30 de abr de 2015

Ghosn gostou da entrada da Apple entre os veículos elétricos

Ghosn gostou da entrada da Apple entre os veículos elétricos



Tem horas que qualquer concorrência pode ser benéfica. Principalmente se é necessário reforçar a oferta em um segmento ainda incipiente, como o de carros elétricos. É a visão do chefão do grupo Renault-Nissan, Carlos Ghosn. O executivo nascido brasileiro mostrou-se empolgado com a entrada da Apple no mercado de carros elétricos. Para quem não lembra, a Nissan prometeu viabilizar os carros elétricos e, além do sucesso do Leaf, está se dando bem com a linha de emissões zero da Renault. Então dá para entender a reação dele quando a Apple anunciou que faria um carro elétrico comercialmente viável até 2020. Segundo o site especializado Adweek, Ghosn afirmou que "quando a Apple afirma que virá com um carro elétrico até 2020, são boas notícias para nós". De acordo com o executivo, qualquer companhia que seja capaz de expandir a oferta de veículos do tipo, será bem-vinda. Outras como a General Motors não aceitaram tão bem. Olha que o próximo desafio da Apple ainda é o carro autônomo, algo que a Nissan prometeu viabilizar no mercado até, vejam só, 2020. Seja como for, faz sentido. A ofensiva do fabricante de eletrônicos não será pequena. Claro que, ainda hoje, muitos produtos lançados pelas gigantes digitais não conseguem virar no mercado. Mas alguém duvida que um carrinho elétrico da Apple não vá virar fetiche na mão dos geeks?

Fonte: R7

29 de abr de 2015

Vídeo: oficina Bendita Macchina customiza motos populares de baixa cilindrada a preços acessíveis

Vídeo: oficina Bendita Macchina customiza motos populares de baixa cilindrada a preços acessíveis






Modelos Honda e Yamaha de 125 cc são os mais customizados Diogo de Oliveira/R7 E se sua modesta 125 cc virasse uma moto única, com estilo próprio e marcante? Foi a partir desta ideia que surgiu, em 2013, a Bendita Macchina, oficina que customiza motos de baixa cilindrada na capital Paulista. O negócio começou no dia 1º de setembro daquele ano, num galpão no bairro do Ipiranga. Os sócios Billy Pasqua e Rodrigo Marcondes tinham apenas uma moto e uma caixa de ferramenta à disposição. Em um ano e meio de funcionamento, 20 motos foram customizadas e o business decolou. Agora em março, a Bendita ganhará novo endereço, no Largo da Batata, em Pinheiros, zona Oeste da capital paulista. A mudança levará a oficina para um local maior, melhor localizado e bem servido. Lá, os amantes das duas rodas poderão passar um tempo. Haverá cabelereiro, restaurante e até casa noturna. Motos customizadas chegam a custar o dobro dos modelos zero Divulgação Um nome diferente para cada moto Com processo 100% artesanal, a Bendita praticamente reinventa cada moto, sem alterar as características dinâmicas e de engenharia. Além do design singular, os modelos recebem um nome — caso da Yamaha Factor que virou Lambisgóia! "Nenhuma moto sai igual", pontua Billy. O designer explica que a oficina vai até o limite para não alterar as especificações das fabricantes, e segue à risca a lei brasileira. Formado em desenho industrial, Billy Pasqua já trabalhava com motos em concessionárias e, hoje, responde pelos projetos da Bendita. É ele quem desenha e controla a produção. Já Rodrigo Marcondes atuava com comércio exterior e usa a experiência para gerir a área comercial. Empolgado, o empresário diz que a empresa já possui clientes fora de São Paulo. O plano é expandir e chegar às grandes capitais do País, com a mesma proposta de fazer arte com motos populares. Confira abaixo o vídeo do bate-papo com os criadores da Bendita Macchina! Leia mais notícias de carros!

Fonte: R7

27 de abr de 2015

À francesa

À francesa

Eis que o C4 chega à sua última missão antes do desmonte: o teste em nosso campo de provas. A comparação dos resultados atuais com os obtidos no primeiro teste, aos 1 000 km, revela pequenas variações – positivas e negativas (veja o quadro comparativo abaixo). Nas provas de frenagem, a piora, ainda que pequena, foi uma constante. Nos exercícios de retomada de velocidade, porém, os 60 000 km deram mais fôlego ao C4, com tempos ligeiramente menores (e, portanto, melhores) do que aos 1 000 km. Consumo No mês: 8 km/l com 33,9% de rodagem na cidade
Desde jan/14: 6,5 km/l com 36,3% de rodagem na cidade
Combustível: etanol


Eis que o C4 chega à sua última missão antes do desmonte: o teste em nosso campo de provas. A comparação dos resultados atuais com os obtidos no primeiro teste, aos 1 000 km, revela pequenas variações – positivas e negativas (veja o quadro comparativo abaixo). Nas provas de frenagem, a piora, ainda que pequena, […]

Fonte: 4 Rodas Longaduração
Categoria: Citroën C4 Lounge
Autor: Redação

Lançamento: Mercedes-Benz S65 AMG

Lançamento: Mercedes-Benz S65 AMG




Lançamento: Mercedes-Benz S65 AMG Descubra o novo queridinho da linha S-Class, um V12 de 600 cavalos capaz de alcançar os 300 km/h com muito confortoSe Janis Joplin estivesse viva, provavelmente seria mais específica na hora de cantar a plenos pulmões o quanto queria seu Mercedes-Benz. “Oh, Lord, won’t you buy me a S65 AMG Coupé?”
Recentemente a marca alemã lançou o grande representante da linha S-Class, o S65 AMG Coupé, um supercarro que em poucos meses já entrou para a lista dos veículos mais luxuosos e cobiçados do mundo. Por quê? Bem, porque além de ser bem mais nervoso que seu irmão S63 V8, o novo Benz oferece nível de conforto sem precedentes para um esportivo, e se destaca de longe por suas linhas agressivas e rodas de alumínio de 20 polegadas. Com tanta potência aliada a tecnologia e conforto assim, o S65 AMG simplesmente não fica atrás de nenhum Aston Martin ou Bentley. 
Marcando o retorno dos detalhes cromados, o novo maquinão da Mercedez dá um show em termos de equipamentos eletrônicos e recursos tecnológicos inovadores. Dá só uma olhada nas qualidades do bólido alemão:
Motor biturbo 6.0-litro V12Sob o capô, o S65 AMG Coupé traz um motor twin-turbo de 12 cilindros em V capaz de produzir mais de 621 cavalos de potência e 1 mil Nm de torque, fazendo de 0 a 100 km/h em 4.1 segundos. Seu câmbio de sete velocidades 7G-Tronic (que possui os modos automático e manual), conduz o carro até a velocidade final limitada de 250 km/h na Europa – mas nos Estados Unidos é possível comprar a versão que alcança os originais 300 km/h.
Suspensão inteligenteO Coupé é equipado com o sistema de suspensão inteligente Magic Body Control (inaugurado nos modelos S-Class), que permite que o carro se adapte a terrenos irregulares e se incline nas curvas mais difíceis. Quando ultrapassa os 160 km/h, o Mercedes-Benz S65 AMG Coupé se inclina gradativamente (como você faria se estivesse numa moto) de forma automática em frações de segundo – dependendo do quão fechada for a curva. Seu sistema de suspensão é tão inovador que utiliza uma câmera de 360°, registrando a curvatura a 1,5 quilômetro à frente, e um sensor de aceleração lateral. Conforto em abundânciaCom bancos esportivos de couro Designo Nappa e sistema de som surround Burmester, conforto é o que não falta no novo Mercedes-Benz. Além do display central touchscreen de 12.2 polegadas, o S65 conta com piloto automático de cruzeiro, sistema auxiliar de estacionamento, e ainda um display que é projetado no para-brisa acima do painel. Nele o motorista irá encontrar informações sobre as direções de navegação, velocidade, sinais de trânsito, marcha atual e até velocidade do motor. 
Preço: obviamente tantas qualidades não custam barato. O preço de venda no mercado norte-americano chega aos US$ 250 mil, cerca de R$ 720 mil. O modelo está previsto para chegar ao Brasil em 2015.Se Janis Joplin estivesse viva, provavelmente seria mais específica na hora de cantar a plenos pulmões o quanto queria seu Mercedes-Benz. “Oh, Lord, won’t you buy me a S65 AMG Coupé?”
Recentemente a marca alemã lançou o grande representante da linha S-Class, o S65 AMG Coupé, um supercarro que em poucos meses já entrou para a lista dos veículos mais luxuosos e cobiçados do mundo. Por quê? Bem, porque além de ser bem mais nervoso que seu irmão S63 V8, o novo Benz oferece nível de conforto sem precedentes para um esportivo, e se destaca de longe por suas linhas agressivas e rodas de alumínio de 20 polegadas. Com tanta potência aliada a tecnologia e conforto assim, o S65 AMG simplesmente não fica atrás de nenhum Aston Martin ou Bentley. 
Marcando o retorno dos detalhes cromados, o novo maquinão da Mercedez dá um show em termos de equipamentos eletrônicos e recursos tecnológicos inovadores. Dá só uma olhada nas qualidades do bólido alemão:
Motor biturbo 6.0-litro V12Sob o capô, o S65 AMG Coupé traz um motor twin-turbo de 12 cilindros em V capaz de produzir mais de 621 cavalos de potência e 1 mil Nm de torque, fazendo de 0 a 100 km/h em 4.1 segundos. Seu câmbio de sete velocidades 7G-Tronic (que possui os modos automático e manual), conduz o carro até a velocidade final limitada de 250 km/h na Europa – mas nos Estados Unidos é possível comprar a versão que alcança os originais 300 km/h.
Suspensão inteligenteO Coupé é equipado com o sistema de suspensão inteligente Magic Body Control (inaugurado nos modelos S-Class), que permite que o carro se adapte a terrenos irregulares e se incline nas curvas mais difíceis. Quando ultrapassa os 160 km/h, o Mercedes-Benz S65 AMG Coupé se inclina gradativamente (como você faria se estivesse numa moto) de forma automática em frações de segundo – dependendo do quão fechada for a curva. Seu sistema de suspensão é tão inovador que utiliza uma câmera de 360°, registrando a curvatura a 1,5 quilômetro à frente, e um sensor de aceleração lateral. Conforto em abundânciaCom bancos esportivos de couro Designo Nappa e sistema de som surround Burmester, conforto é o que não falta no novo Mercedes-Benz. Além do display central touchscreen de 12.2 polegadas, o S65 conta com piloto automático de cruzeiro, sistema auxiliar de estacionamento, e ainda um display que é projetado no para-brisa acima do painel. Nele o motorista irá encontrar informações sobre as direções de navegação, velocidade, sinais de trânsito, marcha atual e até velocidade do motor. 
Preço: obviamente tantas qualidades não custam barato. O preço de venda no mercado norte-americano chega aos US$ 250 mil, cerca de R$ 720 mil. O modelo está previsto para chegar ao Brasil em 2015.

Fonte: R7

26 de abr de 2015

Volkswagen faz recall dos novos Fox e CrossFox por falha no volante que pode causar mortes

Volkswagen faz recall dos novos Fox e CrossFox por falha no volante que pode causar mortes





Fonte: R7

Ayrton Senna, McLaren e Marlboro em 1992

Ayrton Senna, McLaren e Marlboro em 1992

A fabulosa McLaren de Ayrton Senna, carro lendário em vermelho e branco com a industria tabagista patrocinando, virou uma icone dos anos 1990 e marcou uma época já que hoje as leis mundiais proibem a publicidade de tabaco em qualquer meio de comunicação.


A fabulosa McLaren de Ayrton Senna, carro lendário em vermelho e branco com a industria tabagista patrocinando, virou uma icone dos anos 1990 e marcou uma época já que hoje as leis mundiais proibem a publicidade de tabaco em qualquer meio de comunicação.

Fonte: 4 Rodas Carburada
Categoria: Publicidade em Quatro Rodas
Autor: Fabio Paiva

25 de abr de 2015

Qual é a melhor moto para a cidade?

Qual é a melhor moto para a cidade?




Qual é a melhor moto para a cidade?Tome nota de oito fatores importantes para escolher a moto mais adequada para andar nas cidades caóticasA mobilidade urbana é o maior problema das grandes cidades. A falta de transporte público de qualidade e o excesso de carros nas ruas fizeram da moto a melhor opção para driblar o caos. Mas, em meio a tantas ruas esburacadas e todas as adversidades que as grandes cidades trazem, quais critérios devemos levar em consideração na hora de comprar uma moto? Vamos a eles:
#1 PotênciaA potência da sua moto é um fator para se levar em consideração. Motos muito potentes podem se tornar um problema, contudo motos de 50, 100 ou até 125 cc podem ser ineficientes em vias expressas onde os veículos costumam rodar com uma velocidade máxima de até 90 km/h.
#2 TamanhoOutro fator a se levar em consideração nas grandes cidades é a visibilidade. Quanto maior a moto mais visível você se torna no trânsito, entretanto, se você exagerar no tamanho da moto ela poderá se tornar menos útil, principalmente para transitar entre os carros.
#3 PesoNo vai e vem das cidades é comum percorrer pequenas distâncias e estacionar a moto diversas vezes por dia, então uma moto muito grande e consequentemente pesada pode se tornar um problema para a rotina diária. 
#4 CalorAlgumas motos  não foram projetadas para rodar em baixa velocidade, então caso você opte por uma moto assim é bem provável que você frite a cada semáforo vermelho.
#5 Posição de pilotagemMotos como as famosas Harley Davidson nunca sairão de moda, contudo sua posição de pilotagem é pouco adequada para o trânsito. Outro fator que faz com que as motos custom não sejam as melhores opções para a cidade são as ruas mal pavimentadas, já que elas não costumam ter uma suspensão muito macia. 
#6 Praticidade Mau posicionamento das chaves de contato, cavalete lateral mau projetado, retrovisores largos e compartimentos complicados são alguns fatores que pedem atenção especial na hora da compra, uma moto que cria dificuldades para ações simples do dia a dia poderá fazer com que você perca um tempo desnecessário na execução de coisas simples.
#7 CargaÉ comum que no dia a dia nós carreguemos muita tralha, contudo uma mochila nas costas não é a melhor opção, por isso é bom ter atenção redobrado na hora da aquisição de uma moto, um baú bem projetado é uma mão na roda. 
#8 SegurançaNenhum fator é mais importante que a segurança, uma moto. Para uso urbano tem que contar com itens como freios ABS e pneus sem câmara. Na ausência de ABS vale optar por motos que contem pelo menos com uma frenagem combinada. Ao rodar na cidade você está mais exposto a acidentes do que na estrada, por isso vale conferir todos os itens de segurança.
A mobilidade urbana é o maior problema das grandes cidades. A falta de transporte público de qualidade e o excesso de carros nas ruas fizeram da moto a melhor opção para driblar o caos. Mas, em meio a tantas ruas esburacadas e todas as adversidades que as grandes cidades trazem, quais critérios devemos levar em consideração na hora de comprar uma moto? Vamos a eles:
#1 PotênciaA potência da sua moto é um fator para se levar em consideração. Motos muito potentes podem se tornar um problema, contudo motos de 50, 100 ou até 125 cc podem ser ineficientes em vias expressas onde os veículos costumam rodar com uma velocidade máxima de até 90 km/h.
#2 TamanhoOutro fator a se levar em consideração nas grandes cidades é a visibilidade. Quanto maior a moto mais visível você se torna no trânsito, entretanto, se você exagerar no tamanho da moto ela poderá se tornar menos útil, principalmente para transitar entre os carros.
#3 PesoNo vai e vem das cidades é comum percorrer pequenas distâncias e estacionar a moto diversas vezes por dia, então uma moto muito grande e consequentemente pesada pode se tornar um problema para a rotina diária. 
#4 Calor
Algumas motos  não foram projetadas para rodar em baixa velocidade, então caso você opte por uma moto assim é bem provável que você frite a cada semáforo vermelho.

#5 Posição de pilotagem
Motos como as famosas Harley Davidson nunca sairão de moda, contudo sua posição de pilotagem é pouco adequada para o trânsito. Outro fator que faz com que as motos custom não sejam as melhores opções para a cidade são as ruas mal pavimentadas, já que elas não costumam ter uma suspensão muito macia. 

#6 Praticidade 
Mau posicionamento das chaves de contato, cavalete lateral mau projetado, retrovisores largos e compartimentos complicados são alguns fatores que pedem atenção especial na hora da compra, uma moto que cria dificuldades para ações simples do dia a dia poderá fazer com que você perca um tempo desnecessário na execução de coisas simples.

#7 Carga
É comum que no dia a dia nós carreguemos muita tralha, contudo uma mochila nas costas não é a melhor opção, por isso é bom ter atenção redobrado na hora da aquisição de uma moto, um baú bem projetado é uma mão na roda. 

#8 Segurança
Nenhum fator é mais importante que a segurança, uma moto. Para uso urbano tem que contar com itens como freios ABS e pneus sem câmara. Na ausência de ABS vale optar por motos que contem pelo menos com uma frenagem combinada. Ao rodar na cidade você está mais exposto a acidentes do que na estrada, por isso vale conferir todos os itens de segurança.



Fonte: R7

24 de abr de 2015

Toyota apresenta carro que funciona com fezes de vaca

Toyota apresenta carro que funciona com fezes de vaca

Conteúdo em Vídeo
Imagine um carro que possa ser abastecido com nada mais, nada menos, do que fezes de vaca. Pois saiba que isso não se trata de nenhum filme ou nenhuma produção de Hollywood. E para provar que isso realmente é possível, a Toyota lançou um vídeo que mostra, de uma forma mais clara, a relação entre o carro e uma vaca. É claro que o motor do modelo Mirai não funciona apenas com as fezes propriamente dita. Mas se utiliza de um determinado elemento que está em abundância nos mais diversos locais, incluindo as ditas fezes das vacas: o hidrogênio.

O grande segredo deste novo modelo de automóvel é a tecnologia utilizada pelo motor do veículo em questão, batizada de fuel cell. O motor consegue utilizar o hidrogênio para promover uma reação química que gera energia suficiente para colocar o carro em movimento. Isso tudo sem a necessidade de utilizar baterias. Além de tudo isso o motor não polui o meio ambiente, uma vez que tudo o que sobra da reação é vapor de água. Mas o que é mostrado no vídeo é o fato de qualquer coisa poder ser transformada em hidrogênio, incluindo as fezes das vacas. O carro custa 52 mil euros, sem previsão de lançamento no Brasil. 
Montadora lançou uma série de vídeos para explicar o funcionamento do carro que utiliza o hidrogênio e a relação com as vacas.

Fonte: Salão do Carro
Categoria: Vídeos

Novo Carro Fiat Punto 2015

Novo Carro Fiat Punto 2015



Baseado na versão Attractive do Fiat Punto 2015, ele conta com motor 1.4 de 88 cavalos, associado sempre a uma transmissão manual de cinco marchas. Cada versão do hatch traz pequenas alterações, enquanto todas ganham um item de série em comum: a função Lane Change. Com um toque na alavanca de seta, as luzes correspondentes são acionadas por cinco vezes, retornando à posição inicial, tendo como elementos diferenciadores faróis com máscara negra; faróis de neblina; lanterna traseira com borda escurecida; revestimento externo esportivo na coluna central das portas; spoiler na tampa traseira na cor do carro; rodas de liga leve 15” + pneus 195/60 R15; e emblema Itália aplicado nos para-lamas dianteiros.

No caso do Fiat Punto Essence, versão intermediária do Fiat Punto, passa a contar com novas rodas em liga leve de 16” e um novo Kit Emotion, que agrega apoia-braço central no banco do motorista, painel na cor bege claro, iluminação interna com efeito night design, porta-objetos central com tampa e banco traseiro bipartido com apoia-braço central. O Fiat Punto Sporting2015, assim como a versão derivada Black Motion, também vem com novos revestimentos internos, alarme antifurto, piloto automático, novas rodas em liga leve 16” e nova grafia de instrumentos. O T-Jet, por sua vez, também passa a contar com alarme anti-furto.

A montadora Fiat resolveu lançar a linha 2015 sem muitas mudanças no hatch, que já é um sucesso de vendas dentro do seu segmento. Em vez disso, ela melhorou o pacote de equipamentos e opcionais do carro. Além disto, agora temos alarme antifurto e piloto automático na versão top de linha Sporting, deixando o carro mais seguro. Além dos itens de série o modelo ainda traz alguns opcioniais interessantes, como: rodas de liga leve aro 16? e kit emotion na versão Essence, dado um visual diferenciado dentro do carro.

Versões e Preços do novo Fiat Punto 2015.

Punto Attractive 1.4 (flex) – R$ 44.420,00Punto Essence 1.6 16v (flex) – R$ 47.790,00Punto Sporting 1.8 16v (flex) – R$ 52.170,00Punto Black Motion 1.8 16v (flex) – R$ 54.940,00Punto Sporting Dualogic 1.8 (flex) – R$ 55.383,00Punto Black Motion Dualogic 1.8 (flex) – R$ 58.135,00Punto T-Jet 1.4 Turbo – R$ 62.980,00

Na parte de segurança para o carro e passageiros temos freios ABS e Airbags duplo. O Fiat Punto 2015 ainda sai de fábrica com direção hidráulica, ar condicionado, vidros e travas elétricas. Com espaço confortável para até 4 passageiros, este compacto foi mesmo projetado para jovens solteiros. Seu porta malas tem capacidade para comportar até 280 litros. Como não houve mudanças na parte mecânica do carro o consumo de combustível médio deverá ser o mesmo que na linha 2014. 

O Fiat Punto 2015 já está disponível nas concessionárias. A Fiat oficializou a chegada da nova linha do hatch compacto, que entrega conteúdos que agregam mais valor ao produto e deixam o modelo ainda mais atrativo frente aos seus concorrentes”. No interior, o modelo  conta com os mesmos itens do Fiat Punto Essence, ou seja, ar-condicionado, banco do motorista com ajuste de altura, sistema de som com CD, MP3 e USB, vidros dianteiros elétricos e volante com regulagem de altura e profundidade, computador de bordo, retrovisores externos elétricos, três apoios de cabeça no banco traseiro, chave canivete, sinalização de frenagem de emergência


O Novo Punto será fabricado no centro de produção em Betim, região metropolitana de de Belo Horizonte Mg. Desde que de foi lançado no Brasil em 2007 o hatch sofreu por poucas mudanças estéticas, apenas melhorias nos itens e opcionais de fábrica.


Fonte: Carros Novos

Chery 'dá o start' e começa a produzir novo Celer em São Paulo, nas carrocerias hatch e sedã

Chery 'dá o start' e começa a produzir novo Celer em São Paulo, nas carrocerias hatch e sedã



Veja a galeria completa Novo Celer inaugurou fábrica brasileira da Chery, em Jacareí (SP) Diogo de Oliveira/R7 A chinesa Chery anunciou que já está produzindo o novo Celer em Jacareí, no interior de São Paulo. O compacto começou a sair da linha de produção paulista no último dia 6, nas carrocerias hatch e sedã. A promessa é de que as primeiras unidades cheguem às concessionárias brasileiras no início de abril. Mas antes da estreia do novo Celer, a Chery lançará no Brasil a nova geração do subcompacto QQ, exibida pela primeira vez no Salão do Automóvel de São Paulo, em novembro do ano passado. Este virá primeiro importado, e começa a ser produzido em Jacareí no segundo semestre deste ano. No comunicado, a montadora chinesa também reafirmou que lançará a nova geração do Tiggo este ano. Primeiro modelo da marca no Brasil, o SUV compacto também será produzido na linha de montagem paulista. A nacionalização deve ocorrer em 2016. "Demos o start da produção em série do novo Celer no dia 6 de fevereiro e seguiremos um cronograma gradativo de aumento de fluxo mês a mês. No segundo semestre inicia-se a fabricação do QQ. A previsão é que ao final do ano a fábrica de Jacareí alcance os 30 mil carros produzidos", declarou Luis Curi, vice presidente da Chery Brasil. Leia mais notícias de Carros GALERIA
Crossover Tiggo foi o primeiro veículo chinês a oferecer câmbio automático no Brasil  

Fonte: R7

VW Gol e Voyage chegam à linha 2016

VW Gol e Voyage chegam à linha 2016

A nova linha 2016 da Volkswagen para o mercado brasileiro foi apresentada pela montadora alemã, e os destaques ficaram por conta de dois modelos clássicos, o outrora campeão de vendas Gol e o Voyage. Com poucas alterações visuais significativas, os dois modelos da Volkswagen chegam ao mercado nacional com novos itens de série e com seus preços levemente reajustados. Vamos conhecê-los!

Poucas mudanças



Juntamente com o Up!, o Gol e o Voyage chegam ao mercado brasileiro em sua linha 2016 com poucas mudanças, com o popular facelift e com mais itens de série para encorpar seus pacotes. No que diz respeito ao hatch e ao sedã médio, a versão Comfortline passou a contar com uma nova grade frontal, que traz acabamento feito em preto brilhante, além de barra cromada. Esta versão também conta, nos dois modelos, com a presença de mais detalhes em cromado espalhados pela cabine, além de rodas de liga leve com 15 polegadas, com calotas “Kalahari” e pneus 195/55 R15, entre outras coisas. No entanto, na versão topo de linha, chamada de Highline, tanto o Gol, quanto o Voyage, passam a contar também com a nova grade frontal, que também traz o detalhe do acabamento feito em preto brilhante e a barra cromada. Nesta versão, há também a presença de frisos cromados nos faróis, e também muitos detalhes internos cromados espalhados pela cabine, como no aro que envolve a alavanca de câmbio. O Volkswagen Gol Highline, bem como o Voyage desta mesma versão, apresenta o mesmo motor 1.6 litros, que é capaz de entregar a potência de 104 cv, que era visto na linha 2015 dos modelos.

Mais itens de série

Pensando em deixar os dois modelos mais equipados em todos os seus pacotes e em todas as suas versões, a Volkswagen tratou de dar mais itens de série, tanto para o novo Gol, quanto para o novo Voyage. Com isto, a versão topo de linha dos dois modelos, a Highline, chega com ar-condicionado, sensor de estacionamento traseiro, faróis de neblina, volante multifuncional com revestimento de couro, ajuste elétrico dos retrovisores e dos vidros, entre outras coisas. Para completar, mostrando que a Volkswagen pretende mesmo fazer com que seus dois modelos tenham mais vendas ainda em 2015, em sua versão Highline, ambos chegam com revestimento para seus bancos feito de tecido nobre, que é exatamente o mesmo que é visto no utilitário Tiguan. 
Com poucas alterações visuais significativas, os dois modelos da Volkswagen chegam ao mercado nacional com novos itens de série e preços reajustados.

Fonte: Salão do Carro
Categoria: Lançamentos

23 de abr de 2015

Peugeot faz mistério com novo carro

Peugeot faz mistério com novo carro

Conteúdo em Vídeo
A Peugeot decidiu aguçar a curiosidade dos fãs da marca com a divulgação de um vídeo que mostra pequenas partes de um suposto misterioso carro conceito modelo 2015. O próprio título do vídeo faz questão de salientar os segredos do projeto: “Peugeot Mystery Concept Car 2015”.

O vídeo é curto, com apenas 25 segundos de duração, e acaba mostrando muito pouco. Mas o elemento que acaba dando mais pistas do que pode estar por baixo do pano apresentado no final do vídeo é a narração, que fala em um carro que veículo que mistura ideias que foram utilizadas em carros gran turismo, esportivos e protótipos de competição. Por enquanto a montadora francesa também não divulgou maiores informações sobre datas dos próximos vídeos, tão pouco do lançamento do veículo conceito. Mais informações deverão ser liberadas nas próximas semanas. 
Conceito apresentado no vídeo divulgado esta semana mistura diversos estilos.

Fonte: Salão do Carro
Categoria: Vídeos

Seminário discute as propostas da Volvo para eletromobilidade e combustiveis alternativos

Seminário discute as propostas da Volvo para eletromobilidade e combustiveis alternativos

Em tempos onde o marketing ecológico ganha cada vez mais peso na indústria automotiva mundial, a Volvo escolheu uma meta ousada: ser líder mundial em transporte sustentável. Em um seminário realizado na cidade catarinense de Itajaí, nas instalações edificadas para a realização da etapa brasileira da regata transoceânica Volvo Ocean Race, a marca sueca reuniu alguns de seus especialistas para falar sobre suas apostas no transporte coletivo de passageiros e de cargas. Nos ônibus, a eletromobilidade busca soluções seguras, rentáveis e amigáveis com o meio ambiente. Já em termos de caminhões, a fabricante sediada em Gotemburgo desenvolve motores capazes de ter o máximo de eficiência energética e de rodar com combustíveis alternativos e renováveis.

Veja também:
  • Entrevista com Claes Nilsson, novo presidente do Grupo Volvo Latin America
Para o transporte de cargas, os combustíveis alternativos são a base da política da Volvo de buscar maior eficiência energética com o menor impacto ambiental possível. Atualmente, a Volvo estuda três alternativas especialmente interessantes: Metano – Gás Natural ou GNL –, HVO e DME. O caminhão Volvo metano-diesel já foi inclusive introduzido comercialmente no Reino Unido, Suécia e nos Países Baixos. Já o GNL – Gás Natural Liquefeito – é especialmente adequado para tráfego regional e rotas de longa distância. No Brasil, a Volvo é a primeira marca a testar um caminhão movido a GNL – Gás Natural Liquefeito – e a diesel. O veículo é movido com cerca de 70% de GNL e o restante a diesel. “Esta é uma tecnologia viável. Os primeiros caminhões movidos a GNL fabricados pela Volvo já estão circulando com sucesso na Europa e nos Estados Unidos. O gás liquefeito é uma importante alternativa para os atuais combustíveis”, ressalta Nilton Roeder, diretor de estratégia de caminhões do Grupo Volvo América Latina.

Já o HVO é um diesel sintético, que pode ser usado com a tecnologia atual. É possível substituir uma proporção de diesel por gás metano, hoje o combustível alternativo mais acessível. É relativamente barato em muitos mercados e oferece ganhos em emissões de particulados e de dióxido de carbono. Esta é uma grande vantagem, pois as regulamentações ambientais em áreas urbanas, por exemplo, cada vez mais exigem transporte com o menor impacto ambiental possível.

A terceira maior aposta da Volvo em termos de combustíveis alternativos é o DME, o dimetil éter, um gás manuseado em forma líquida sob baixa pressão que é produzido pela gaseificação de biomassa. “É a melhor opção do ponto de vista ambiental, proporcionando 95% menos emissões de dióxido de carbono. Comparando-o com outros combustíveis, oferece um aumento na eficiência energética com potencial para substituir 50% do diesel atualmente usado no transporte rodoviário pesado até 2030 na Europa. Mas existe um limite para a produção de biocombustíveis. No futuro, iremos precisar de mais de um tipo de combustível”, observa o Lars Matensson, diretor de meio ambiente da Volvo Trucks. Segundo ele, a produção em escala de biodiesel na Europa substitui apenas 3% do consumo de diesel.

Em termos de transporte de passageiros, o portfólio da Volvo Bus é composto por veículos movidos a diesel, híbridos e elétricos híbridos. Os ônibus híbridos começaram a ser comercializados pela Volvo em 2010 e atualmente mais de dois mil híbridos da marca estão em circulação em 21 países, em cidades como Londres, Edimburgo, Viena, Estocolmo, Gotemburgo, Bogotá e Curitiba. “O desenvolvimento do transporte urbano eletrificado tem evoluído muito rapidamente”, explica Hakan Agnevall, presidente mundial da Volvo Bus. Segundo a Volvo, o sucesso dos modelos híbridos deve-se à segurança operacional, tão alta quanto a dos ônibus com motores diesel, e também por ser economicamente viável. Mesmo com um investimento inicial maior, a marca assegura que o custo total do veículo é igual ao de um modelo a diesel operando nas mesmas condições, devido à redução dos gastos com combustível e por oferecer a mesma capacidade de transporte de passageiros.

Já os ônibus elétricos híbridos possuem tecnologia plug-in, que permite recarga rápida nos pontos de embarque e desembarque de passageiros. O transporte coletivo com veículos elétrico híbridos já está em operação em Gotemburgo, na Suécia; Hamburgo, na Alemanha; e na cidade de Luxemburgo, em Luxemburgo. Lançado comercialmente em agosto do ano passado, na feira  IAA em Hannover, na Alemanha, o modelo elétrico híbrido possui tecnologia plug-in. Segundo o fabricante, reduz o consumo de combustível e de emissão de gás carbônico em até 75%, em comparação com o ônibus diesel convencional. O consumo total de energia é reduzido em 60%. O elétrico híbrido é oferecido às cidades com um pacote abrangente, que inclui também infraestrutura para recarga da bateria nos pontos de parada e serviços de pós-venda para otimizar a operação. Como no modelo híbrido, a bateria não é vendida junto com o veículo, é cedida ao operador de transporte por um custo fixo por quilômetro rodado.
A Volvo desenvolve no Brasil, conjuntamente com a matriz na Suécia, seu ônibus elétrico híbrido articulado. O início dos testes com o veículo está previsto para 2016 em Curitiba, no Brasil; e em Bogotá, na Colômbia. Há ainda a previsão de avançar o projeto para outras cidades na América Latina, como Rio de Janeiro e São Paulo, no Brasil; e Santiago, no Chile. “Estamos customizando um projeto global para atender as necessidades de transporte da América Latina de ônibus de alta capacidade para circular nos corredores do BRT. A demanda por ônibus com baixas ou zero emissões está crescendo na América Latina. Bogotá, adotou um ousado plano de redução de emissões no transporte urbano. No Brasil, Curitiba e Rio de Janeiro também estão caminhando nesta direção”, aponta Luis Carlos Pimenta, presidente da Volvo Bus Latin America.
Paralelamente aos projetos de eletromobilidade e combustíveis alternativos, a Volvo aposta também em outras alternativas mais a longo prazo, como estradas elétricas e o Platooning, comboios de veículos conectados eletronicamente entre si. A nova linha de caminhões da Volvo ampliou consideravelmente a conectividade como uma importante ferramenta para aumentar a eficiência no transporte. “Não basta oferecer produtos de ponta. É necessário que tenhamos o veículo correto para cada aplicação do transportador”, afirma Nilton Roeder.
Autor: Luiz Humberto Monteiro Pereira (Auto Press)
Fotos: Divulgação

Argumentos sustentáveis - Eletromobilidade e combustíveis alternativos são soluções prioritárias da Volvo para o transporte da passageiros e cargas

Fonte: Salão do Carro
Categoria: Ônibus

O Fiat Doblô 2015

O Fiat Doblô 2015



Maior e mais moderno que o modelo vendido no Brasil (o nosso Fiat Doblò 2015 ainda é o modelo de primeira geração), o multiuso está disponível em três versões (Pop, Easy e Lounge), duas opções de entre-eixos, carroceria de 5 ou 7 lugares e várias opções de motorização, incluindo propulsores movidos a diesel ou gasolina, com potências entre 90 e 135 cv. O destaque é a nova frente, praticamente igual ao do novo Promaster City. Os para-choques do novo Fiat Doblô 2015são novos, assim como a tampa traseira e as lanternas. No interior, a lista de equipamentos e conforto ganha o reforço da nova tela multimídia touch screen Uconnect de 5″.

Fiat apresenta na Itália a novageração do utilotário Fiat Doblò 2015veículo que chega à sua linha 2015 totalmente reformulado interna e externamente, além de contar com aperfeiçoamentos mecânicos. OFiat Doblò 2015 tem versões com até sete assentos, compartimento de 790 litros de bagagem, muitos compartimentos de armazenamento e aperfeiçoamento nos níveis de conforto climático e acústico. Os níveis de acabamento serão 3: Pop, Easy e Lounge, duas opções de altura de teto, duas opções de distância entre-eixos, 11 cores de carroçaria, duas configurações de assentos (standard com 5 lugares, a pedido, com 7).

Já a versão comercializada no Brasil doFiat Doblò 2015 possui duas opções de motorização, a versão Attractive, com o motor 1.4 Flex e a versão Essence, com o mesmo motor 1.8 E-torQ da versão Adventure. O Fiat Doblò, desde o seu lançamento, é referência em seu segmento. Seu conjunto funcional e versátil proporciona conforto para todos os seus passageiros e prazer ao dirigir. Mesmo na versão de entrada, o Fiat Doblò Attractive 1.4 já possui uma ótima variedade de equipamentos de série. Entre eles, estão direção hidráulica,vidros dianteiros elétricos, travas elétricas, air bag duplo, freios ABScom EBD, portas laterais corrediças, computador de bordo, My Car Fiat, Follow Me Home, protetor de cárter, console central com porta-copos, porta-objetos sob o teto e bolsas porta-objetos nas portas dianteiras.

Todos estes conteúdos e predicados fazem, do Fiat Doblô 2015, um veículo funcional e atraente. Seja por sua versatilidade, tecnologia ou espaço interno, o Fiat Doblò inquestionavelmente chega repleto de novidades e para conquistar você e sua família! O Fiat Doblô 2015 é com certeza uma das grandes novidades que o mercado nacional recebeu durante os últimos anos, antes de seu lançamento o modelo recebeu duras críticas, porém conseguiu se firmar e hoje é um dos modelosmais vendidos pela Fiat dentro do mercado nacional. Para o Fiat Doblo 2015, a marca com certeza deverá oferecer poucas modificações, visto que o modelo ainda é bastante atual, e irá seguir o mesmo plano adotado na Europa.

novo Doblo 2015, o modelo praticamente fica com sua ficha técnica atual, pois não deve haver nenhum tipo de modificação drástica na parte mecânica, sem contar que a marca não deverá apresentar nenhum tipo de novidade diferenciada para o modelo.
Versões e Preços do novo Fiat Doblô 2015.

Doblô Attractive 1.4 (flex) – R$ 57.950,00Doblô Essence 1.8 (flex) – R$ 64.610,00Doblô Adventure 1.8 (flex) – R$ 69.480,00
Na versão Essence, o Fiat Doblò 2015 ganha novos tecidos para os bancos e a Adventure ganha uma nova opção de cor, a Grigio Villa Fosco. Segundo a Fiat a mudança de linha e a escassez de novidades não condizem para aumentar o preço na linha 2015. Pelo menos a Fiat teve bom senso em não aumentar os preços do Doblò.

Fonte: Carros Novos

Paris vai proibir carros feitos antes de 2001 a partir de junho

Paris vai proibir carros feitos antes de 2001 a partir de junho



Agora é oficial: Paris será a primeira cidade a banir os veículos antigos em seu perímetro urbano. E quando falo antigo, não quero dizer paleozóico. A lei criada pelo conselho da cidade e aprovada pela prefeita Anne Hidalgo começa a valer a partir de junho para veículos produzidos antes de 2001. Primeiro, carros, motos e caminhões mais velhos não poderão rodar entre oito da manhã e oito da noite. Um ano depois, em julho de 2016, a proibição vai valer para o mesmo horário e incluirá todos os carros registrados antes de 1997 e também motocicletas feitas antes de 2000. Em 2020, a lei valerá 24 horas e, detalhe, incluirá todos (veja bem, todos) modelos feitos até 2011. Na mesma direção, Londres discute proibir veículos feitos antes de 2005 por volta da mesma época. Ainda não foram divulgadas as multas e outras medidas, apenas foi dito que cada cidadão terá cerca de 1.350 euros para ajudá-lo na troca por um carro mais novo. Mas o que preocupa mesmo os entusiastas é que os veículos antigos de colecionadores não terão exceção. Ou seja nada de ficar andando de 2CV curtindo o visual em um programa romântico. Pode ir fechando seu teto de lona, a graça está para acabar. Torçamos por uma licença, ainda que restrita. 

Fonte: R7

“Um dia de scooter”: a websérie da Dafra

“Um dia de scooter”: a websérie da Dafra

Explorar a internet e todo o seu potencial é um desafio e tanto para muitas das marcas mais importantes da atualidade, e a verdade é que algumas realmente se destacam das outras, conseguindo extrair o máximo que esta plataforma tem a oferecer. Um bom exemplo disto vem da Dafra, que com uma boa pitada de criatividade, acabou de lançar a websérie chamada de “Um dia de scooter”, que mostra para as pessoas como pode ser o dia a dia de que quem decidiu optar por esta motocicleta para se deslocar por aí.

Depoimentos reais



Um dos grandes diferenciais desta websérie da Dafra é que, muito além de ser apenas uma campanha publicitária bem feita, ela é uma verdadeira lição sobre como pode ser importante ter uma scooter para se deslocar em grandes cidades nos dias de hoje. “Um dia de scooter” traz também o diferencial de contar com depoimentos reais, o que é de fato muito importante para dar credibilidade para esta websérie, que mostra pessoas normais contando suas experiências reais sobre como é pilotar uma scooter todos os dias.

Uma forma inteligente de ganhar tempo

Aliás, esta websérie da Dafra também apresenta de modo bem claro, por meio de casos reais, como optar por uma scooter pode ser de fato optar por uma forma bem mais inteligente de se deslocar e de ganhar tempo, especialmente nas grandes cidades. Segundo a gerente de comunicação e marketing da Dafra, Patrícia Fernandes, o que define a scooter é o seguinte: “Sem dúvida a scooter é o veículo mais apropriado para ter mobilidade e fugir do trânsito caótico das grandes cidades. É muito fácil de pilotar, tem um design superbacana e muitos itens de conforto.”.

Pacote de diferenciais

Para a Dafra, o que faz da scooter uma verdadeira opção de qualidade para quem deseja fugir das mazelas do trânsito de cidades grandes como São Paulo e Rio de Janeiro, é o seu grande pacote de diferenciais. É por conta deles que a scooter figura hoje entre as motocicletas mais vendidas do país, tendo nas mulheres as suas maiores compradoras, o que se explica, entre outras coisas, pela facilidade de pilotagem que ela proporciona. O primeiro episódio da websérie da Dafra é chamado de “Meu Maxsym 400i”, e conta com o depoimento do representante comercial Guilherme, que tem 47 anos, e que mostra para todos como comprar uma scooter fez com que seu tempo de trajeto de casa ao trabalho diminuísse em 5 vezes.
Com uma boa pitada de criatividade, a Dafra acabou de lançar a websérie chamada de “Um dia de scooter”. Conheça!

Fonte: Salão do Carro
Categoria: Curiosidades

New Fiesta Sport chega às concessionárias por R$ 58.990

New Fiesta Sport chega às concessionárias por R$ 58.990

Considerado um dos melhores lançamentos feitos nos últimos tempos, o New Fiesta é uma das principais armas da Ford para enfrentar os desafios de suas maiores rivais, como a Volkswagen e a Chevrolet dentro do mercado brasileiro. E o modelo finalmente chega ao mercado com uma versão mais esportiva, para agradar em especial aos consumidores mais jovens, chamada de New Fiesta Sport, que apresenta o valor de R$ 58.990.

Com visual mais agressivo



O New Fiesta tem feito muito sucesso dentro do mercado nacional por conta de seu design mais moderno, que o diferencia da maior parte dos seus rivais de segmento dentro do Brasil. Este visual moderno ficou ainda mais agressivo no New Fiesta Sport, que apresenta para-choque com spoiler, saias laterais e faróis com máscara negra, entre outras coisas. A Ford apostou que estes detalhes seriam responsáveis por fazer com que o New Fiesta Sport fosse capaz de atrair para si as atenções dos consumidores médios que apreciam modelos mais esportivos e com visual mais jovial.

3 opções de cor

A Ford apresentou o New Fiesta Sport durante a última edição do Salão do Automóvel de São Paulo, e o modelo chamou muito a atenção de todos, especialmente por conta de seu visual. O modelo chega ao mercado brasileiro com preço de R$ 58.990 e com nada menos do que três opções de cor: Branco Ártico, Preto Bristol Perolizado e Vermelho Arizona.

Motorização

Para completar seu estilo mais esportivo, o New Fiesta Sport ganhou da Ford a presença de rodas de liga leve com 16 polegadas, que o deixaram ainda mais cheio de estilo. Mas para realmente deixá-lo com ares de esportivo, a Ford deveria ter dado a ele um motor mais potente, o que infelizmente não ocorreu, já que o hatch acaba chegando com um motor simples e sem grandes inovações. O propulsor que equipa o New Fiesta Sport é o 1.6 litros Sigma TiVCT Flex, que entrega uma potência honesta de 125 cv quando abastecido com gasolina e de 128 cv quando abastecido com etanol. O sistema de transmissão usado pela Ford neste modelo é o manual, que apresenta 5 velocidades, e que deverá agradar aos consumidores que gostam de “sentir” um pouco mais o carro durante as trocas de marchas. Com sistema de partida a frio Easy Start (que não necessita do tanquinho de gasolina), o New Fiesta Sport também entrega ar-condicionado digital e muito mais dentre seus itens de série.
O New Fiesta Sport chega ao mercado brasileiro com preço de R$ 58.990 e com nada menos do que três opções de cor

Fonte: Salão do Carro
Categoria: Lançamentos

22 de abr de 2015

McLaren apresenta o superesportivo 540C

McLaren apresenta o superesportivo 540C

Considerada uma montadora para poucos, especialmente por conta dos preços astronômicos da maioria de seus modelos, a McLaren acaba sempre apresentando vendas menores do que suas concorrentes. Por conta disto, pensando em aumentar de modo considerável as suas vendas, a montadora acabou de apresentar seu mais novo superesportivo, chamado de 540C, que tem um preço bem mais acessível do que os outros modelos da marca.

Apresentação em Xangai



O McLaren 540C está sendo apresentado durante o Salão de Xangai, na China, e chega como mais um modelo superesportivo com preço um tanto mais acessível do que os demais modelos da marca. Segundo modelo da linha Sport Series, que também conta com o 570S, que também é um superesportivo com preço mais acessível, o 540C chega ao mercado com pacote aerodinâmico exclusivo e rodas de liga leve esportivas, que podem ser de 19 polegadas, ou de 20 polegadas, com desenho exclusivo. Internamente, o McLaren 540C apresenta, entre outras coisas, revestimento em couro nos bancos, nas portas, no painel de instrumento e também no painel, deixando o modelo com acabamento requintado, como se espera de um modelo deste nível.

Bem equipado

Apesar de ser um modelo na linha dos superesportivos mais em conta da McLaren, o fato é que o 540C é realmente muito bem equipado, o que fica evidenciado por conta da presença do sistema de entretenimento com tela de 7 polegadas, que apresenta Bluetooth e navegador GPS integrado. Com isto, fica evidente que a McLaren não quis abrir mão da qualidade em nenhum momento, o que faz do 540C um modelo realmente interessante para quem tem a intenção de levar para casa um superesportivo que não é tão caro quanto os seus rivais mais importantes de mercado.

Motor

Agora chegamos ao que realmente interessa quando o assunto é um modelo da McLaren: o seu motor e o seu desempenho. Para garantir um excelente desempenho que já é clássico em relação aos seus principais modelos, o 540C apresenta um V8 3.8 litros biturbo, que é capaz de entregar uma potência de nada menos do que 540 cv e um torque de 55 kgfm. Com um câmbio SSG com 7 marchas, o McLaren 540C consegue, entre outras coisas, acelerar de 0 a 100 km/h em apenas 3,5 segundos e apresenta uma velocidade máxima que pode chegar a impressionantes 320 km/h. Ou seja, nada mal para um modelo mais acessível.
O McLaren 540C apresenta um V8 3.8 litros biturbo que entrega 540 cv e um torque de 55 kgfm.

Fonte: Salão do Carro
Categoria: Prévias

Conheça o primeiro supercerro elétrico

Conheça o primeiro supercerro elétrico

Conteúdo em Vídeo
Surgiu na Finlândia um modelo que pode ser considerado como o primeiro supercarro elétrico do mundo. O modelo Toroidion Concept promete entregar para os pilotos 1MW de potência, o equivalente a 1.341 cv. Com isso o modelo acaba sendo o principal rival de outro conceito já apresentado anteriormente, o sueco Koenigsegg One:1. A principal diferença entre este carro finlandês quando comparado com o modelo produzido na Suécia é o fato do primeiro ser 100% elétrico, enquanto o outro carro conta com um motor V8 5.0 twin-turbo.

O Toroidion Concept foi apresentado oficialmente no 2015 Top Marques Monaco Show. A montadora não divulgou muitos detalhes referentes ao desempenho do veículo nas pistas, mas de acordo com algumas informações que acabaram circulando pelo evento, o veículo poderia chegar aos 400 Km/h. Não existe previsão do lançamento do carro conceito comercialmente, mas a montadora afirmou também que o protótipo ainda está em fase de testes. O teste final do veículo aconteceria durante a próxima e dição da 24 horas de Le Mans. 
Toroidion 1MW Concept foi produzido na Finlândia e oferece 1.341 cv.

Fonte: Salão do Carro
Categoria: Vídeos

Chrysler convoca Jeep Grand Cherokee por falha no controle de estabilidade

Chrysler convoca Jeep Grand Cherokee por falha no controle de estabilidade





Fonte: R7

21 de abr de 2015

A bunda da sua mina na garupa

A bunda da sua mina na garupa




A bunda da sua mina na garupaMuitas motos têm aerodinâmica que valorizam a traseira da sua namorada na garupa. Temos dicas para resolver esse percalçoNão sei se vocês sabiam, mas na província de Achém, na Indonésia, é proibido que mulheres andem na garupa de uma moto pilotada por homem. Mas se você pensa que é por que a mulherada vivia na garupa com a bundinha empinada está redondamente enganado, lá a questão é religiosa. Contudo, tanto na Indonésia como no Brasil, a mulherada na garupa é motivo de preocupação para alguns marmanjos - e de alegria para outros -, então por isso resolvermos separar algumas dicas de como preservar o bumbum de sua namorada em uma moto, e mais que isso selecionamos algumas motos adequadas para tal missão.
Confira aí: 
#1 Opte por motos com um banco de garupa mais altoGrande parte das motos conhecidas como “estradeiras” possuem essa característica, pois são motos desenhadas para longas viagens, e o conforto de ambos os ocupantes é pensado nos mínimos detalhes. Mas existem motos com um desenho mais esportivo que também têm estas características.  
#2 Evite motos esportivas Não tem jeito, a aerodinâmica das motos esportivas de alguma forma valoriza a bunda da garupa. Mas é claro que existe um exagero ai. Diferente dos vídeos que vemos costumeiramente na internet, onde a mulher aparece com a bunda supervalorizada, a garupa de uma moto esportiva deve ter uma postura onde as costas não se curvem de maneira que valorize a bunda, tanto por segurança quanto por saúde.
#3 Use roupas adequadas Não se trata de machismo, mas como tudo na vida bom senso é sempre válido. Embora existam roupas adequadas para andar de moto, principalmente em longas viagens, é claro que tanto você quanto sua garupa irão dispensar todos os utensílios caso decidam dar uma volta por aí. Contudo, você não pode reclamar dos olhares da rapaziada caso a sua gata esteja vestindo a calça mais apertada do planeta ou um micro vestido né. 
#4 Existe uma postura correta para o garupa Independente da moto, garupar é uma arte. Grande parte das pessoas não sabe andar de garupa, e isso é um risco tanto para o piloto quanto para o passageiro, por isso vamos dar umas dicas básicas sobre a postura que o garupa deve ter, o que coincidentemente irá valorizar menos a bunda dela. A melhor postura para uma garupa é costas sempre retas, pescoço reto, olhando para frente. Caso você tenha uma moto que não possua um banco de garupa bem alto, vale deslocar levemente a cabeça para um dos lados. Afinal ficar olhando apenas o capacete não dá né.  
#5 Selecionamos cinco motos para que sua gata ande de garupa confortavelmente- Suzuki V-Strom 650- Harley-Davidson Electra Glide Ultra Limited- Honda GL 1800 Gold Wing- Suzuki Bandit 1250S- BMW R 1200 R Classic
Não sei se vocês sabiam, mas na província de Achém, na Indonésia, é proibido que mulheres andem na garupa de uma moto pilotada por homem. Mas se você pensa que é por que a mulherada vivia na garupa com a bundinha empinada está redondamente enganado, lá a questão é religiosa. Contudo, tanto na Indonésia como no Brasil, a mulherada na garupa é motivo de preocupação para alguns marmanjos - e de alegria para outros -, então por isso resolvermos separar algumas dicas de como preservar o bumbum de sua namorada em uma moto, e mais que isso selecionamos algumas motos adequadas para tal missão.
Confira aí: 
#1 Opte por motos com um banco de garupa mais altoGrande parte das motos conhecidas como “estradeiras” possuem essa característica, pois são motos desenhadas para longas viagens, e o conforto de ambos os ocupantes é pensado nos mínimos detalhes. Mas existem motos com um desenho mais esportivo que também têm estas características.  
#2 Evite motos esportivas Não tem jeito, a aerodinâmica das motos esportivas de alguma forma valoriza a bunda da garupa. Mas é claro que existe um exagero ai. Diferente dos vídeos que vemos costumeiramente na internet, onde a mulher aparece com a bunda supervalorizada, a garupa de uma moto esportiva deve ter uma postura onde as costas não se curvem de maneira que valorize a bunda, tanto por segurança quanto por saúde.
#3 Use roupas adequadas Não se trata de machismo, mas como tudo na vida bom senso é sempre válido. Embora existam roupas adequadas para andar de moto, principalmente em longas viagens, é claro que tanto você quanto sua garupa irão dispensar todos os utensílios caso decidam dar uma volta por aí. Contudo, você não pode reclamar dos olhares da rapaziada caso a sua gata esteja vestindo a calça mais apertada do planeta ou um micro vestido né. 
#4 Existe uma postura correta para o garupa Independente da moto, garupar é uma arte. Grande parte das pessoas não sabe andar de garupa, e isso é um risco tanto para o piloto quanto para o passageiro, por isso vamos dar umas dicas básicas sobre a postura que o garupa deve ter, o que coincidentemente irá valorizar menos a bunda dela. A melhor postura para uma garupa é costas sempre retas, pescoço reto, olhando para frente. Caso você tenha uma moto que não possua um banco de garupa bem alto, vale deslocar levemente a cabeça para um dos lados. Afinal ficar olhando apenas o capacete não dá né.  
#5 Selecionamos cinco motos para que sua gata ande de garupa confortavelmente
- Suzuki V-Strom 650
- Harley-Davidson Electra Glide Ultra Limited
- Honda GL 1800 Gold Wing
- Suzuki Bandit 1250S
- BMW R 1200 R Classic



Fonte: R7

Teste do Audi S3 Sedan

Teste do Audi S3 Sedan

Os sedãs à venda no Brasil têm de responder a exigências bem definidas. Estas qualidades geralmente são exaltadas na publicidade em textos que remetem à ideia de conforto, luxo e status. Os adjetivos até são justificados em grande parte dos automóveis do segmento, mas há uns poucos modelos que extrapolam a singeleza dessas descrições. O Audi S3 sedã é um deles. Apesar dos conceitos o definirem muito bem, não são suficientes para traduzi-lo. O modelo alemão insere uma generosa dose de “pimenta” no conjunto, que inclui 280 cv de potência, 38,7 kgfm de torque, tração integral e transmissão automatizada de dupla embreagem de seis marchas.

Veja também:
  • Audi S3 Sedan chega ao Brasil por R$ 207.980
O S3 sedã desembarcou no Brasil em agosto, sete meses depois do três volumes “convencional”. Com o sucesso dessa configuração de carroceria na gama A3, a Audi logo tratou de trazer a variante mais “quente”. E, pelo menos no design, manteve toda a elegância do original. O S3 não tem aparência “vitaminada”, porém as linhas evidenciam sua natureza dinâmica, com um porte atlético e uma forte identidade visual. Na frente, a grade é no estilo “bocão” – presente em todos os modelos Sport –, que vai do capô até a base do para-choque. Ela traz uma moldura cromada e é cortada por sete barras duplas com aparência de alumínio. Nas extremidades do para-choque, as entradas de ar para os freios recebem um acabamento tipo colmeia. O capô liso e o arco do teto achatado alongam visualmente a carroceria. Atrás, um sutil defletor cria um detalhe estético no alto da tampa do porta-malas. O para-choque redesenhado traz na base um extrator cor de chumbo com moldura dupla em alumínio e incorpora as quatro ponteiras ovaladas e cromada do escape. Apesar da estética comportada, o S3 abriga uma “fera” sob o capô. Os 280 cv aparecem entre 5.500 e 6.200 rpm – no Brasil, a Audi “estrangulou” este 2.0 turbo, que rende 20 cv a menos que na Europa. Já o torque de 38,7 kgfm aparece pleno entre 1.800 e 5 mil giros. A pressão do turbo vai a 1,2 bar e o duplo sistema de injeção de combustível ajuda a equalizar o trabalho do propulsor. Sob solicitação parcial, a injeção indireta melhora a queima e reduz o consumo e as emissões de partículas. Já a injeção direta – chamada FSI – entra em ação na partida e em situações de alta exigência do motor.

A força gerada pelo propulsor é distruibuída pelas quatro rodas por meio da conhecida tração integral Quattro. Já a transmissão é automatizada de seis marchas e duas embreagens. Com esse conjunto, o modelo é “catapultado” aos 100 km/h partindo da imobilidade em 4,9 segundos. Já a “ferocidade” máxima é controlada pela eletrônica em 250 km/h – opcionalmente pode ser ampliado para 280 km/h. O carro também traz o sistema Audi Drive Select, que controla o funcionamento do acelerador, da direção assistida e do câmbio. O motorista pode optar entre os modos Comfort, Auto, Dynamic, Efficiency e Individual ao toque de um botão. O interior é sofisticado, totalmente preto com insertos em alumínio escovado fosco e acabamento em alumínio polido. O volante esportivo multifuncional tem base reta e é forrado em couro. Já os pedais e apoio de pé são em aço inoxidável escovado. O cluster do S3 é semelhante ao do A3 normal, com pequenas alterações que dão personalidade à versão. Os relógios trazem números e ponteiros brancos. O velocímetro marca até 300 km/h e o contagiros apresenta um logotipo S3 em relevo, juntamente com o mostrador de pressão do turbo. Entre eles, uma pequena tela TFT faz a interface com computador de bordo, GPS, som, etc.

Todas as qualidades do modelo alemão desembocam em um preço bem salgado: R$ 215.990 – R$ 3 mil a mais que o S3 hatch. No valor, estão embutidos teto solar panorâmico elétrico, ar-condicionado automático bizona, sistema start/stop, bancos dianteiros esportivos em couro ajustáveis eletricamente, faróis de xenônio, rodas de 18 polegadas e central multimídia com tela retrátil e GPS integrado. Além das pinturas metálicas ou perolizadas, a Audi oferece como opcional, por R$ 41.500, um sistema de som da dinamarquesa Bang & Olufsen, com 13 alto-falantes e um subwoofer de 705 watts. Mas uma prosaica câmara de ré ou botão de partida, itens disponíveis em carros (bem) mais baratos, são recursos que a Audi não se preocupou em disponibilizar no seu esportivo.

Ponto a ponto

Desempenho – O motor 2.0 TFSI de 280 cv de potência e 38,7 kgfm de torque tem disposição de sobra. Em conjunto com a trasmissão S-tronic de seis marchas e duas embreagens, é capaz de se tornar uma fonte de adrenalina para os ocupantes. As acelerações e retomadas são fortes e progressivas. A prova está nos números: zero a 100 km/h em 4,9 segundos e velocidade máxima “freada” pela eletrônica em 250 km/h. Nota 10Estabilidade – O três volumes esportivo gruda no asfalto. O conjunto suspensivo rígido impede a carroceria de rolar e dá um comportamento exemplar ao carro. A tração integral também ajuda ao aliviar a sensação de torque no volante, comum aos modelos de tração dianteira, e dá bastante equilíbrio ao carro. A suspensão trabalha bem e impede que a carroceria role, com total controle das reações do carro. O acerto mais firme passa muita segurança em velocidades mais elevadas, com pouquíssima flutuação. Nota 9.

Interatividade – O volante multifuncional de base reta tem uma ótima pegada e os (poucos) comandos estão bem localizados. A posição baixa de condução é amplamente ajustada pelos controles do banco e também do volante. O painel de instrumentos é bem completo, com destaque para o pequeno mostrador da pressão do turbo, que acende “luzinhas” brancas conforme a solicitação do acelerador. A falta de câmara de ré não se justifica em um modelo de mais de R$ 200 mil. Nota 8. Consumo – O Audi S3 sedã não está no Programa Brasileiro de Etiquetagem do InMetro. Mas com todas as tecnologias para diminuir o consumo de combustível, o sedã esportivo, durante a avaliação, registrou uma média de 8,9 km/l em circuito misto. Não é um número para se orgulhar, ainda mais quando se trata de um propulsor apenas a gasolina. Nota 6

Conforto – O sedã vai bem nesse sentido. Os bancos são macios e ao mesmo tempo que passam uma gigantesca esportividade, o condutor e o passageiro desfrutam de bons espaços. O acerto firme da suspensão que pode “pegar” em alguns momentos, como ruas esburacadas e quebra-molas. Mas nada que impeça dirigir o modelo por muitas horas ou no uso diário. O isolamento acústico impressiona positivamente. Nota 8. Tecnologia – O S3 sedã é feito sobre a nova plataforma MQB, do Grupo Volkswagen. O motor 2.0 litros TSFI tem injeção de combustível direta e indireta. O modelo ainda traz faróis de xenônio, ar-condicionado dual zone, sistema start/stop, tração integral, teto solar elétrico, câmbio de dupla embreagem e sistema multimídia. Tudo moderno mas nada fora da curva do segmento. Nota 9.
Habitabilidade – Apesar do evocar o lado esportivo, o S3 é um sedã. E tem características de tal. Duas pessoas viajam tranquilamente na parte de trás e o porta-malas aceita 390 litros – volume que não impressiona. O porta-copos logo em frente à alavanca de câmbio serve também para descansar objetos de uso pessoal, como chave, carteira e celular. O caimento do teto “rouba” alguns centímetros de espaço para a cabeça de quem vai atrás. Nota 8. Acabamento – Apesar do preço vitaminado pela esportividade, o S3 é um A3 sedã. Ou seja, os materiais usados no habitáculo seguem os conceitos de sedãs de entrada de marcas de luxo: encaixes das peças e revestimentos de boa qualidade, mas sem extremo requinte. O revestimento em couro e os detalhes de personalização da versão dão sofisticação ao interior. Tudo na medida certa e sem exageros. Nota 8.
Design – O S3 sedã é um esportivo sem “anabolizantes” visuais. O design não transparece as aptidões dinâmicas do sedã. A grade característica dos carros Sport da Audi e as quatro saídas de escapamento são os destaques. O perfil é marcado por um grande vinco na lateral, o caimento do teto em direção à traseira e pelas rodas de 18 polegadas com cinco raios. Tudo bem harmônico. Nota 9. Custo/benefício – A esportividade do S3 sedã tem preço. E ele é alto: R$ 215.990. Com o sistema de som premium Bang & Olufsen e pintura metálica/perolizada, a conta pode chegar aos R$ 260 mil. Não há um rival direto entre as marcas de luxo. O mais próximo é o Mercedes-Benz CLA45 AMG, que custa R$ 298.900 mas tem muito mais potência – 360 cv. Já BMW M3 ultrapassa os dois, tanto em preço quanto em cavalagem: R$ 394.950 e 431 cv. Quem se aproxima do S3 sedã em preço e desempenho é o Mitsubishi Lancer Evolution X, que custa R$ 220.990 e traz um 2.0 litros turbo de 295 cv e 37,1 kgfm de torque. Nota 6. Total – O Audi S3 sedã somou 81 pontos em 100 possíveis.

Impressões ao dirigir

Mesmo que o Audi S3 tenha um visual discreto, impossível não notar que se trata de um produto da linhagem S. Ao todo, são 9 logos “S3” distribuídos no carro: grade, tampa traseira, soleiras das portas dianteiras, volante, contagiros, encostos dos bancos dianteiros e alavanca de câmbio. Para todo lugar que se olhe, o condutor é “avisado” de que o S3 não é um sedã comum. E isso fica bem claro quando o pedal da direita – pivotado no assoalho – é esmagado. O S3 dispara feito um rojão. O motor 2.0 TFSI de 280 cv e 38,7 kgfm faz o leva a cumprir o zero a 100 km/h em menos de 5 segundos e atingir a máxima de 250 km/h – limitada eletronicamente. Porém, mais que o fetichismo dos números, o S3 é um modelo que aguça os sentidos. O carro responde instantaneamente aos comandos do motorista – o sistema de dupla injeção praticamente elimina o “turbo lag” –, o câmbio de seis marchas com paddle shifts no volante e duas embreagens executa as trocas com perfeição e o ponteiro do velocímetro sobe rapidamente. Tudo ainda é acompanhado por um agradável “pipoco” no escapamento a cada mudança de marcha. Em frações de segundo, a coluna do condutor é pressionada contra o banco e as mãos instintivamente “colam” e transpiram no volante esportivo forrado brilhantemente em couro.
O três volumes esportivo “engole” as curvas com facilidade – graças à tração integral – e os pneus parecem “ventosas” ao grudar no asfalto. A sensação – e também realidade – é que não falta equilíbrio e força em nenhum momento. A qualidade construtiva também contribui para esse sentimento. O Audi S3 sedã usa a plataforma MQB do Grupo Volkswagen – a do Golf, por exemplo –, que abusa de alumínio e aços de alta tensão. O resultado dessa receita é um peso abaixo de 1,5 toneladas e um comportamento bastante explosivo. O S3 sedã ainda é capaz de mostrar a outra faceta de ser um carro para o dia a dia. A estética não é espalhafatosa e, quando não instigado, o sedã é um veículo bem suave. A posição de dirigir é baixa, mas o corpo se ajusta bem aos bancos e ao volante. O habitáculo é minimalista e oferece poucos botões – todos nos devidos lugares. A suspensão esportiva torna o S3 sedã 2,5 cm mais baixo que o A3 “civil” e, mesmo em modo Comfort, pode transmitir algumas trepidações aos passageiros nas esburacadas ruas brasileiras. Mas nada que ofusque a sua esplêndida dinâmica.

Ficha técnica

Audi S3 sedã

Motor: Gasolina, dianteiro, transversal, 1.984 cm³, quatro cilindros em linha e quatro válvulas por cilindro. Injeção direta e indireta de combustível, turbocompressor e comando variável de válvulas. Acelerador eletrônico.
Transmissão: Automatizada de dupla embreagem com seis marchas à frente e uma a ré. Tração integral com controle antipatinagem.
Potência máxima: 280 cv entre 5.500 e 6.200 rpm.
Torque máximo: 38,7 kgfm entre 1.800 e 5 mil rpm.
Aceleração de 0 a 100 km/h: 4,9 segundos.
Velocidade máxima: 250 km/h (limitada eletronicamente).
Diâmetro e curso: 82,5 mm x 92,8 mm.
Suspensão: Dianteira independente do tipo McPherson com barra estabilizadora. Traseira multilink com barra estabilizadora. Amortecedores de rigidez variável Oferece controle eletrônico de estabilidade.
Pneus: 225/40 R18.
Freios: Discos ventilados na frente e atrás, com ABS e EBD de série.
Carroceria: Sedã em monobloco, com quatro portas e cinco lugares. 4,47 metros de comprimento, 1,79 m de largura, 1,39 m de altura e 2,63 m de entre-eixos. Oferece airbags frontais e laterais.
Peso bruto: 1.460 kg.
Capacidade do porta-malas: 390 litros.
Tanque de combustível: 55 litros.
Produção: Gyor, Hungria.
Lançamento mundial: 2013.
Lançamento no Brasil: 2014.
Itens de série: rádio multimídia com sistema de navegação, Bluetooth, bancos dianteiros esportivos em couro ajustáveis eletricamente, volante esportivo multifuncional em couro com shift-paddles, ar-condicionado digital automático de duas zonas e teto solar panorâmico, airbags frontais para motorista e passageiro, airbag de joelho para o motorista e airbags laterais dianteiros de cabeça, controle de pressão de pneus, faróis bi-xênonio, sensor de estacionamento traseiro e sistema start/stop.
Preço: R$ 215.990.
Autor: Raphael Panaro (Auto Press)
Fotos: Jorge Rodrigues Jorge/Carta Z Notícias

Melhor de três - Audi S3 conjuga o conforto de um sedã, o desempenho de um esportivo e a dinâmica de um hatch

Fonte: Salão do Carro
Categoria: Testes