uma edição especial em alusão ao Rock in Rio, e também traz uma série de elementos que indicam que se trata de uma edição especial. Depois do Fox Rock in Rio e do Gol Rock in Rio, agora chegou a vez da Saveiro Rock in Rio, que chega ao mercado brasileiro com preços partindo da casa dos R$ 60.390. Externamente o modelo apresenta detalhes interessantes e exclusivos, como retrovisores pintados na cor cinza com repetidores de setas, além de lanternas escurecidas. As faixas colocadas nas laterais fazem referência ao evento musical e dão ao modelo um ar bem mais esportivo do que o que é visto na versão que lhe serviu de base, a Saveiro Highline.

Internamente



Se externamente o modelo apresenta características bem próprias, internamente, o que se viu foi um pacote de itens de série diferenciado, que conta com ar-condicionado, travas e vidros elétricos e muito mais. Há também o volante multifuncional, que apresenta revestimento em couro com costuras vermelhas, além de capota marítima, sensores de estacionamento traseiro e rack de teto, entre tantas ouras coisas. E para completar o estilo esportivo, voltando à sua parte externa, a Volkswagen Saveiro Rock in Rio chega equipada com rodas de liga leve  com 15 polegadas e com pneus esportivos 195/55 R15. No que diz respeito ao motor e ao desempenho, a nova Saveiro Rock in Rio chega equipada com o mesmo motor da versão Highline, o motor 1.6 litro MSI Flex, que desenvolve uma potência de 104 cavalos. Com isto, ele consegue um desempenho que lhe permite uma velocidade máxima de 171 km/h (quando abastecido com etanol) e que também lhe permite acelerar de 0 a 100 km/h em 10,9 segundos (também quando abastecido com etanol).
Depois do Fox e do Gol Rock in Rio, agora chegou a vez da Saveiro Rock in Rio, que chega ao mercado brasileiro com preços partindo da casa R$ 60.390.

Fonte: Salão do Carro
Categoria: Lançamentos

Volvo lança novas versões de entrada para S60 e V60

Volvo lança novas versões de entrada para S60 e V60

Considerada uma das principais montadoras de veículos de luxo do mundo, a sueca Volvo sempre apresentou boas opções também para quem se situa numa faixa de mercado mais intermediária. E por este motivo, a montadora acaba de anunciar o lançamento de novas versões de entrada para os modelos S60 e V60, que agora contam com preços iniciais partindo dos R$ 136.950.

Anúncio



A Volvo fez o anúncio da chegada ao mercado brasileiro das versões mais baratas para seus modelos S60 e V60 na última quarta-feira, dia 27 de maio de 2015, que chegam com a clara missão de dar uma guinada nas vendas. O posicionamento dos dois modelos dentro do portfólio da marca sueca para o mercado brasileiro os coloca logo abaixo da configuração R-Design T6, em substituição à versão R-Design T5.

Preços

A Volvo tratou de informar quais serão os preços destas versões mais em conta dos dois modelos, sendo que para o modelo S60, a versão Kinetic sai por R$ 136.950 e a versão Momentum sai por R$ 147.950. Já para o modelo V60, a versão Kinetic sai pelo preço de R$ 141.950 e a versão Momentum sai pelo preço de R$ 152.950.

Itens de série

Apesar de serem versões mais simples, tanto do sedã, quanto da station wagon, o fato é que a Volvo tratou de deixá-las bem equipadas e atraentes, para não perder a fama de sempre dar aos consumidores modelos realmente interessantes e com o que há de melhor em matéria de conforto. Deste modo, os modelos Kinetic chegam equipados com ar-condicionado digital de duas zonas, rodas de liga leve com 17 polegadas, faróis de xenônio com direcional ativo, bancos de couro e com regulagem elétrica para o motorista entre outras coisas. No que diz respeito à segurança, os modelos Kinetic trazem 6 airbags e freios ABS, além de também contarem sistema start-stop, que permite que o motor seja desligado automaticamente quando houver uma parada, e também apresentam sensor de ré. Para completar, estes modelos trazem sistema multimídia com tela sensível ao toque com 7 polegadas, perfeito para quem deseja tecnologia e conexão em todos os momentos. Já os modelos Momentum trazem tudo isto que é visto nos modelos Kinetic, além de GPS, teto solar, rodas de liga leve com aro de 18 polegadas, painel com três tipos de visualização e muito mais! 
A Volvo fez o anúncio da chegada ao mercado brasileiro das versões mais baratas para seus modelos S60 e V60 na última quarta-feira, dia 27 de maio.

Fonte: Salão do Carro
Categoria: Lançamentos

Chevrolet convoca recall da Captiva por falha que faz motor desligar sozinho

Chevrolet convoca recall da Captiva por falha que faz motor desligar sozinho





Fonte: R7

Bienville Legacy chega em junho com 300 cv

Bienville Legacy chega em junho com 300 cv

Uma moto futurista de visual extremamente excêntrico, a Bienville Legacy chama muita atenção também por conta de seu motor, já que é capaz de entregar uma potência impressionante para uma moto: 300 cavalos! A motocicleta diferenciada foi criada nos Estados Unidos, e deverá fazer sua estreia oficial no mercado mundial em junho, quando será apresentada com toda a pompa e circunstância durante o festival de Goodwood.

3 anos de desenvolvimento



O projeto que levou até o surgimento desta moto de visual diferenciado de tudo que já se viu no mundo, chamada de Bienville Legacy, durou nada menos do que 3 anos de muito desenvolvimento. Como fruto de todo este trabalho, o mundo terá a partir do final de junho deste ano, durante a edição 2015 do famoso festival de Goodwood, que será realizado no Reino Unido, uma moto equipada com um motor V4 de 1.560 cc, que é capaz de desenvolver até 300 cavalos de potência. O segredo para que esta motocicleta consiga ter tamanha potência à sua disposição tem muito a ver com a presença de um sistema “supercharged” com sobrealimentação de ar, que contribui em muito para o aumento de potência final do motor. Com isto, esta motocicleta de visual estranho passa a ter à sua disposição um nível de potência muito superior ao que é apresentado pela maior parte das motocicletas que estão no mercado atualmente, que não ultrapassa em muito a casa dos 200 cavalos de potência. A única moto do mercado atual que chega aos 300 cavalos de potência atende pelo nome de Kawasaki Ninja H2R, que é uma das motos mais rápidas do mercado também.

Mais inovações

Além de seu motor extremamente potente, a Bienville Legacy também oferece mais inovações, como o seu moderno sistema de suspensão dianteiro, que permite ajuste de inclinação e que é inédito no mercado. E seu visual, como já foi dito anteriormente, é um verdadeiro caso à parte, afinal de contas ela apresenta seu motor, de modo completamente exposto, e traz, entre outras coisas diferenciadas, um farol dianteiro pequeno. Ainda não se sabe muito sobre se esta motocicleta irá ser lançada comercialmente, e também não se sabe ao certo quando isto poderá acontecer, e para completar, também não foi divulgado qualquer valor preliminar para estipular seu preço de mercado, que, com certeza, não deverá ser dos mais baixos, afinal de contas, estamos falando de uma moto rápida e exótica.
Uma moto futurista de visual extremamente excêntrico, a Bienville Legacy chama muita atenção também por conta de seu motor de 300 cv.

Fonte: Salão do Carro
Categoria: Motos

29 de mai de 2015

Mazda lança campanha com astro da série Breaking Bad

Mazda lança campanha com astro da série Breaking Bad

Conteúdo em Vídeo
A Mazda, uma das montadoras automobilísticas mais tradicionais do planeta e que possui na América do Norte um mercado em crescimento, lançou esta semana a sua mais nova campanha comercial. Os filmes são estrelados pelo ator Aaron Paul, que ficou conhecido mundialmente pelo seu papel na série de sucesso Breaking Bad. O ator narra o comercial, falando com rimas e trocadilhos sobre a vida de um jovem que tem uma vida dentro do estilo americano de sucesso, come ele conseguindo ir para uma faculdade, chegando a vida adulta com um bom emprego e criando seus filhos.

Durante todas as etapas da sua vida o filme mostra que o jovem e depois adulto sempre este acompanhado de um carro da marca Mazda, tanto para os momentos de trabalho, quanto para os momentos de diversão, namoro, etc. Com esta campanha institucional, a Mazda pretende utilizar algumas armas consagradas na publicidade dos Estados Unidos para conseguir conquistar cada vez mais o coração dos norte-americanos. Já o ator acabou sendo escolhido por conseguir dar um tom emocional, mas com leveza e diversão, para a narração. 
Aaron Paul foi convidado para as propagandas da América do Norte.

Fonte: Salão do Carro
Categoria: Vídeos

43% dos consumidores querem quitar dívidas para comprar carro, diz pesquisa

43% dos consumidores querem quitar dívidas para comprar carro, diz pesquisa



Carro é sonho de consumo Epitácio Pessoa/Estadão Conteúdo Quase metade (43%) dos consumidores endividados afirmam que, caso consigam quitar suas dívidas, pretendem realizar o sonho da compra de um carro, aponta pesquisa da Boa Vista SCPC. A Boa Vista SCPC perguntou para ao grupo o que eles pretendiam fazer tão logo pagassem suas dívidas ou limpassem os nomes junto ao serviço de proteção ao crédito. Outros 23% afirmaram querer acertar a situação financeira para adquirir a casa própria; 8% devem comprar eletrodomésticos; 7%, material de construção; 6%, móveis; 4%, eletrônicos; 3% pretendem comprar um aparelho de telefonia celular e outros, 6%. Quando questionado sobre o "sonho de consumo", 56% afirmam que é a casa própria, seguido do carro (23%), viagens (8%), estudos (2%) e outros (8%). Já 3% dos entrevistados dizem não ter nenhum sonho de consumo. E 80% dos consumidores não estão preparados para a realização de seu sonho de consumo no momento, mas acreditam (96%) que o realizarão no futuro. Ainda de acordo com a pesquisa, apesar de registrar um alto porcentual entre os consumidores, o otimismo sobre a projeção de sua situação financeira para os próximos 12 meses diminuiu consideravelmente, de 90% em dezembro de 2014 para 80% em março de 2015. E aumentou de 2% para 7% o porcentual dos que julgam que a situação financeira estará pior até março de 2016. Para 13%, estará igual. Para 35% dos entrevistados, as dívidas aumentaram em relação ao ano passado. Em março de 2014, esse porcentual era de 27%. Para 25%, as dívidas diminuíram e para 40% permanecem iguais. — Mais uma vez o consumidor revela amadurecimento, como temos constatado em sucessivas pesquisas. Ao se declarar não preparado no momento para realizar o seu grande sonho de consumo - a casa própria -, o consumidor demonstra não só que está com o pé no chão, mas também a consciência da importância de sua reputação de crédito, pois se trata de uma aquisição totalmente dependente do crédito — afirma Dorival Dourado, presidente da Boa Vista SCPC. Os pesquisadores da Boa Vista questionaram também os consumidores sobre qual seria a maior causa da inadimplência que os teria levado às restrições financeiras. O desemprego foi citado por 35% dos consumidores, seguido de descontrole financeiro (28%), diminuição de renda e mais despesas extras (17%), empréstimo do nome a terceiros (11%), e outros motivos (9%). O desemprego tem afetado mais as famílias que ganham até três salários mínimos de renda familiar mensal (41%). Dívidas com móveis, eletrodomésticos e eletroeletrônicos foram os produtos que geraram a inadimplência para 25% dos consumidores, seguido de contas diversas como IPVA, IPTU, condomínio, academia, educação (17%), vestuário e calçados (16%) alimentação (15%), contas de consumo como água, luz e gás (14%) empréstimo pessoal (7%), materiais de construção (4%) e financiamentos de casa e veículo (2%). Leia mais notícias de Economia

Fonte: R7

Volks lança comercial do Passat TDI e provoca Chrysler

Volks lança comercial do Passat TDI e provoca Chrysler

Conteúdo em Vídeo
Aquelas pessoas que acompanham a guerra de marcas dos Estados Unidos sabem que por lá as coisas costumam ser mais quentes do que em outros países. Algo muito comum é as concorrentes diretas e indiretas acabarem se provocando utilizando campanhas publicitárias. E o mais novo caso é o dá Volkswagen. Neste caso a montador lançou um filme como parte da campanha de lançamento do Passat TDI e resolveu dar uma provocada na sua rival a Chrysler.

No filme vemos três crianças em uma loja de conveniência que acabam provocando uma verdadeira guerra de alimentos no local, enquanto esperam a sua mãe terminar de abastecer o seu Chrysler 300. Na sequência as imagens mostram uma outra mãe, que está dirigindo o seu Passat TDI, e que está tranquilamente com seus filhos dentro do veículo. A ideia geral do vídeo é mostrar ao mundo que este modelo da Volks está preocupado com o desperdício dos recursos naturais do planeta, já que o novo Passat utiliza o Diesel.
Campanha publicitária está sendo veiculada nos Estados Unidos.

Fonte: Salão do Carro
Categoria: Vídeos

28 de mai de 2015

Carros mais baratos da História

Carros mais baratos da História

Há quem diga que não faz nada sem carro, seja para viajar ou se deslocar a algum lugar mais próximo de casa.  Para outras pessoas a customização e aprimoramento constantes são os fatores mais importantes, enquanto que em outro cenário é encarado como item colecionável, símbolo de status e poder. No entanto, existem pessoas que o enxergam como um investimento importante, mas cauteloso, digamos, sem que impacte tanto assim no bolso.  Desde o início da fabricação em massa, carros com preços acessíveis são destaques de venda ou de uma época, com valores similares a de um smartphone e acesso abrangente. Confira três modelos que marcaram na história!

Flyer – Red Bug



Smith Flyer, também conhecido como Red Bug, foi classificado pelo Guiness World Records como o caero mais barato de sempre, vendido por 120 a 150 dólares, o equivalente a 1200 a 1500 dólares atualmente. Construído em 1922 pela Briggs Stratton Co. de Milwauke, nos Estados Unidos, o veículo possuía o design semelhante a de um triciclo, mas com quatro rodas,  e chamava a atenção também pela simplicidade de sua estrutura. Confira as maiores curiosidades sobre o modelo.
  • Red Bug pesava 111kg;
  • Sua plataforma era formada por tábuas de madeira;
  • O nome “Flyer” se deve a uma elevação provocada pelo arranque do motor produzido pela tração da quinta roda, acionada por meio de uma alavanca.

Ford T



O Ford T é um dos veículos mais importantes da história. Responsável pela inauguração da linha de montagem mundial, o modelo centenário foi resultado do desejo do criador Henry Ford de democratizar o automóvel, unindo valor acessível, produção em escala e ampla gama de peças para reposição. Em um período em que quase não se tinha referência sobre o assunto e, principalmente, usabilidade de automóveis, o econômico Ford T superou expectativas ultrapassando 15 milhões de vendas entre os anos de 1908 e 1927.

Tata Nano



Com custo de aproximadamente R$ 5.232, o indiano Tata Nano foi idealizado como o carro 0 km mais barato do mundo. Lançado em 2008, o compacto possui acabamento todo em plástico duro, dois cilindros, 38 cv e alcança a velocidade máxima de 105 km/h perdura no mercado com a proposta de atender a um público que busque por simplicidade e praticidade na locomoção. O modelo com acaba de ganhar sua nova geração, o Tata GenX Nano, com retoques estéticos e melhorias técnicas, como o câmbio manual. O investimento é de aproximadamente R$ 9,5 mil.
Desde o início da fabricação em massa, carros com preços acessíveis são destaques de venda ou de uma época. Confira alguns deles!

Fonte: Salão do Carro
Categoria: Curiosidades

Hyundai lança HB20S Impress

Hyundai lança HB20S Impress

Um dos sedãs mais interessantes do mercado brasileiro na atualidade, o Hyundai HB20 ganhou uma versão diferenciada, mais moderna e com pacote diferenciado para os consumidores brasileiros. Esta versão atende pelo nome de Hyundai HB20S Impress, que chega com rodas com 15 polegadas, faróis com sensor crepuscular e bancos forrados com couro perfumado, e que traz o preço de R$ 53.665.

A partir de junho nas lojas de todo o Brasil



O Hyundai HB20S Impress deverá chegar ao mercado brasileiro oficialmente a partir de junho deste ano, com preço estipulado em R$ 53.665 e com motor 1.6 litro que é capaz de entregar uma potência de nada menos do que 128 cavalos. Esta versão especial do sedã tem como base a versão Comfort Style do hyundaiHB20, e também apresenta um sistema de transmissão manual com 5 velocidades, tendo também a opção de sistema de transmissão automática com 4 velocidades. Como já foi dito anteriormente, o modelo chega com bancos revestidos de couro perfumado com costuras em cinza, além de retrovisores elétricos com repetidores de seta, faróis com acendimento automático e sensor de estacionamento, entre outras coisas.

Modernidade para os mais jovens

Voltado para um público mais jovem, assim com a versão hatch do modelo, o Hyundai HB20S Impress chega equipado com itens de modernidade, como o sistema multimídia com tela sensível ao toque com 7 polegadas. Este sistema de multimídia tem funções de rádio integradas, e também conta com reprodutor de fotos e de vídeos, além de TV digital e conectividade Bluetooth. Apesar de ter tantos recursos, este sistema multimídia que equipa o Hyundai HB20S Impress não conta com sistema de navegação por GPS integrado, sendo que este item se encontra à parte.

Externamente muito belo

O Hyundai HB20S Impress não é apenas uma versão especial que apresenta itens de tecnologia e de conforto, sendo que ele também conta com um design externo muito elegante e belo. Esportivo, ele apresenta rodas de liga leve com 15 polegadas com acabamento diamantado e com emblemas do Impress posicionados nas laterais do veículo. A Hyundai informou que o HB20S Impress será disponibilizado para os consumidores brasileiros nas cores Preto Onix, Prata Metal e também na Branco Polar. A montadora também já afirmou que além de especial, esta também é uma edição limitada, já que deverá ter apenas 3 mil unidades produzidas. A versão com transmissão automática sairá pelo preço de R$ 57.225. 
O Hyundai HB20S Impress deverá chegar ao mercado brasileiro oficialmente a partir de junho deste ano, com preço estipulado em R$ 53.665.

Fonte: Salão do Carro
Categoria: Lançamentos

Hyundai i30 é convocado pra recall devido a falha na direção elétrica

Hyundai i30 é convocado pra recall devido a falha na direção elétrica

Nos últimos dias não foram muitos os veículos convocados para recall, no entanto, nas vezes em que isso ocorreu o número de unidades envolvidas de modo geral foi consideravelmente alto. Leia também:
  • Surgem novos detalhes sobre a próxima geração da Toyota Hilux – Veja
  • Hyundai cogita produção de novo modelo no Brasil e já considera a exportação do HB20
  • Hyundai HB20 surge novamente na liderança de vendas na parcial de abril – Veja o ranking
E agora nessa semana quem enfrenta algo nesse sentido é o Hyundai i30. A montadora CAOA anunciou nesta última quarta-feira (29) o recall de 15.723 unidades do referido modelo, o motivo é uma possível falha de comunicação nos sinais eletrônicos da direção elétrica.

Agora você confere quais são as unidades envolvidas e todos os detalhes sobre o recall



Estão convocados para reparo os veículos Hyundai i30 fabricados entre novembro de 2009 e abril de 2010. Os chassis das unidades envolvidas vão de KMHDC81EABU085807 a KMHDC51EBBU267435 e o agendamento pode ser feito de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h através do telefone disponibilizado pela marca, cujo número é o 0800-7703355. De acordo com o comunicado feito pela empresa, o problema detectado nos supracitados veículos pode levar ao acendimento da luz de advertência "EPS" no painel e também o desligamento da assistência elétrica da direção, o que deve deixar o volante mais “pesado” que o normal e causar certa dificuldade nas manobras. Em declarações a empresa também aconselhou os proprietários a observarem o painel e o esforço necessário na direção antes de sair com o veículo. E nos casos em que a anomalia for observada o motorista deverá conduzir o veículo imediatamente a uma concessionária da marca para que o reparo seja procedido. Já aqueles que não observarem a anomalia, mas são proprietários de veículos envolvidos na convocação, devem agendar gratuitamente a inspeção, que inclusive já começou neste dia 29 de abril.

Fonte: R7

Teste do novo Mitsubishi Outlander

Teste do novo Mitsubishi Outlander

A Mitsubishi agiu rápido. Durante o Salão de Nova Iorque, em abril último, a japonesa revelou ao mundo o novo Outlander, com design remodelado – principalmente na dianteira. E apenas um mês depois, a fabricante já desembarcou o crossover no Brasil. Além da nova cara, o modelo ganhou uma novidade extra: uma versão diesel. O face-lift de emergência feito pela Mitsubishi veio depois de várias críticas globais à sua terceira geração. Mas a estética rejeitada parece não ter afetado as vendas no Brasil. Em 2013, o Outlander emplacou quase 1.100 unidades/mês após sua estreia, em agosto. No ano seguinte, manteve o patamar projetado pela marca nipônica, com pouco mais de 600 carros mensais – justamente o dobro do antecessor. Agora, com a reestilização e a nova motorização, os planos são mais otimistas: 800 emplacamentos por mês.

Como já era de esperar, o face-lift mexeu nas extremidades do carro e, de quebra, revelou o visual que os próximos carros da Mitsubishi devem adotar. A dianteira foi a mais retocada. Ganhou um arrojado desenho no para-lamas e para-choque em forma de “X”, que agrega um novo painel cromado com desenho futurista. As entradas de ar e farol de neblina com detalhes cromados também foram remodelados. A luz de iluminação diurna completa o visual frontal. Atrás, as alterações são mais sutis. O aerofólio tem brake light e há um acabamento cromado na tampa do porta-malas, que integra lanternas em leds. O para-choque mais robusto reforça a estética “off-road”. A lateral vem com um friso que contorna os vidros e destaca a linha de cintura alta. O rack de teto e as maçanetas cromadas dão um toque de sofisticação, assim como as rodas de 18 polegadas de série. A Mitsubishi aproveitou a remodelação e diversificou o poder de atração do modelo no Brasil. Agora, o crossover conta com um inédito motor diesel de quatro cilindros, 2.2 litros com turbo de geometria variável, intercooler, injeção direta e duplo comando no cabeçote. De acordo com a marca japonesa, o propulsor proporciona maior torque e economia de combustível. Em números, são 165 cv e 36,7 kgfm. A motorização diesel se junta a outras duas já existentes a gasolina. A versão de entrada vem equipada com um 2.0 litros de 160 cv e 20,1 kgfm – igual ao do sedã Lancer. Nas configurações GT e GT Full Technology Pack, quem faz a força é o V6 3.0 litros de 240 cv e 31 kgfm. A complementação do trem-de-força varia de acordo com a versão. Na 2.0 litros, a transmissão agora é CVT com simulação de 6 marchas e tração dianteira. Já nas versões V6 e diesel, o Outlander se torna 4X4 com câmbio automático de seis marchas.

Com o preço de R$ 173.990, o novo Outlander com motor diesel chega para ficar no topo da gama. Segundo a Mitsubishi, deve responder por 20% do “mix” do crossover, o que representaria 160 das 800 unidades/mês projetadas. Para isso, a lista de equipamentos é um diferencial: ar-condicionado de duas zonas, tampa do porta-malas com abertura e fechamento automáticos, teto solar e sistema multimídia com tela “touch” de 7 polegadas. Mas o Outlander se destaca mesmo é na segurança. Além de airbags dianteiros, laterais, de cortina e de joelho, é recheado eletronicamente: alerta sonoro de mudança de faixa no painel, caso o motorista faça a manobra involuntariamente, controles de tração e estabilidade e assistente de partida em rampa. O “pacote” ainda inclui duas tecnologias interessantes e que trabalham em conjunto. O ACC – ou controle de cruzeiro adaptativo – programa a velocidade que deseja andar e, caso um veículo entre na frente, o carro a reduz automaticamente para manter a distância. Se o da frente frear, o Outlander acompanha a frenagem. O outro é o FCM – Foward Collision Mitigation –, um sistema que utiliza um radar para controlar a distância de possíveis obstáculos à frente. Ao entrar em margem de risco, ativa um alarme sonoro e aviso no painel que solicita uma ação de frenagem. Caso o condutor fique sem reação e a velocidade relativa entre o Outlander e o obstáculo for de até 30 km/h, o sistema freia o veículo de forma autônoma. E os carros vão ficando cada vez mais “à prova de barbeiragens”...

Ponto a ponto

Desempenho – O motor turbodiesel de 2.2 litros, 165 cv e 35,7 kgfm de torque move o Outlander sem grandes dificuldades. A transmissão automática de seis marchas também consegue aproveitar a melhor faixa de torque e garante desenvoltura e vigor ao crossover. Quem quiser explorar aimda mais o potencial do “powertrain” pode acionar as “borboletas” no volante para trocas de marchas manuais. Nota 8. Estabilidade – A Mitsubishi diz ter aumentado a rigidez estrutural do chassi e da suspensão do Outlander em relação ao modelo anterior. Na prática, o modelo se mostra mesmo equilibrado e versátil. As rolagens de carroceria são controladas e a sensação de segurança se faz presente, seja em trechos sinuosos, nas pistas ou nos altos e baixos dos trajetos off-road. Nota 8.

Interatividade – É fácil se acostumar com todos os comandos. A central multimídia é intuitiva, os paddle-shifts são generosos e o volante tem ótima empunhadura. Somente o ajuste dos retrovisores elétricos – atrás do volante – e o freio de mão – mais para o lado do carona – são mal localizados. A troca do estilo de tração é executada por um botão situado atrás do câmbio automático. Nota 8. Consumo – O Outlander com motorização diesel não participa do Programa Brasileiro de Etiquetagem do InMetro. Durante a avaliação, o crossover registrou uma média de 13,1 km/l em trecho predominantemente de rodovia. Nota 7.

Conforto – Talvez a maior virtude do modelo. Os bancos, além de serem aquecidos, têm boa densidade e há espaço suficiente para acomodar cinco pessoas sem apertos. A acústica é eficiente em isolar o tradicional ruído dos motores diesel. Outra característica desse tipo de propulsor é a vibração. Porém, no Outlander ela é imperceptível. Nota 9. Tecnologia – O Outlander é bem fornido nesse aspecto. Principalmente no que tange à segurança. Nove airbags, controles eletrônicos de estabilidade e tração, frenagem automática, alerta de mudança involuntária de faixa e piloto automático adaptativo são os “highlights”. O modelo ainda conta com novo motor diesel e a plataforma é bem recente. A central multimídia completa fecha o pacote. Nota 9.
Habitabilidade – Entrar e sair do Outlander é facilitado pelo bom ângulo de abertura das portas. A cabine tem porta-copos e porta-objetos suficientes para levar itens de uso rápido como celular, carteira e chaves. A última fileira de bancos é onde adultos podem passar alguma dificuldade e não é aconselhável passar muitas horas ali. O porta-malas leva quase 800 litros com a terceira fileira de bancos ereta, mas chega a generosos 1.625 litros com todos os bancos de trás abaixados. Nota 9. Acabamento – A mistura dos plásticos emborrachados e duros no habitáculo conferem qualidade ao modelo, mas não transmite requinte. Volante e painel têm detalhes em plástico preto brilhante com moldura prateada e as portas ganharam materiais emborrachados. O ambiente é sóbrio, porém não traz o nível de sofisticação que o preço sugere. Nota 7.
Design – Definitivamente o Outlander melhorou no quesito estético. O desenho sem graça de antes ganhou uma revitalizada com a nova dianteira toda brilhante devido à grande quantidade de cromados. E é melhor se acostumar. O Outlander antecipa o design que os futuros Mitsubishi irão ter. Atrás, pequenas mudanças contribuíram para a harmonia do veículo. Nota 8. Custo/benefício – O Mitsubishi Outlander Diesel não tem um concorrente direto com tal motorização. A marca japonesa acredita que seu carro reestilizado possa brigar diretamente com Kia Sorento e Honda CR-V – todos a gasolina ou flex. A favor do modelo da Mitsubishi está o novo motor e tecnologias, como o controle de cruzeiro adaptativo com frenagem automática. Para tudo isso existe um preço. E não é barato: R$ 173.990. A versão de entrada sai por menos de R$ 115 mil. O valor é um pouco mais baixo do que a Honda cobra pelo CR-V EXL 4X4 – R$ 115.900 – com apenas cinco lugares e motor flexível 2.0 litros e 155 cv – com etanol. Equipado a altura – sem piloto automático inteligente, mas com motor V6 de 278 cv –, o Kia Sorento topo de linha sai a R$ 149.900. Nota 5. Total – O Mitsubishi Outlander Diesel somou 79 pontos em 100 possíveis.

Impressões ao dirigir

Mogi Guaçu/SP – A reestilização fez bem ao Mitsubishi Outlander. O novo design deu ao crossover uma “cara” moderna e mais palatável que o carro que chegou aqui em 2013. A estética acompanha a nova identidade visual “platinada” dos carros da fabricante nipônica no mundo.  Já no complexo da Mitsubishi, no interior paulista, foi possível botar a grande novidade à prova na terra e no asfalto: o Outlander diesel. No acidentado, porém leve circuito off-road, o modelo mostrou que pode encarar uma “laminha”, áreas pouco alagadas, valetas e trechos em cascalho sem acusar muito o “golpe”. Só não vale exagerar. Para aquela “estradinha” de terra até o sítio no final de semana o crossover se sai muito bem. O modelo tem robustez e o torque de 36,7 kgfm ajuda no “fôlego”
Entretanto, o crossover de mais de R$ 170 mil se sente mais à vontade na estrada. A Mitsubishi afirma ter aumentado a rigidez estrutural do chassi e da suspensão, além de reforçar o isolamento acústico. E isso ficou bem claro nos mais de 100 quilômetros percorridos – ida e volta – entre as cidades paulistas de Mogi Guaçu e Holambra. O conjunto suspensivo consegue absorver as poucas imperfeições das estradas do interior paulista e, em alta velocidade, o carro não demanda muitas correções na direção. Apesar do motor diesel, não há vibração e barulho em excesso no habitáculo.  O ponto-chave do Outlander é o conforto. E o controle de cruzeiro adaptativo é uma bom exemplo disso. Ao ajustar a velocidade e a distância do carro frente, o Outlander se torna praticamente autônomo. Caso um veículo entre na trajetória do crossover, o sistema reduz a velocidade automaticamente e mantém uma distância segura – que tem três ajustes. Com a rota livre, a tecnologia retoma a aceleração. Resta ao condutor, com tanto conforto, resistir a um breve cochilo.

Ficha técnica

Mitsubishi Outlander

Motor 2.0: Gasolina, dianteiro, transversal, 1.998 cm³, quatro cilindros em linha, quatro válvulas por cilindro. Injeção e acelerador eletrônicos.
Transmissão: Câmbio automático continuamente variável à frente (CVT) e uma marcha a ré. Tração dianteira. Oferece controle eletrônico de tração.
Potência máxima: 160 cv a 6 mil rpm.
Torque máximo: 20,1 kgfm a 4.200 rpm.
Diâmetro e curso: 86,0 mm x 86,0 mm.
Taxa de compressão: 10,0:1.
Peso: 1.426 kg. Motor V6 3.0: Gasolina, dianteira, transversal, 2.998 cm³, seis cilindros em “V”, quatro válvulas por cilindro. Injeção eletrônica. 
Transmissão: Câmbio automático de seis marchas à frente e uma a ré. Tração integral com distribuição eletrônica. Oferece controle eletrônico de tração.
Potência máxima: 240 cv a 6.250 rpm
Torque máximo: 31 kgfm a 3.750 rpm
Diâmetro e curso: 86 mm x 97,6 mm.
Taxa de compressão: 14.9:1 
Peso: 1.585 kg. Motor 2.2: Diesel, dianteiro, transversal, 2.268 cm³, quatro cilindros, quatro válvulas por cilindro, turbo com intercooler, comando duplo no cabeçote e injeção direta. Acelerador eletrônico.
Transmissão: Câmbio automático de seis marchas à frente e uma a ré. Tração integral com distribuição eletrônica. Oferece controle eletrônico de tração.
Potência máxima: 165 cv a 3.500 rpm
Torque máximo: 36,7 kgfm entre 1.500 e 2.750 rpm
Diâmetro e curso: 86 mm X  97,6 mm.
Taxa de compressão: 14,9:1
Peso: 1.640 kg. Tanque de combustível: 60 litros
Suspensão: Dianteira independente do tipo McPherson, molas helicoidais e barra estabilizadora. Traseira independente do tipo multi-link, com molas helicoidais e barra estabilizadora.
Pneus: 225/55 R18.
Freios: Discos ventilados na frente e sólidos atrás. Oferece ABS com EBD.
Carroceria: Utilitário esportivo em monobloco, com quatro portas e cinco (sete) lugares. Com 4,69 metros de comprimento, 1,81 m de largura, 1,68 m de altura e 2,67 m de entre-eixos. Oferece airbags frontais, laterais e de cortina de série.
Capacidade do porta-malas: 798 litros (1.625 com a segunda e terceira fileiras de banco rebatidas).
Produção: Mizushima, Japão.
Lançamento mundial: 2012.
Reestilização: 2015.

Itens de série

2.0 litros: transmissão CVT, aerofólio traseiro na cor do veículo com brake light, espelhos retrovisores externos elétricos com rebatimento na cor do veículo com luz indicadora de direção e com sistema de desembaçamento, faróis halógenos, faróis de neblina, maçanetas na cor do veículo, rack de teto, teto solar, abertura interna da tampa de combustível, ar-condicionado digital automático, banco do motorista com ajuste elétrico, bancos dianteiros com aquecimento e revestidos em couro, comandos de áudio no volante, direção com assistência elétrica, piloto automático sensor de chuva para acionamento do limpador do parabrisa dianteiro, sensor crepuscular, sistema de áudio com rádio AM/FM com RDS, CD/MP3/DVD, Mini SD-Card, Bluetooth, áudio streaming, USB com interface para iPod e iPhone, troca de marcha no volante, volante com ajuste de altura e profundidade, volante e manopla do câmbio revertidos em couro, keyless e airbag frontal, lateral, de cortina e para o joelho do motorista.
Preço: R$ 114.990.
V6 3.0 GT: central multimídia com tela de sete polegadas, sete lugares, ar-condicionado digital automático dualzone, controle eletrônico de estabilidade, assistente de rampa, tração 4X4 e transmissão automática de seis marchas.
Preço: R$ 141.990.
V6 3.0 GT Full Technology Pack: maçanetas cromadas, câmara de ré, controle de cruzeiro adaptativo com frenagem automática, alerta de mudança de faixa, faróis baixo em leds com lavador e regulagem automática do facho.
Preço: R$ 151.990.
2.2 diesel: equipamento da GT Full Technology + motor diesel
Preço: R$ 173.990.
Autor: Raphael Panaro (Auto Press)
Fotos: Raphael Panaro/Carta Z Notícias e Divulgação

Teoria evolutiva - Mitsubishi reestiliza Outlander e adiciona versão diesel para emplacar 800 unidades por mês no Brasil

Fonte: Salão do Carro
Categoria: Testes

Teste da Chevrolet Spin Activ automática

Teste da Chevrolet Spin Activ automática

De uns anos para cá, a indústria automotiva enxergou potencial de lucro no nicho de modelos com estética aventureira. Mas a Chevrolet resistiu a criar sua primeira versão em um carro de passeio. Até mostrar, no ano passado, no Salão de São Paulo, a Spin Activ. Com a configuração, a marca oferece uma alternativa ao seu SUV mais barato – o Tracker, que começa na casa dos R$ 90 mil – com um modelo que alia bom espaço interno a um porta-malas capaz de evidenciar sua vocação familiar, com excepcionais 710 litros de capacidade.

Veja também:
  • Primeiras impressões da Chevrolet Spin Activ
Na frente, o para-choque da Spin foi redesenhado para a versão Activ. Vincos pronunciados nas extremidades e aplique na parte inferior em tom fosco escuro se juntam às molduras de proteção nos para-lamas, soleira das portas e um largo decalque e barra longitudinal que se estendem sobre todo o teto para transmitir a impressão de vocação aventureira. Retrovisores externos e coluna central pretos e adesivos alusivos à versão são outros artifícios usados nessa roupagem off-road. Mas o diferencial mais explícito das configurações convencionais é mesmo o estepe fixado na tampa do porta-malas e as rodas de liga leve diamantadas de 16 polegadas, que acompanham pneus mais largos, 205/60, de uso misto. Com isso, está 8 mm mais alta.  O interior tem bancos com desenho exclusivo e revestimentos em preto. O sistema multimídia MyLink com tela sensível ao toque e de sete polegadas chega de série e envolvido por uma moldura prateada. Outros itens de conforto fazem parte do pacote da versão Activ, como ar-condicionado, direção hidráulica, retrovisores e vidros elétricos e sensores de estacionamento traseiros. Mas, mesmo sendo baseada na configuração de topo LTZ, a Active não tem opção de sete lugares.

O motor é o mesmo 1.8 litro de 106/108 cv com gasolina/etanol utilizado nas demais versões da minivan. A transmissão pode ser manual de cinco velocidades ou automática de seis. Mas, nesse último caso, trata-se da nova GF6, que foi recalibrada recentemente para diminuir o tempo das trocas de marchas e melhorar a eficiência das reduções. Além disso, a suspensão foi mexida para a versão, com acerto levemente mais rígido. Mas nada que mude tanto o comportamento dinâmico da minivan.

Ponto a ponto

Desempenho – São 106/108 cv com gasolina/etanol no tanque e 1.325 kg. Para uma tocada mais pacata, o propulsor 1.8 é mais que suficiente para mover a versão pseudoaventureira da Spin. Como o torque máximo de 16,4/17,1 kgfm aparece a 3.200 rpm com etanol/gasolina – e boa parte dele já fica disponível a partir dos 2.500 rpm, não há decepções nas saídas de sinal. O câmbio automático de seis velocidades é moderno e trabalha em boa sintonia com o motor. As ultrapassagens e retomadas são favorecidas com a redução de até três marchas. Nota 7. Estabilidade – A vocação de minivan da Spin pede uma suspensão que priorize o conforto, mas a versão Activ recebeu uma nova calibração que deixou o conjunto um pouco mais rígido. É tranquilo manter o carro em sua trajetória, mas ainda assim a carroceria aderna consideravelmente em curvas. Não chega a transmitir insegurança. Nota 7.

Interatividade – Os comandos principais do carro estão em lugares fáceis e têm uso bem intuitivo. A posição de dirigir – mais elevada – facilita a visibilidade dianteira e o grande vidro traseiro garante boa retrovisão. Mas abrir o porta-malas demanda o uso das duas mãos e uma certa familiaridade para lidar bem com a trava do estepe, que fica preso na tampa. Nota 7. Consumo – A Chevrolet não cede seus modelos para as avaliações do Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular, do Inmetro. Durante o teste, o computador de bordo marcou média de 8,6 km/l de gasolina, em trajeto urbano. Nota 6.

Conforto – Há bom espaço para os passageiros dianteiros e duas pessoas viajam com algum conforto no assento traseiro. A suspensão é macia e absorve bem os impactos das irregularidades do asfalto. Nota 7. Tecnologia – A plataforma é a mesma dos sedãs Cobalt e Prisma e do hatch Onix. Foi lançada em 2010 e é bem acertada. A transmissão automática de seis velocidades GF6 foi recalibrada recentemente, uma alteração que resulta em trocas em tempo 50% menor e reduções duplas e até triplas. O sistema multimídia com tela de sete polegadas é de série. Nota 7.

Habitalidade – O teto alto e o bom ângulo de abertura das portas facilitam bastante o acesso. O porta-malas leva invejáveis 710 litros, mas o espaço livre pode chegar a 1.668 litros com os bancos rebaixados. Nota 9. Acabamento – A Spin tem encaixes bem feitos e os materiais são aparentemente de boa qualidade. Mas não são bonitos nem têm toque suave. O excesso de plásticos rígidos cria uma atmosfera de carro popular que não condiz com um preço final de mais de R$ 70 mil da unidade testada. Nota 6.
Design – A versão Activ teve o para-choque dianteiro redesenhado, com aplique na parte inferior em tom fosco escuro. Faróis de neblina têm molduras em preto brilhante e os faróis ganham máscara negra e lentes transparentes. Rodas de liga leve diamantadas de 16 polegadas, molduras de proteção nos para-lamas, soleira das portas, rack de teto e estepe fixado na tampa do porta-malas completam o visual “off-road”. No geral, preserva o aspecto habitual da Spin – sem qualquer charme. Nota 7. Custo/benefício – A Chevrolet cobra iniciais R$ 67.250 pela Spin Activ, mas a cor metálica da versão testada adiciona R$ 1.300 à conta, além dos R$ 4.140 do pacote com transmissão automática e controle de cruzeiro. No total, a unidade avaliada custa R$ 72.690. Um Fiat Doblò Adventure tem sete lugares e motor 1.8 de 132 cv e 18,9 kgfm de torque, mas custa R$ 81.775 equipado à altura, só que sem transmissão automática e com sistema de bloqueio do diferencial dianteiro. Já pelo Idea Adventure Locker com equipamentos semelhantes e transmissão automatizada, com o mesmo motor do Doblò, a marca italiana pede R$ 71.915. Um Citroën Aircross 1.6 Auto Exclusive com sistema de multimídia com navegador GPS sai por R$ 71.690. A Volkswagen pede R$ 78.973 pelo Space Cross com sistema de som com GPS, mas sem estepe pendurado na traseira. Para quem precisa de mais espaço e porta-malas, a Spin pode ser a melhor opção. Mas sem essa necessidade, não é. Nota 6. Total – A Chevrolet Spin Activ automática somou 69 pontos em 100 possíveis.

Impressões ao dirigir

Design, definitivamente, não é o ponto forte da Spin. Mas a versão Activ carrega alguns atributos estéticos capazes de atrair a atenção de quem se interessa pelo apelo aventureiro que tanto tem feito sucesso no mercado automotivo. Mesmo se tratando apenas de uma roupagem off-road, já que a maior diferença nesse quesito com suas configurações tradicionais é a adoção de um conjunto de rodas e pneus maiores, que elevam a altura do carro em relação ao solo em 8 mm, ante as demais versões da Spin. O motor 1.8 litro de 108 cv com etanol no tanque move o veículo com eficiência, mas sem qualquer emoção. Não há sobras, mas o torque máximo de 17,1 kgfm já presente integralmente a 3.200 rpm favorece retomadas e ultrapassagens. Basta carregar com vontade o pedal do acelerador para sentir a transmissão automática de seis velocidades reduzir até três marchas para ganhar mais força. Quem prefere manter o controle sobre o câmbio pode se decepcionar, já que as trocas se dão através de botões na alavanca.
O amplo espaço interno é o principal trunfo do modelo. Quatro ocupantes viajam sem apertos e até um quinto pode ser incluído, preferencialmente para trajetos curtos. O porta-malas de 710 litros evidencia a vocação familiar da minivan, surpreendentemente grande para um modelo montado sobre uma plataforma compacta. A suspensão absorve bem os impactos causados pelos desníveis do asfalto brasileiro, mas o isolamento acústico deixa a desejar. Nas curvas, as rolagens de carroceria são perceptíveis, mas não chegam a prejudicar a dirigibilidade do modelo. Servem apenas como um alerta de que não se trata de um modelo para se levar ao limite em qualquer circunstância. Em linha reta, no entanto, mesmo em velocidades mais altas, não exige correções na direção.

Ficha técnica

Chevrolet Spin Activ Automática

Motor: Gasolina e etanol, dianteiro, transversal, 1.796 cm³, quatro cilindros em linha, duas válvulas por cilindro e comando simples no cabeçote. Acelerador eletrônico e injeção multiponto.
Transmissão: Câmbio automático de seis velocidades à frente e uma a ré. Tração dianteira. Não possui controle de tração.
Potência máxima: 108/106 cv a 5.400 rpm com etanol/gasolina.
Torque máximo: 17,1/16,4 kgfm a 3.200 rpm com etanol/gasolina.
Diâmetro e curso: 80,5 mm X 88,2 mm.
Taxa de compressão: 10,5:1.
Suspensão: Dianteira independente do tipo McPherson, com barra estabilizadora e amortecedores pressurizados. Traseira semi-independente por eixo de torção, barra estabilizadora e amortecedores pressurizados.
Pneus: 205/60 R16.
Freios: Discos ventilados na frente e tambores atrás. ABS de série.
Carroceria: Monovolume em monobloco com quatro portas e cinco lugares. Com 4,42 metros de comprimento, 1,73 m de largura, 1,69 m de altura e 2,62 m de distância entre-eixos. Airbag duplo frontal de série.
Peso: 1.316 kg (manual) e 1.325 kg (automática)
Capacidade do porta-malas: 710 litros.
Tanque de combustível: 53 litros.
Produção: São Caetano do Sul, São Paulo. 
Lançamento no Brasil: 2012.
Lançamento da versão: 2014.
Itens de série: Ar-condicionado, direção hidráulica, vidros e travas elétricas, ajuste de altura do banco do motorista, rodas de 16 polegadas, rack de teto, faróis de milha, sensor de estacionamento traseiro, computador de bordo e sistema de entretenimento MyLink com Bluetooth e USB. 
Preço: R$ 71.390. 
Opcional: Cor metálica. 
Preço completo: R$ 72.690.
Autor: Márcio Maio (Auto Press)
Fotos: Isabel Almeida/Carta Z Notícias

Caminho da roça - Chevrolet aposta na Spin Activ como alternativa de crossover com jeito aventureiro

Fonte: Salão do Carro
Categoria: Testes

27 de mai de 2015

Toyota mostra nova Hilux na Tailândia e na Austrália

Toyota mostra nova Hilux na Tailândia e na Austrália

De uma maneira geral, os utilitários têm sido as grandes surpresas do mercado automotivo. As picapes, por exemplo, não chegaram a abandonar a vocação de carro de carga e aventureiro. Mas agora aparecem também entre as opções de veículos familiares. E isso fica cada vez mais evidente conforme esses modelos vão sendo renovados. A oitava geração da Toyota Hilux, revelada na Tailândia e na Austrália – e que será mostrada no Salão de Buenos Aires, em julho –, agrega diversas novidades tecnológicas e alterações visuais que seguem essa tendência de versatilidade. Ou seja: a intenção é entregar um modelo que possa reunir, de uma só tacada, robustez e performance de um comercial leve com o conforto e equipamentos tecnológicos de carro de passeio.

Veja também:
  • Confira o novo teaser do Toyota Hilux 2016
  • Hilux e Golf R400 são flagrados antes de estreia oficial
O exterior ganhou faróis maiores, esticados e integrados à grade, luzes diurnas de leds e mais vincos na carroceria. A dianteira se assemelha ao sedã médio Corolla e o visual segue o adotado na reestilização da picape grande Tacoma, apresentada no último Salão de Detroit, nos Estados Unidos, em janeiro. As dimensões tiveram leves alterações em relação à sétima geração, lançada em 2005: mantém os mesmos 3,08 metros de distância entre-eixos nas versões cabine dupla, mas com ganho de 7 cm no comprimento e 2 cm na largura. A carroceria também recebe pontos de solda extras e utiliza aço de alta resistência.

Há três opções de calibração para a suspensão: Standard, Comfort – indicada para quem pretende passear em trajetos urbanos e no asfalto. Há ainda uma versão Heavy Duty, destinada ao transporte de cargas, com capacidade para até 3,5 toneladas e 1.240 kg de reboque. O pacote de suspensão mais robusto foi desenvolvido por engenheiros australianos e testado em trilhas off-road. De acordo com a equipe técnica, rigidez torcional e vibrações melhoraram consideravelmente. 

Por dentro, o acabamento se assemelha mais ao de um carro de passeio ou utilitário compacto do que ao de uma picape média. Tecnologias como partida do motor e abertura das portas por botão, com chave presencial, ar-condicionado automático e sistema multimídia com tela colorida e sensível ao toque com reprodução da câmara de ré, controles de tração, estabilidade e bloqueio do diferencial são alguns dos itens que estarão disponíveis. Chama atenção a grande quantidade de airbags: ao todo, podem chegar a sete. O espaço para os passageiros de trás também melhorou, com 3,5 cm a mais para os joelhos e 0,8 cm para a cabeça. Quem quiser transportar outras coisas dentro da cabine dupla pode ainda rebater os assentos de trás.

Sob o capô, são quatro opções de motorização, sendo duas a gasolina. O motor 2.7 de 157 cv da configuração de entrada é o mesmo oferecido no Brasil, sendo que aqui é flex e chega a 163 cv com etanol no tanque. Já o que equipa as versões de topo a gasolina é um 4.0 V6 de 281 cv. Há ainda duas opções turbodiesel. A mais forte traz um propulsor 2.8 litros com 177 cv – que substitui o anterior 3.0, de 171 cv –, enquanto a mais branda é composta por um 2.4 de 150 cv. O trem de força é completado por transmissão manual ou automática, sempre com seis velocidades. A marca ainda não divulgou informações de desempenho, consumo ou mesmo a data de início das vendas da oitava geração da Hilux. No Brasil, a expectativa é de que ela chegue no primeiro semestre do ano que vem, importada da Argentina.


Autor: Márcio Maio (Auto Press)
Fotos: Divulgação

Vida nova - Oitava geração da picape Toyota Hilux quer aliar robustez à aptidão familiar

Fonte: Salão do Carro
Categoria: Prévias

Piloto dirige carro real utilizando óculos virtuais

Piloto dirige carro real utilizando óculos virtuais

Conteúdo em Vídeo
A realidade virtual acabou ganhando um novo patamar de qualidade com o lançamento dos chamados Óculos Rift, que permite que as pessoas tenham uma completa imersão em um mundo criado no computador. Mas o que acontece quando um piloto conduz um carro de corrida de verdade utilizando este acessório? Foi seguindo esta ideia que a fabricante de óleo para motor Castor criou o conceito da sua mais nova campanha. O piloto Matt Powers foi convidado para participar de uma ação que tinha como principal objetivo promover a linha de diesel Edge Titanium Strong.

O desafio enfrentado pelo condutor profissional foi grande: conduzir um veículo de verdade em um grande e deserto estacionamento, sem enxergar nada do que estava acontecendo na sua frente. O piloto utilizou o modelo de óculos virtuais, que iam criando na tela uma série de desafios fantásticos, como se o piloto estivesse vivendo dentro de um grande videogame. O resultado da ação acabou sendo um vídeo muito interessante que mistura o carro andando no terreno real com a visão do piloto. De acordo com as informações que foram publicadas sobre os bastidores da gravação, a equipe levou meses para mapear completamente o local e criar os efeitos que eram projetos nos óculos, sempre preservando a segurança do piloto. 
Modelo de óculos Rift foi utilizado durante a condução de um veículo de corrida de verdade.

Fonte: Salão do Carro
Categoria: Vídeos

CNH Gratis, Carteira de Habilitacao Popular do Detran

CNH Gratis, Carteira de Habilitacao Popular do Detran

CNH Grátis, Carteira de Habilitação Popular do Detran - É muito bom quando uma pessoa completa seus 18 anos, pois é uma idade onde você se torna uma pessoa maior de idade e uma das primeiras coisas que muitas pessoas que completam seus 18 anos querem fazer é tirar sua carteira de motorista, para poderem sair por aí com amigos ou para festas sem precisarem pedir ao pai e incomodá-lo.

CNH Grátis, Carteira de Habilitação Popular do Detran

Não é tão fácil tirar uma carteira de motorista, pois você precisa passar nos testes das aulas praticas e teóricas e sem dizer que para você tirar a carteira de motorista você precisa pagar uma certa quantia e infelizmente tem algumas pessoas que não podem pagar esse valor que é cobrado pelas auto escolas. Para tais pessoas que não tem condições de pagar para tirar sua carteira de motorista temos uma ótima novidade. O Detran Departamento Estadual de Trânsito tem um programa que tem como objetivo ajudar muitas pessoas que querem tirar sua carteira de motorista, mas infelizmente não tem condições de pagar as aulas. O programa CNH Popular do Detran é um programa que disponibiliza que pessoas de baixa renda tirem sua carteira de motorista gratuitamente, tal programa já ajuda muitas pessoas em alguns estados brasileiros e agora irá ajudar as pessoas do estado de São Paulo também, o programa já ajudou e esta ajudando diversas pessoas no Ceará e agora é a vez do programa ajudar as pessoas de outros estados também. Aos poucos o programa vai ajudando as pessoas dos estados brasileiros, assim ajudando diversas pessoas.

Outro estado brasileiro que também já esta sendo beneficiado pelo programa é o estado de Pernambuco, em tal estado o programa é chamado de CNH Popular através do Detran-PE, em Pernambuco estão sendo disponibilizadas diversas vagas para pessoas que tem o grande sonho de tirar sua carteira de habilitação, mas que infelizmente não podem por causa da condição financeira. Para as pessoas que gostaram da idéia e querem tirar sua carteira de habilitação gratuitamente existem alguns requisitos que são estabelecidos para que o interessado se enquadre:
  • Beneficiários dos Programas Bolsa Família e Chapéu de Palha;
  • Egressos do sistema penitenciário;
  • Socioeducandos da FUNASE;
  • Desempregados;
  • Alunos do ensino médio e fundamental da rede pública estadual;
  • Trabalhadores com remuneração mensal de até dois salários mínimos;
  • Alunos da rede pública estadual de ensino com boas colocações no ENEM.
Existambém outros requisitos para para Primeira Habilitação:
  •        Ser maior de 18 (dezoito) anos;
  •        Saber ler e escrever;
  •        Possuir Cadastro de Pessoas Físicas – CPF;
  •        Comprovar domicílio no Estado.



Inscrição Carteira Motorista Popular

Para você que mora em PE e gostou da idéia acesse o site do Detran de Pernambuco, o site é http://www.detran.pe.gov.br/ através do site você encontra todas as informações que você precisa para poder tirar sua carteira de habilitação gratuitamente. O site do Detran de CE é portal.detran.ce.gov.br/carteira-de-motorista-popular, não perca seu tempo acesse os sites e agarre essa grande oportunidade com todas as suas forças. Com esse programa as pessoas de baixa renda podem tirar sua carteira de habilitação de categoria A, hoje em dia para você poder tirar sua carteira de habilitação você irá gastar cerca de R$ 900,00, pois nesse valor é incluso as aulas, exames médicos, dentre outras coisas.
Conteúdo avaliado com média:

Fonte: R7