30 de nov de 2014

Kenwood 1994

Kenwood 1994

      A luta contra os ladrões de toca fitas até o começo do sec XXI sempre foi muito grande. Nos anos 1980, 1990 e inicio dos anos 2000. Foi muito comum esse tipo de furto no Brasil pois os aparelhos de som na maioria das vezes eram aftermarket, ou seja, acessórios produzidos por outras empresas que não as montadoras, não eram originais do carro, e isso, como sempre gerou um mercado para os ladrões. Na decada de 1980 a solução encontrada foi o sistema de gaveta, aonde o motorista ao estacionar seu veiculo literalmente retirava o aparelho inteiro e o carregava com uma alçinha para evitar furtos… Eram verdadeiros trambolhos para serem carregados… Já na década de 1990 a industria lançou a frente destácavel, diminuindo e muito o volume a ser carregado para a proteção do equipamento. Claro que depois de alguns anos, os ladrões roubavam as “traseiras”dos radios, e o mercado paralelo comprava e vendia as “frentes”. A salvação veio quando mais de 90% dos carros começavam a sair de fábrica com o radio original, integrado ao design do painel, praticamente acabando com esse tipo de furto. Mas antes disso, equipamentos com o da Kenwood públicado em Quatro Rodas de 1994 salvaram muitos vidros e bolsos.


      A luta contra os ladrões de toca fitas até o começo do sec XXI sempre foi muito grande. Nos anos 1980, 1990 e inicio dos anos 2000. Foi muito comum esse tipo de furto no Brasil pois os aparelhos de som na maioria das vezes eram aftermarket, ou seja, acessórios produzidos por [...]

Fonte: 4 Rodas Carburada
Categoria: Sem categoria
Autor: Fabio Paiva

27 de nov de 2014

Toyota lança versões diesel Limited Edition e flexfuel SRV4X2 automática da picape Hilux

Toyota lança versões diesel Limited Edition e flexfuel SRV4X2 automática da picape Hilux

O segmento de picapes médias tem características bem peculiares em relação ao universo automotivo como um todo. Nele, um veículo pode estar há dez anos no mercado sem mudanças visuais e, ainda assim, ser competitivo em relação aos concorrentes. Seu consumidor é muito menos influenciado pelas novidades de design que aqueles que compram hatches ou sedãs. Características como robustez do conjunto e confiabilidade mecânica são bem mais decisivas. E são exatamente esses atributos que embalam as vendas da decana Hilux. Lançada em 2004, a sétima geração da picape média da Toyota continua vendendo bem – tanto que lidera há 9 anos o subsegmento de motorização diesel, com 37,4% de participação em 2014. Sem previsões para o lançamento da 8ª geração, a Toyota apresenta duas novas versões da picape: a série especial diesel Limited Edition e a flex 4X2 com câmbio automático.

Agora, a Hilux passa a contar com 14 diferentes configurações, combinando diversos tipos de motorizações, câmbios, carrocerias e padrões de acabamento. Apresentada em outubro no Salão Internacional do Automóvel de São Paulo, a Limited Edition chega às concessionárias em novembro para ser a nova versão “top” com motorização diesel. Para reforçar a exclusividade que aqueles que podem pagar R$ 155.650 por uma picape média costumam valorizar, a série especial terá apenas 3 mil unidades no Brasil. Derivada da antiga SRV Top Diesel 4X4, a Limited Edition incorpora uma série de itens que antes eram vendidos como opcionais.

Segundo a Toyota, equipar as SRV Top Diesel 4X4 com os opcionais que agora são de série na Limited Edition elevava bem mais o preço final da picape. Em relação à antiga “top” diesel, a Limited Editon acrescenta a capa de proteção ao para-choque nas cores preto e cinza, novas rodas aro 17 em preto fosco, santantônio Sport cromado com protetores laterais em preto e capota marítima de lona, além de adesivos na traseira. Por dentro, o jogo de tapetes exclusivos da versão e a soleira cromada complementam as inovações da série.

O preço de R$ 99.900 já deixa claro que a nova Hilux SRV Flex 4X2 com câmbio automático vem para brigar por um consumidor totalmente diferente do almejado pela Limited Edition. Nesse caso, o alvo é o público mais urbano. A novidade incorpora a tração 4X2 à motorização bicombustível e se posiciona como a única opção de picape média do mercado equipada com câmbio automático e 4X2 vendida abaixo do R$ 100 mil.

Lançada em 1969, a Hilux trouxe a proposta de incorporar ao segmento de utilitários características de conforto que na época só estavam disponíveis em carros de passeio. Seu nome foi inspirado na expressão em inglês “high luxury” – alto luxo. Hoje é comercializada em mais de 170 países – e o Brasil é o terceiro mercado global da picape, atrás apenas da Tailândia e da Arábia Saudita. A Hilux chegou ao Brasil em 1993, na época importada do Japão – hoje o modelo vendido por aqui é produzido na Argentina, na fábrica de Zárate. Em 2013, foram vendidas no Brasil 42.627 unidades da Hilux, que deteve 24,1% de “share” no mercado nacional de picapes médias. Dessas, 38.317 foram com motorização diesel, o que deu à Toyota a liderança nesse subsegmento, com 37,4% de participação. Em 2014, até outubro foram emplacadas 34.521 unidades e a previsão é que as vendas anuais igualem as de 2013. Nada mal para um ano em que a comercialização das picapes médias caiu  7,7% em relação ao ano passado – no mercado automotivo geral, a queda dos emplacamentos chega a  9% em relação a 2013.

Ficha técnica

Toyota Hilux Limited Edition

Motor 3.0 diesel: Diesel, dianteiro, longitudinal, 2.982 cm³, com quatro cilindros em linha, quatro válvulas por cilindro e turbocompressor de geometria variável com intercooler. Acelerador eletrônico e injeção direta do tipo Common Rail.
Potência máxima: 171 cv a 3.600 rpm.
Torque máximo: 36,7 kgfm entre 1.400 e 3.200 rpm.
Diâmetro e curso: 96 mm X 103 mm.
Taxa de compressão: 15,0:1.
Transmissão: Automática de cinco velocidades a frente e uma a ré: Tração 4X2, 4X4 ou 4X4 reduzida com acionamento por alavanca.
Suspensão: Dianteira independente, com braços duplos triangulares, molas helicoidais e barra estabilizadora. Traseira eixo rígido, molas seimi-elípticas de duplo estágio. Oferece controles eletrônicos de tração e estabilidade.
Pneus: 265/65 R17.
Freios: Discos ventilados na frente e tambor atrás. Oferece ABS com EBD.
Carroceria: Picape em chassi sobre longarina com quatro portas e cinco lugares. Com 5,26 metros de comprimento, 1,83 m de largura, 1,86 m de altura e 3,08 m de distância entre-eixos. Oferece airbags frontais de série.
Peso: 1.960 kg em ordem de marcha.
Capacidade de carga: 1.000 kg.
Tanque de combustível: 80 litros.
Produção: Zárate, Argentina.
Lançamento da versão no Brasil: 2014.
Preço: R$ 155.650.

Toyota Hilux flexfuel SRV4X2 automática

Motor: Bicombustível, dianteiro, transversal, 2.694 cm³, com quatro cilindros em linha, quatro válvulas por cilindro e comando variável de válvulas na admissão. Acelerador eletrônico e injeção multiponto.
Potência máxima: 163 cv com etanol e 158 cv com gasolina a 5 mil rpm.
Torque máximo: 25 kgfm com etanol/gasolina a 3.800 rpm.
Diâmetro e curso: 95 mm X 95 mm.
Taxa de compressão: 12,0:1.
Transmissão: Automática de cinco velocidades a frente e uma a ré: Tração 4X2 com diferencial traseiro com deslizamento limitado
Suspensão: Dianteira independente, com braços duplos triangulares, molas helicoidais e barra estabilizadora. Traseira eixo rígido, molas seimi-elípticas de duplo estágio.
Pneus: 265/70 R16.
Freios: Discos ventilados na frente e tambor atrás. Oferece ABS com EBD.
Carroceria: Picape em chassi sobre longarina com quatro portas e cinco lugares. Com 5,26 metros de comprimento, 1,83 m de largura, 1,86 m de altura e 3,08 m de distância entre-eixos. Oferece airbags frontais de série.
Peso: 1.830 kg em ordem de marcha.
Capacidade de carga: 730 kg.
Tanque de combustível: 80 litros.
Produção: Zárate, Argentina.
Lançamento da versão no Brasil: 2014.
Preço: R$ 99.900.
Autor: Luiz Humberto Monteiro Pereira (Auto Press)
Fotos: Divulgação

Novidades relativas - Dez anos depois de lançada, 7ª geração da Toyota Hilux cria série especial diesel e versão flex 4X2 automática

Fonte: Salão do Carro
Categoria: Lançamentos

Teste do Renault Megane R.S.

Teste do Renault Megane R.S.

A Renault é uma marca de múltiplas imagens. No Brasil, ao longo do tempo, a fabricante francesa perdeu a identidade de importada e conseguiu atingir o patamar de uma “generalista”, com carros acessíveis e bom volume de vendas. Na Europa, a Renault tem uma presença mais esportiva. A empresa sediada em Boulogne-Billancourt, nos arredores de Paris, coleciona 35 anos de participação na Fórmula 1, a principal categoria do automobilismo mundial. Entre equipe própria e fornecimento de motores para diversas escuderias, a Renault obteve 11 títulos. Mas essa “pegada” esportiva chegou ao Brasil somente ano passado por meio do Fluence GT, primeiro produto automotivo vendido por aqui com a marca da Renault Sport. Agora, a fabricante traça voos mais altos e faz planos para comercializar o “nervoso” Mégane R.S, de 265 cv de potência.

Modificado pelo braço esportivo da Renault, o cupê ainda não teve a importação confirmada oficialmente para o Brasil, mas especulações dão conta que o carro chega em dezembro já com o face-lift europeu e preço acima dos R$ 120 mil. O Mégane R.S., inclusive, deu as caras por aqui ano passado para angariar possíveis interessados e mais recentemente surgiu no Salão Internacional do Automóvel de São Paulo, em outubro último. Atualmente, a Renault não usa a cota de 9.600 unidades que podem ser importadas fora do Mercosul com isenção dos exatos 30% de IPI. Esse seria mais um indício que a chegada do modelo estaria próxima. O carro atingiria um subnicho de esportivos – onde estão também Volkswagen Golf GTI e Honda Civic Si – na tentativa de “beliscar” o mercado de modelos de marcas de luxo, como Audi, BMW e Mercedes-Benz. E se é uma imagem de prestígio que a Renault procura, o Mégane R.S. tem boas credenciais. É o atual detentor do recorde de volta mais rápida para carros de rua com tração dianteira no famoso circuito de Nürburgring, na Alemanha. Uma das justificativas para o Mégane R.S. ser considerado um “hot hatch” reside sob o capô. São 265 cv a 5.500 rpm e 36,7 kgfm a 3 mil rpm de torque extraídos do motor 2.0 litro turbinado. O propulsor é o mesmo que equipava o Fluence GT por aqui, mas no cupê, pistões e virabrequim foram reforçados e o principal: a pressão do turbo foi elevada em 0,2, para 1,2 bar. Apesar da “ajudinha” para gerar tal “cavalagem”, o trem de força ainda é completado por um detalhe dos esportivos chamados puro-sangue. Traz uma transmissão manual com seis marchas. Este conjunto é capaz de tirar o Mégane R.S. da imobilidade e levá-lo até os 100 km/h em 6 segundos e à máxima de 255 km/h.

Tanto desempenho vem providencialmente acompanhado de muita segurança. Além de seis airbags, controles eletrônicos de tração e estabilidade, freios a disco ventilados com pinças da famosa marca italiana Brembo, a Renault ainda instalou um diferencial de escorregamento limitado no eixo dianteiro. O sistema consegue detectar a perda de aderência em uma das rodas e, automaticamente, transfere a força motriz para a outra roda no intuito de equalizar as velocidades diferentes e dar mais controle a quem está atrás do volante. O Mégane R.S. ainda traz dispositivos que facilitam a convivência com o motorista para um uso no dia a dia. O hatch vem com GPS integrado, sistema de som da grife Bose, rádio com Bluetooth, entrada USB, ar-condicionado digital dual zone e controle de cruzeiro. Afinal, entre uma acelerada e outra, sempre dá tempo de curtir o passeio.

Ponto a ponto

Desempenho – O Mégane R.S. deixa bem claro que é um carro da Renault Sport. O 2.0 litros turbinado de 265 cv mostra potência de sobra em qualquer faixa de giro. Os 36,7 kgfm de torque disponíveis integralmente a 3 mil giros adicionam ainda mais “pimenta” ao cupê. O desempenho impressiona e qualquer saída de sinal pode ter muita emoção. O zero a 100 km/h em 6 segundos e a máxima de 255 km/h denotam bastante esportividade. Nota 10Estabilidade – Com um esportivo, a suspensão privilegia um uso mais extremo onde possa aproveitar integralmente toda a potência e o bom torque. Nas curvas, o “handling” do cupê impressiona, assim como a direção com respostas diretas. Em altas velocidades, o modelo também está sempre na mão do motorista. O aparato eletrônico ainda se faz presente para garantir que tudo ocorra das forma mais segura possível. Nota 10. Interatividade – Apesar de toda pompa de ser um esportivo, o Renault Mégane R.S. é um carro bem simples. Os comandos vitais estão bem localizados e o ar-condicionado digital, sistema de som e computador de bordo são de fácil manuseio. A transmissão manual de seis marchas tem engates curtos e o volante tem boa pegada. O único dispositivo em que o condutor pode perder um tempinho extra é o GPS. São muitos comandos, botões e um “joystick” para procurar as letras na tela e digitar o endereço. Nota 9.

Consumo – Como ainda não é comercializado no Brasil, o Renault Mégane R.S. não faz parte do Programa Brasileiro de Etiquetagem do InMetro. Mas durante a avaliação do cupê, o computador de bordo acusou um média de 8 km/l em ciclo misto. Nada mal para um motor com tal torque e potência. Nota 6. Conforto – O Mégane R.S. é um esportivo. Ou seja, a suspensão prioriza a performance dinâmica, e não o conforto. E ela cobra o preço no acidentado asfalto brasileiro. A rigidez do componente fazem os ocupantes “sacolejarem” e sentir os desníveis e buracos na pista. Por outro lado, os bancos tem ótima ergonomia e bons apoios laterais. O isolamento acústico também é eficiente. Nota 7. Tecnologia – Os principais itens tecnológicos do Mégane R.S. tangem a segurança. São seis airbags, controles eletrônicos de estabilidade e tração, além do diferencial de escorregamento limitado. Outras conveniências incluem ar-condicionado dual zone, banco do motorista com ajustes elétricos, sistema de entretenimento e localização, e som premium provido pela Bose. Nota 9.

Habitabilidade – Entrar e sair do cupê necessita uma pequena ginástica devido à baixa estatura do carro. Dentro, em um cupê não há milagres. Os ocupantes traseiros são os que mais sofrem. Primeiro pela falta de espaço para as pernas e, com a carroceria cupê, também não sobra muito para a cabeça. Andar atrás no hatch só se for em pequenos trajetos ou uma carona rápida. Na frente não há grandes problemas. O porta-malas ainda leva corretos 344 litros. Nota 7. Acabamento – O Mégane R.S. não conta com um acabamento primoroso. Mas é muito superior aos Renault vendidos por aqui. No painel, há a mistura de plásticos maleáveis e rígidos. A peça ainda conta com uma simulação de fibra de carbono com uma fina listra vermelha que vai do centro em direção ao lado do carona. A mesma cor também está presente nas costuras dos confortáveis bancos de couro, volante e na alavanca de câmbio. Nota 8. Design – As linhas do hatch cupê chamam atenção. O Mégane R.S. é largo, com para-choques robustos e baixo. No perfil, as rodas escurecidas de 19 polegadas calçadas em pneus 235/35 chamam atenção. Atrás, os grandes faróis, que avançam pelas laterais, o grande losango e o difusor com escapamento único central formam um belo conjunto. Na Europa, o carro já recebeu um face-lift que o deixou com os traços mais modernos e a identidade atual da Renault. E essa estética certamente será a do carro vendido no Brasil. Nota 8.
Custo/benefício – Especula-se que o Megane R.S desembarque no mercado brasileiro com o preço entre R$ 120 mil e R$ 150 mil. Seus concorrentes por aqui seriam o Volkswagen Golf GTI e o Honda Civic Coupé. O hatch alemão parte dos R$ 102.680, mas pode ultrapassar a barreira dos R$ 140 mil com os opcionais. O GTI traz também um motor 2.0 litros turbo de 220 cv. Já o produto da marca japonesa, que vem importado do Canadá, é naturalmente aspirado e o propulsor de 2.4 litros produz 206 cv de potência. O preço chega perto dos R$ 120 mil. Exemplares premium alemães como BMW M235i, Mercedes A45 AMG e Audi S3 Sportaback custam mais de R$ 200 mil. Nota 6. Total – O Renault Mégane R.S. somou 80 pontos em 100 possíveis.

Impressões ao dirigir

Carroceria cupê, posição de dirigir quase sentada no assoalho, velocímetro com a máxima em 290 km/h, a inscrição Renault Sport no painel, transmissão manual, bancos esportivos e costuras vermelhas no volante. É assim que o Megane R.S recebe quem está prestes a “domar” seus 265 cv. O ambiente instigante ainda perdura até pressionar o botão de partida. Nas ruas, a cor preta do modelo não chama tanta atenção quanto o tradicional amarelo da Renault Sport, mas o hatch consegue entortar os pescoços ao redor.
Sem ser “provocado”, o Megane R.S se comporta como um carro “normal”. Dá para usar o modelo em situações do dia a dia sem maior alarde – basta manter o comedimento na pressão ao pedal do acelerador. Porém, o problema é não “desafiar” demais o carro. Isso porque 80% do torque já está disponível a 1.900 rotações. Ou seja, é muito fácil ser surpreendido pela força do “hot hatch”. Ao afundar o pé direito no acelerador, o modelo responde de forma brutal. A turbina sopra ar para dentro, o velocímetro sobe exponencialmente, as mãos agarram o volante com firmeza e o corpo cola no banco. Tudo isso ainda é acompanhado pelo grave ruído do motor que é emitido a cada troca de marcha. A transmissão manual faz o condutor se sentir parte integrante do carro, interagindo todas as reações e nuances do veículo. Tanto desempenho vem acompanhado de uma enorme capacidade dinâmica. O hatch mostra um impressionante equilíbrio nas curvas, com rolagem nula da carroceria e uma agilidade que nada deixa a desejar. As típicas saídas de frente de carros com tração dianteira são praticamente eliminadas no Megane R.S. com a ação do diferencial de escorregamento limitado. As mudanças de direção também são bastante rápidas e os freios a disco ventilados com pinças Brembo estão lá para garantir ainda mais segurança. Algo que, com tanto torque e potência à disposição, é sempre tranquilizador.

Ficha técnica

Renault Mégane R.S.

Motor: A gasolina, dianteiro, transversal, 1.998 cm³, com quatro cilindros em linha, quatro válvulas por cilindro, comando duplo de válvulas no cabeçote, comando de válvulas variável na admissão e turbocompressor. Acelerador eletrônico e injeção eletrônica multiponto sequencial.
Transmissão: Câmbio manual de seis marchas à frente e uma a ré com diferencial de escorregamento limitado. Tração dianteira. Oferece controle de tração.
Potência máxima: 265 cv a 5.500 rpm.
Aceleração 0-100 km/h: 6,0 segundos.
Velocidade máxima: 255 km/h.
Torque máximo: 36,7 e kgfm entre 3 mil e 5 mil rpm.
Diâmetro e curso: 82,7 mm X 93,0 mm.
Taxa de compressão: 8,6:1.
Suspensão: Dianteira do tipo McPherson com braço inferior retangular, manga-de-eixo independente e barra estabilizadora. Traseira por eixo de torção com barra estabilizadora e molas helicoidais. Oferece controle de estabilidade.
Freios: Discos ventilados na frente e atrás. Oferece ABS com EBD.
Pneus: 235/35 R19.
Carroceria: Hatch em monobloco com duas portas e cinco lugares. Com 4,29 metros de comprimento, 1,85 metro de largura, 1,43 metro de altura e 2,63 metros de entre-eixos. Oferece airbags frontais, laterais e de cortina. 
Peso: 1.387 kg.
Capacidade do porta-malas: 344 litros.
Tanque de combustível: 60 litros.
Produção: Palencia, Espanha.
Itens de série: Airbags frontais, laterais e de cortina, controles de tração e estabilidade, botão de partida, monitor central com telemetria, ar-condicionado dual zone, rádio/GPS/Bluetooth, cruise control, computador de bordo, direção elétrica, trio elétrico e diferencial de escorregamento limitado.
Preço estimado no Brasil: entre R$ 120 mil e R$ 150 mil.

Autor: Raphael Panaro (Auto Press)
Fotos: Jorge Rodrigues Jorge/Carta Z Notícias

Lado negro da força - Com 265 cv, Mégane R.S. exibe toda a esportividade e a sofisticação da Renault

Fonte: Salão do Carro
Categoria: Testes

26 de nov de 2014

Honda anuncia CB 1000R Barracuda no Brasil em 2015

Honda anuncia CB 1000R Barracuda no Brasil em 2015

A linha de motocicletas da Honda para o mercado brasileiro ganhou duas excelentes novidades nos últimos tempos, com os lançamentos da CB 650 e da Bros 160, que mostraram que a fabricante japonesa está disposta a agradar ao público daqui. E mais uma prova de que a Honda realmente pretende agraciar cada vez mais aos consumidores brasileiros é o anúncio feito por ela de que a CB 1000R Barracuda será lançada no Brasil em 2015.

Potência e estilo



A moto naked de maior potência e maior cilindrada da linha da Honda, a CB 1000R, é também uma das mais cobiçadas de todas, especialmente por causa de seu desempenho formidável. Agora ela passará a contar com a versão de nome Barracuda, que até então estava presente apenas no mercado da Itália, e que apresenta um estilo diferenciado, muito mais bonito e único. O estilo único apresentado pela Honda CB 1000R Barracuda conta com grafismo diferenciado, que traz a presença das cores azul, branco e vermelho, resultando em um visual exclusivo que deverá fazer muito sucesso por aqui.

Esportividade em todos os sentidos



O visual da Honda CB 1000R Barracuda não é o único ponto que indica a esportividade latente desta naked, já que a motorização e a lista de equipamentos não apenas faz com que se tenha a impressão de que se trata de uma moto esportiva. Ela comprova! A Honda CB 1000R Barracuda traz o mesmo motor da linha convencional, o potente 4 cilindros de 998,3 cc, que é capaz de entregar uma potência de nada menos do que 125,1 cavalos e um torque de 10,1 kgfm. Desta forma, a Honda CB 1000R Barracuda é capaz de ter um desempenho realmente acima da média em comparação com outras motos do mesmo segmento, o que deverá fazer dela o modelo mais cobiçado de toda a linha da Honda no mercado brasileiro. E a preocupação para com a segurança dos motociclistas também esteve presente no projeto da Honda CB 1000R Barracuda, que chegará ao mercado brasileiro equipada com sistema de freios C-ABS, que permite que as rodas da moto não se travem em situações de frenagens bruscas. No entanto, para quem já está interessado na Honda CB 1000R Barracuda, a má notícia é que o seu preço ainda não foi definido para o mercado brasileiro, o que deve ser anunciado em breve. O modelo deverá chegar às concessionárias Honda de todo o Brasil no início de 2015. 
O visual da Honda CB 1000R Barracuda não é o único ponto que indica a esportividade latente desta naked, já que o motor é 4 cilindros de 998,3 cc.

Fonte: Salão do Carro
Categoria: Motos

Honda XR-V chega à China por R$ 52.490

Honda XR-V chega à China por R$ 52.490

Cada vez mais as principais montadoras do mundo começam a apontar suas atenções para o mercado da China, que é o mercado com maior potencial de crescimento do mundo todo na atualidade. Com isso, cada vez mais montadoras começam a fazer lançamentos de modelos exclusivos para os consumidores chineses, sendo que alguns são produzidos localmente por meio de parcerias e por meio de joint-ventures. O mais recente exemplo disto veio da montadora japonesa Honda, que acabou de lançar com exclusividade para a China o SUV XR-V, que é fabricado por lá mesmo, pela joint-venture Dongfeng-Honda.

Bizarrice mercadológica



Com linhas diferenciadas, o Honda XR-V que acaba de chegar à China já tem preço definido, com valores que variam entre 127.800 yuans e 162.800 yuans, o que equivaleria, sem os impostos brasileiros, a preços entre R$ 52.490 e R$ 66.860. Para que o consumidor brasileiro tenha uma ideia do que isto significa, o valor cobrado pelo Honda HR-V dentro do mercado brasileiro varia entre R$ 70 mil e R$ 90 mil, o que escancara o peso dos impostos dentro do Brasil. Aliás, para quem ainda possa não ter percebido, o SUV XR-V e o SUV HR-V são exatamente os mesmos veículos, sendo que o primeiro apresenta linhas e estilo modificados exclusivamente para o mercado chinês. O que pode parecer bizarro é que os dois modelos serão comercializados por lá, já que o HR-V é fruto de outra joint-venture da Honda dentro do mercado chinês, a Guangzhou-Honda.

Visual mais agressivo



Apesar de ser praticamente o mesmo carro que o HR-V, o fato é que o Honda XR-V traz algumas mudanças, especialmente no que diz respeito ao seu estilo, que é bem mais esportivo e agressivo. Ele apresenta faróis menores, para-choque frontal mais pronunciado e outros detalhes que o deixam realmente mais moderno do que seu “irmão” Honda HR-V, que tem visual mais conservador. No que diz respeito ao seu motor, o modelo traz duas versões: 1.5 litro, que é capaz de entregar 131 cavalos de potência e 1.8 litro, que é capaz de entregar 165 cavalos de potência. Em relação ao sistema de transmissão, haverá duas opções, sendo uma com câmbio manual de 5 marchas e outra automática CVT, sendo que estas duas opções estarão disponíveis para os dois motores que equipam o Honda XR-V chinês, que deverá ser um grande sucesso por lá, que é um mercado que aprecia utilitários esportivos.
Com linhas diferenciadas, o Honda XR-V que acaba de chegar à China já tem preço definido, partindo de 127.800 yuans, ou R$ 52.490.

Fonte: Salão do Carro
Categoria: Prévias

Shows e atrações especiais agitam o último fim de semana do Salão de São Paulo

Shows e atrações especiais agitam o último fim de semana do Salão de São Paulo






Shows e espetáculos de dança devem agitar o último fim de semana do Salão de São Paulo Divulgação O último fim de semana da 28ª edição do Salão do Automóvel de São Paulo, a maior feira de carros da América Latina, contará com espetáculos de dança e música que prometem agitar o público que estiver no evento automotivo, que segue no Anhembi até o próximo domingo (9). Além dos modelos inéditos, superesportivos e conceitos expostos, estão programadas diversas atrações especiais no Pavilão do Anhembi. Uma delas é apresentação, no estande da Chevrolet, dos cantores Wilson Simoninha e Luiza Possi, nesta sexta-feira (7). No sábado (8), é a vez dos cantores Léo Maia e Emanuelle Araújo se apresentarem. Por fim, quem deixou para ir ao evento no último dia (domingo) terá a oportunidade de conferir os cantores Nasi, do Ira!, e Paula Lima. A apresentação ocorrem sempre às 20h30. Além das apresentações das celebridades, haverá espetáculos de dança e música nos estandes de diversas montadoras, entre elas a própria Chevrolet.    Está acabando... Diversas celebridades, artistas e esportistas já marcaram presença na exposição, como o piloto de Fórmula 1 Felipe Massa, que realizou na última quinta-feira (5) uma sessão de autógrafos no estande da Petrobras. Nesta sexta-feira (6), a panicat Nicole Bahls participou de um programa de rádio direto do evento. Ferrari 458 Speciale é uma das maiores atrações (estáticas) da Feira Daia Oliver/R7 No estande da Petrobrás, há uma réplica de Fórmula 1 como simulador para os fãs de games. Quem conseguir ser mais rápido do que 1m12s e 500 milésimos no circuito de Interlagos, ganha um par de ingresso para o GP, que acontece no próximo domingo (9). O Salão do Automóvel de São Paulo também tem atenção especial para crianças e mulheres. Para os mirins, a Citröen oferece pintura, vídeo game, massinha colorida e um quebra-cabeça que pode ser montado na lataria de um C3 Picasso. Outras expositoras também oferecem espaço reservado para os pequeninos. No estande da Volkswagen, a stylist Clara Lima, que atua junto a personalidades como Mariana Ximenes, Leandra Leal e Ivete Sangalo, dá dicas de moda a cada meia hora para as mulheres em sua minioficina de moda  A marca também oferece outras atrações, como o simulador GTI Powerstation e o espaço Think Blue.  SERVIÇO Quando A feira ocorre entre os dias 30 de outubro e 9 de novembro, nos seguintes horários: 30/10 (primeiro dia): das 14h às 22h, com entrada permitida até as 21h 31/10 a 08/11: das 13h às 22h, com entrada permitida até as 21h 09/11 (último dia): das 11h às 19h, com entrada permitida até as 17h Onde Pavilhão de Exposições do Anhembi, na av. Olavo Fontoura, 1.209 - Santana - São Paulo/SP Como chegar Haverá ônibus gratuito saindo da estação Tietê do Metrô (linha Norte-Sul), nos dias da semana, e do Terminal Rodoviário Barra Funda (linha Leste-Oeste), nos finais de semana. As saídas começam uma hora antes da abertura, e terminam uma hora após o fechamento. Preços — No local, os preços são de R$ 40 (1º dia), R$ 60 (dia de semana) e R$ 80 (fim de semana); — Pelo Facebook, os tiquetes custam R$ 35,20 (1º dia), R$ 52,80 (dia de semana) e R$ 70,40 (fim de semana) — quem curtir a página oficial ganha desconto; — Pela primeira vez, os ingressos poderão ser impressos em casa e haverá entrada preferencial aos portadores do e-ticket; — A meia-entrada é válida para crianças, estudantes (com comprovação por documento), professores, aposentados e idosos (acima de 60 anos); — Descontos são disponíveis para caravanas, grupos e quem comprar pelas redes sociais; — A entrada é gratuita para crianças entre 0 e 5 anos; — Clique aqui para conferir a lista completa de pontos de vendas. Dicas — Use roupas leves e calçados confortáveis. Além de amplo, o pavilhão de exposições do Anhembi costuma registrar temperaturas elevadas nesta época do ano; — Haverá cinco praças de alimentação, mas é recomendado ir bem alimentado uma vez que os preços na feira costumam ser “salgados”; — Há vagas exclusivas, banheiros adaptados, rampas de acesso e até cadeira de rodas motorizadas para os visitantes com necessidades especiais. Informe-se na Sala de Segurança; — Haverá um posto médico próximo ao portão 13 e serviço de guarda-volumes próximo ao portão de saída ao custo de R$ 15, além de caixas eletrônicos e telefones públicos; — Com previsão de 750 mil visitantes, o evento deve lotar, sobretudo, aos fins de semana. Ou seja, tente ir durante a semana para olhar os modelos com mais calma e conforto. Saiba tudo sobre carros! Acesse www.r7.com/carros

Fonte: R7
Categoria: formula-1

Renault lança Sandero Stepway 2015

Renault lança Sandero Stepway 2015

As versões “aventureiras” de modelos têm sido lançadas com grande frequência dentro do mercado brasileiro, sempre visando atingir a um público mais jovem e mais ligado às viagens e às aventuras. A maior parte destas versões que são lançadas dentro do mercado brasileiro acaba fazendo sucesso, trazendo retorno considerável às montadoras, que passam a apostar cada vez mais fichas nelas. Pois a Renault também embarcou nesta linha há alguns anos, quando lançou o Sandero Stepway, que foi muito bem recebido pelo público brasileiro, apresentando boa vendagem. Tanto é verdade, que a montadora francesa decidiu lançar o Sandero Stepway 2015, que foi apresentado no último Salão do Automóvel de São Paulo e que já está disponível nas principais concessionárias da marca em todo o Brasil.

Novidades para os consumidores mais antenados



Preocupada em observar os comportamentos de seus consumidores, a Renault tratou de dar ao novo Sandero Stepway 2015 tudo o que há de melhor em matéria de tecnologia, que é o ponto alto no mercado na atualidade. Seguindo esta linha, a Renault equipou o novo Sandero Stepway 2015 com o moderno sistema Media NAV 1.2, que permite ao usuário acessar e controlar uma série de funções de modo bem mais prático e eficiente por meio de uma tela sensível ao toque com 7 polegadas. O modelo também passa a contar com ar-condicionado automático, além de piloto automático e sensor de estacionamento, entre muitas outras coisas, que deverão fazer do Sandero Stepway 2015 uma das melhores opções do mercado.

Motor



Se você já se sentiu atraído pelo novo Renault Sandero Stepway 2015 só por causa da quantidade de itens de série apresentados, vai ficar ainda mais interessado por causa do motor que equipa o modelo “aventureiro” da montadora francesa já que ele se mantém eficiente como sempre. O motor continua sendo o 1.6 8V Hi-Power, que é capaz de entregar ao modelo uma potência de 106 cavalos quando ele é abastecido com etanol, sendo que esta potência cai para 98 cavalos quando ele é abastecido com gasolina. O sistema de transmissão apresentado pelo modelo permanece com câmbio manual de 5 velocidades, sendo que há também a opção automática chamada de Easy’R, que também apresenta bancos revestidos de couro. Em relação aos preços, o novo Renault Sandero Stepway 2015 chega ao mercado brasileiro custando a partir de R$ 48.650, o que o coloca como uma excelente opção para quem procura por um veículo moderno e de bom desempenho.
A Renault equipou o novo Sandero Stepway 2015 com o moderno sistema Media NAV 1.2, que permite ao usuário acessar e controlar uma série de funções.

Fonte: Salão do Carro
Categoria: Lançamentos

Caminhão consegue salto incrível por cima de carro de F-1

Caminhão consegue salto incrível por cima de carro de F-1



Carros saltando um por cima dos outros não chega a ser necessariamente uma novidade. Existem diversas provas, shows e eventos que mostram este tipo de manobra. Mas o que acontece quando um grande caminhão tenta saltar por cima de um carro de F-1? O resultado são imagens realmente impressionantes de um gigante saltando pelos ares. A ideia inicial do vídeo era fazer um filme promocional, que foi encomendado originalmente pela empresa de informática EMC. Mas o resultado acabou ficando tão bom que tanto a empresa quanto a produtora do filme resolveram convidar a equipe do Guiness Book para registrar o salto do caminhão da Renault por cima de um veículo de F-1.

Segundo as informações oficiais que foram divulgadas pelos produtores do filme e da manobra, o caminhão percorreu um total de 27,5 metros em pleno ar.
Veículo da Renault conseguiu entrar para o Guiness.

Fonte: Salão do Carro
Categoria: Vídeos

25 de nov de 2014

Nissan apresenta novo Murano

Nissan apresenta novo Murano

Com intenções claras de expansão para novos mercados e de solidificação da marca nos mercados onde já está presente, a Nissan tem tomado algumas medidas voltadas para deixar sua linha de produção ainda mais eficiente e mais barata. E um bom exemplo de uma destas medidas tomadas pela montadora japonesa envolve o SUV Murano, que em sua nova versão passará a ser fabricado nos Estados Unidos, na fábrica localizada em Canton, no Mississipi.

Objetivos expressos



O novo Murano 2015 foi apresentado, e será fabricado nos Estados Unidos, na mesma fábrica onde já são fabricados os modelos Armada, Frontier, Xterra e Titan. Deste modo, a Nissan pretende deixar a produção do SUV Murano 2015 mais barata, transferindo a produção do modelo para os Estados Unidos, de onde ele poderá ser exportado para nada menos do que 100 países. Até então, o Nissan Murano era produzido apenas no Japão, o que tornava inviável a exportação para mercados no Ocidente, que sempre foi a intenção da montadora para este SUV.

Investimentos

O novo Nissan Murano 2015 recebeu grandes investimentos para que se tornasse ainda mais moderno e ainda mais eficiente, para agradar aos consumidores mais exigentes, que gostam de crossovers modernos. Mas os investimentos não foram feitos apenas para projetar o novo Murano 2015, já que muitos investimentos foram feitos pela Nissan também para deixar a fábrica em Canton, no Mississipi ainda mais preparada para iniciar a produção em larga escala do SUV. Desta forma, nada menos do que 1.300 novos empregados foram adicionados, elevando para um total de 6 mil, o número de empregados que trabalham na linha de produção da fábrica nos Estados Unidos.

Para o Brasil

O novo Murano 2015 traz linhas inovadoras e modernas, além de também contar com equipamentos de primeira linha, que deverão agradar aos consumidores dos mais de 100 mercados para onde a Nissan pretende exportá-lo. E por ser um número considerado alto de mercados para onde ela pretende enviar o novo Murano 2015, é possível que também o mercado brasileiro receba o SUV da marca já no próximo ano. Com motor 3.5 V6 capaz de produzir uma potência de 260 cavalos que trabalha de modo associado a um sistema de transmissão CVT XTronic, o novo Murano 2015 deverá ser um sucesso de vendas da Nissan para os principais mercados mundiais. A estimativa é de que, só nos Estados Unidos, já em 2015, a Nissan consiga produzir nada menos do que 85% de todos os modelos comercializados por lá.
Com motor 3.5 V6 capaz de produzir uma potência de 260 cavalos, O novo Murano 2015 foi apresentado, e será fabricado nos Estados Unidos.

Fonte: Salão do Carro
Categoria: Prévias

Mercedes apresenta Maybach Classe S

Mercedes apresenta Maybach Classe S

Muitas pessoas conhecem a montadora alemã Mercedes-Benz como sendo uma montadora de carros de luxo, sempre capaz de produzir modelos repletos de requinte e com grande exclusividade. Para reforçar ainda mais esta imagem junto às pessoas, a Mercedes decidiu resgatar o nome Maybach, que sempre foi considerado um ícone do luxo da montadora alemã, e lançou um modelo novo: o Mercedes Maybach Classe S.

Estreia em Guangzhou



O Mercedes Maybach Classe S fez a sua estreia durante o Salão de Guangzhou, na China, mostrando a importância deste mercado asiático, que é cada vez mais crescente, especialmente para as montadoras de carros de luxo. Com equipamentos de luxo ainda mais exclusivos do que os que são normalmente vistos nos demais modelos do portfólio da Mercedes-Benz, o Maybach Classe S irá representar o surgimento de mais uma submarca dentro do universo de modelos da montadora alemã, assim como ocorrido com a AMG.

Silenciosa e luxuosa

Com 5,453 metros de comprimento, o Mercedes Maybach Classe S é simplesmente o modelo de série de grande porte do segmento de limousines mais silencioso do mundo todo na atualidade. E esta característica visa agradar em cheio aos compradores mais exigentes, que desejam ter pouco ou quase nenhum ruído dentro da cabine durante suas viagens, sejam elas curtas ou não. O conforto fica por conta do espaço interno, que é superior ao que é oferecido pela maior parte dos demais modelos da própria Mercedes-Benz, o que é garantido pela distância entre eixos, que é de 3,365 metros. O modelo conta com uma série de itens de tecnologia e de luxo, como a iluminação ambiente presente na parte lateral do apoio para os braços, que estão localizados em bancos executivos de primeira linha.

Motor

O Mercedes Maybach Classe S apresenta uma versão top de linha, que é chamada de S 600, que conta com um motor potente, V12 biturbo, que consegue entregar uma potência de nada menos do que 530 cavalos. Já a versão intermediária, chamada de S 500, apresenta o motor V8 biturbo, que é capaz de entregar uma potência de 455 cavalos, o que também garante um excelente desempenho. E no que diz respeito à economia de combustível, a Mercedes-Benz demonstrou preocupação, e conseguiu fazer com que o consumo médio ficasse na casa dos 8,9 litros/100 km rodados. Portanto, se você ficou interessado em saber mais sobre o Mercedes Maybach Classe S deverá ser lançado em fevereiro do ano que vem. 
O Mercedes Maybach Classe S apresenta uma versão top de linha, que é chamada de S 600, que conta com um motor potente, V12 biturbo.

Fonte: Salão do Carro
Categoria: Prévias

o novo Ford Explorer 2015

o novo Ford Explorer 2015



Comemorando 25 anos no Salão de Los Angeles, o Ford Explorer ganhou visual atualizado de presente. São mudanças pequenas, como novos para-choque dianteiro, grade e faróis, enquanto na traseira as lanternas tem nova organização das luzes e novo aerofólio que, segundo a Ford, melhora o arrasto aerodinâmico do carro.


Por dentro, os materiais de acabamento tem qualidade melhor e o console central passa a ter mais botões. É que os clientes não gostaram muito dos comandos concentrados na tela sensível ao toque e a Ford decidiu voltar atrás.

Quem estreia é a versão Platinum, com faróis de LEDs, proteção prateada na base dos para-choques, teto-solar duplo e rodas aro 20”, enquanto por dentro há bancos em couro perfurado e acabamento de madeira acetinado, além de quadro de instrumentos digital.
Na mecânica, apenas uma troca. O motor 2.0 EcoBoost foi substituído pelo 2.3 EcoBoost, o mesmo do Mustang, que gera 270cv e 41kgfm de torque.

Veja o Video da nova Ford Explorer





Fonte: Carros Novos

Supercarros, ecológicos, conceitos ou utilitários? Mapa interativo mostra como ir direto ao ponto no Salão 

Supercarros, ecológicos, conceitos ou utilitários? Mapa interativo mostra como ir direto ao ponto no Salão 



Edição 2014 tem acesso fácil e climatização, mas calor é grande Divulgação A 28ª edição do Salão do Automóvel de São Paulo termina neste domingo (9), e entre os mais de 500 carros e 150 lançamentos expostos nos estandes, haverá espetáculos de dança e música para marcar o encerramento da maior feira de carros da América Latina. Para ajudar os visitantes a aproveitar ao máximo o evento, R7 Carros preparou um mapa interativo com sugestões de trajetos e fotos dos principais modelos de cada marca. Com este guia definitivo, será fácil e rápido encontrar os carros desejados — desde SUVs, ecológicos, conceitos ou superesportivos. Abaixo, listamos também os preços, dicas sobre roupas, alimentação e transporte, e os horários de funcionamento. Descubra no mapa o melhor caminho e divirta-se! LEIA TAMBÉM: Preços, horários, dicas: saiba tudo sobre o Salão do Automóvel de São Paulo Giga galeria: Veja todos os veículos expostos na feira paulistana Carros ecológicos dão show no Salão, mas têm futuro incerto no Brasil Saiba tudo sobre carros! Acesse www.r7.com/carros

Fonte: R7

Cadillac lança ATS-V 2016

Cadillac lança ATS-V 2016

Considerada uma das montadoras mais clássicas de todos os tempos, a Cadillac é capaz de lançar alguns dos modelos mais icônicos, sempre chamando muita atenção de todos. A montadora acabou de apresentar mais um modelo importante, desta vez durante o Salão de Los Angeles, nos Estados Unidos. O modelo se chama ATS-V 2016, e é um carro de luxo realmente diferenciado.

Apresentado em duas versões



Durante o Salão de Los Angeles deste ano, a Cadillac apresentou de modo oficial as duas versões (sedã e cupê) do modelo ATS-V, que é um carro de luxo que traz detalhes diferenciados de seus concorrentes mais diretos. O Cadillac ATS-V 2016 traz um design muito mais agressivo do que normalmente é visto neste tipo de modelo de luxo, além de também contar com peças de fibra de carbono espalhadas pela carroceria, como o seu capô, por exemplo. A esportividade que a agressividade de suas linhas apontam fica ainda mais evidente pela presença dos spoilers dianteiro e traseiro, além das saias laterais, das rodas com 18 polegadas (acompanhadas de pneus Michelin esportivos) e pelas 4 saídas de escapamento. Desta forma, a Cadillac demonstra claramente que deseja alcançar um público mais jovem, procurando “fugir” um pouco da imagem de fabricante de carros voltados para um público mais experiente.

Pacote ainda mais agressivo

E para quem desejar deixar o modelo ainda mais esportivo, a Cadillac colocou à disposição dos compradores, um pacote ainda mais agressivo, que permite deixar o ATS-V 2016 ainda mais esportivo. Neste pacote é possível encontrar peças diferenciadas, todas feitas de fibra de carbono, além de também ser um pacote que deixa o interior do modelo ainda mais diferenciado e esportivo.

Desempenho

Se você está pensando que o Cadillac ATS-V 2016 é esportivo apenas em seu visual, você irá se surpreender com o desempenho que este modelo pode apresentar que irá superar muitos modelos que se dizem esportivos que estão no mercado atualmente. O motor do modelo é um 3.6 litros V6 biturbo, que é capaz de entregar uma potência impressionante de 461 cavalos ao ATS-V 2016, além de um torque de 61,49 kgfm, sendo que este motor trabalha com duas opções de transmissão. A primeira é a manual com 6 velocidades, enquanto que a segunda é a automática com 8 velocidades e que conta com borboletas para realização de trocas manuais presentes no volante do modelo. Com este motor, o desempenho formidável apresentado permite que o ATS-V 2016 da Cadillac consiga acelerar de 0 a 100 km/h em apenas 3,9 segundos e atinja uma velocidade máxima de 297 km/h. 
O Cadillac ATS-V 2016 traz um design mais agressivo do que normalmente é visto neste tipo de modelo de luxo. Ainda vem com motor 3.6 litros V6 biturbo

Fonte: Salão do Carro
Categoria: Prévias

24 de nov de 2014

Landwind X7 é apresentado na China

Landwind X7 é apresentado na China





Não podia ser em momento pior. A Land Rover acabou de dar início a produção do Evoque na China, em parceria com a Chery. E a semelhança entre os dois carros é maior do que meros detalhes, é enorme! Só não engana mais porque a grade e o para-choque dianteiro é bem diferente e na traseira uma barra preta com o nome da marca deixa bem claro que este é outro “Land”. Nem o interior se salva da “inspiração”: até o teto panorâmico foi reproduzido.



O Landwind X7 é baseado no X5 (não confundir com o BMW), que chega ao Brasil no segundo semestre de 2015. O motor é um 2.0 turbo de 204cv fornecido pela Mitsubishi, com opção de câmbio manual de seis marchas ou automático de oito.
Na China, o Land Wind X7 custará cerca de 120 mil yuans, coisa de R$ 44 mil sem impostos, um quarto do valor do Evoque por lá. Por aqui a ideia da S.Auto é vender o genérico pela metade do preço do Evoque, coisa de R$ 85 mil. Mas a previsão de lançamento no Brasil é para 2017, segundo a importadora S-Auto…





o que voce achou do novo O Landwind X7 deixe seu comentario

Fonte: Carros Novos

Carro novo é o prêmio mais desejado dos consumidores paulistanos no Natal 

Carro novo é o prêmio mais desejado dos consumidores paulistanos no Natal 



Após as compras, consumidores querem concorrer a carros Kena Betancur/Getty Images News Os carros e pacotes de viagens são os prêmios mais desejados pelos paulistanos que participam de promoções dos shoppings em épocas natalinas, informou um estudo da AMPRO (Associação de Marketing Promocional) em parceria com a Omelete Inteligência divulgado nesta quinta-feira (6). No último mês de setembro, o levantamento consultou mil pessoas para saber quais as expectativas delas em relação à melhor premiação nesse período. Os carros responderam por 46,9% da vontade dos consumidores — 61% deles preferem os veículos importados. Os pacotes de viagens ficaram com 28% da fatia dos entrevistados e, em terceiro lugar, prêmios em compras no valor de R$ 5 mil. Passagens aéreas e smartphones corresponderam a menos de 5% dos entrevistados. Entre os entrevistados, 54% eram do sexo masculino e 46% do feminino — 75% deles com idade entre 21 e 35 anos, residente na capital paulista. O levantamento faz parte da série de estudos que começa a ser produzida pela AMPRO, por meio do Comitê de Conteúdo e Inovação, recém criado para estimular a geração de novos conteúdos e estudos para alimentar o setor de Live Marketing no Brasil.

Saiba tudo sobre carros! Acesse www.r7.com/carros

Fonte: R7

23 de nov de 2014

Primeiro fim de semana do Salão do Automóvel teve alerta sobre cambistas, test-drive e muito calor

Primeiro fim de semana do Salão do Automóvel teve alerta sobre cambistas, test-drive e muito calor






Dezenas de milhares de pessoas vieram de várias partes do País para ver os carrões desta 28ª edição da feira Daniel Teixeira/Estadão Conteúdo Veja a galeria completa Belas modelos também estão fazendo sucesso nos estandes Fernando Neves/Futura Press/Estadão Conteúdo Nem mesmo o calor fez os fanáticos por carros ficarem em casa nos três primeiros dias da 28ª edição do Salão do Automóvel de São Paulo. Diversas atrações estão disponíveis para o público, como shows de música nos estandes, atrações para as crianças, áreas para test-drive e games que simulam a sensação de dirigir. São tantas atrações que, nos primeiros dias, a organização registrou protestos de cunho político e até a presença de cambistas. Para coibir a venda ilegal de ingressos, os organizadores pedem aos visitantes que não comprem seus tickets fora das bilheterias oficiais. Neste ano, há varias formas de comprar um ingresso, desde vendas on-line durante todo o período do evento até a aquisição via celular — a validação é feita na tela do aparelho. Quem optar por comprar no pavilhão de exposições do Anhembi, as mais de 50 bilheterias funcionam diariamente das 13h às 21h. Atrações de todos os tipos Evidentemente, as principais atrações do motor show paulistano são os carros. Mas há também novidades no segmento de acessórios, além de atividades que prometem agitar o público ao longos dos próximos seis dias — lembrando, o salão vai até o próximo domingo, 9 de novembro. Na agenda da feira há shows de música em vários estandes, test-drives e simuladores que permitem uma experiência virtual com algumas máquinas. Com expectativa de receber 750 mil visitantes em 2014, a loja oficial do Salão do Automóvel de São Paulo pretende vender 20% a mais do que na edição de 2012. Para tanto, oferece diversas opções de produtos, desde canetas, camisetas polo, jaquetas até itens como, chupetas (para recém-nascidos), minicarros elétricos (para a criançada), kits para cuidado com as unhas (mulheres) e cinto de segurança para cães. Curiosidade: tem lustre mais caro que muito carro No estande da francesa Citröen, na ala dedicada à linha de luxo DS, há um lustre da Baccarat, o Mille Nuits, com 18 luzes e 124 centímetros de altura. A peça, que é exclusiva no Brasil, custa nada menos que R$ 135 mil — chega a custar mais que o DS5 Faubourg Addict, modelo iluminado pelo lustre, com preço estimado em R$ 132 mil. SERVIÇO Quando A feira ocorre entre os dias 30 de outubro e 9 de novembro, nos seguintes horários: 30/10 (primeiro dia): das 14h às 22h, com entrada permitida até as 21h 31/10 a 08/11: das 13h às 22h, com entrada permitida até as 21h 09/11 (último dia): das 11h às 19h, com entrada permitida até as 17h Onde Pavilhão de Exposições do Anhembi, na av. Olavo Fontoura, 1.209 - Santana - São Paulo/SP Como chegar Haverá ônibus gratuito saindo da estação Tietê do Metrô (linha Norte-Sul), nos dias da semana, e do Terminal Rodoviário Barra Funda (linha Leste-Oeste), nos finais de semana. As saídas começam uma hora antes da abertura, e terminam uma hora após o fechamento. Preços — No local, os preços são de R$ 40 (1º dia), R$ 60 (dia de semana) e R$ 80 (fim de semana); — Pelo Facebook, os tiquetes custam R$ 35,20 (1º dia), R$ 52,80 (dia de semana) e R$ 70,40 (fim de semana) — quem curtir a página oficial ganha desconto; — Pela primeira vez, os ingressos poderão ser impressos em casa e haverá entrada preferencial aos portadores do e-ticket; — A meia-entrada é válida para crianças, estudantes (com comprovação por documento), professores, aposentados e idosos (acima de 60 anos); — Descontos são disponíveis para caravanas, grupos e quem comprar pelas redes sociais; — A entrada é gratuita para crianças entre 0 e 5 anos; — Clique aqui para conferir a lista completa de pontos de vendas. Dicas — Use roupas leves e calçados confortáveis. Além de amplo, o pavilhão de exposições do Anhembi costuma registrar temperaturas elevadas nesta época do ano; — Haverá cinco praças de alimentação, mas é recomendado ir bem alimentado uma vez que os preços na feira costumam ser “salgados”; — Há vagas exclusivas, banheiros adaptados, rampas de acesso e até cadeira de rodas motorizadas para os visitantes com necessidades especiais. Informe-se na Sala de Segurança; — Haverá um posto médico próximo ao portão 13 e serviço de guarda-volumes próximo ao portão de saída ao custo de R$ 15, além de caixas eletrônicos e telefones públicos; — Com previsão de 750 mil visitantes, o evento deve lotar, sobretudo, aos fins de semana. Ou seja, tente ir durante a semana para olhar os modelos com mais calma e conforto. Saiba tudo sobre carros! Acesse www.r7.com/carros

Fonte: R7

Karmann Guia TC em 1973

Karmann Guia TC em 1973

    O Karmann Ghia lançado em 1962 havia – acreditem se quiser – perdido folego no emergente mercado da década de 1970. Então o já criativo seleiro Brasileiro de engenheiros resolveu reestilizar o Karmann Ghia para os novos tempos, surgindo assim o Karmann Ghia TC que lançado em 1971 trazia lembranças e estilos do Porsche 911. Porém com a vinda do SP2 e seu desempenho fraco fizeram com que sua fabricação fosse encerrada em 1975 deixando saudades em todos os amantes de antigos.


    O Karmann Ghia lançado em 1962 havia – acreditem se quiser – perdido folego no emergente mercado da década de 1970. Então o já criativo seleiro Brasileiro de engenheiros resolveu reestilizar o Karmann Ghia para os novos tempos, surgindo assim o Karmann Ghia TC que lançado em 1971 trazia lembranças e estilos do [...]

Fonte: 4 Rodas Carburada
Categoria: Publicidade em Quatro Rodas
Autor: Fabio Paiva

22 de nov de 2014

Chevrolet desenvolve protótipo de carro movido a laser

Chevrolet desenvolve protótipo de carro movido a laser



O que era para ser um modelo de carro somente para o mundo virtual dos games acabou se transformando também em um modelo real. O carro, batizado como Chaparral 2X VGT, teve um modelo não funcional mostrado presencialmente durante o Salão de Los Angeles. O carro teve o seu modelo criado a partir da inspiração nos esportivos de competição da equipe Chaparral Racing da década de 1960, já que a fabricante foi uma das parceiras da equipe. Mas o veículo realmente parece que foi feito para um futuro não muito distante, especialmente pelas suas características de funcionamento.

No mundo virtual o carro utiliza um sistema de propulsão a laser que foi criado a partir de estudos avançados de equipamentos utilizados em viagens espaciais. Caso o sistema funcionasse no mundo real, acoplado ao modelo criado do carro, com formas aeroespaciais avançadas para o seu tempo, ele poderia ir de 0 a 100 km/h em apenas 1,5 segundos. A velocidade máxima do veículo seria de 400 Km/h. É claro que o carro não funciona, já que no Salão foi apresentado apenas um modelo baseado, com este conceito de laser, mas representantes da empresa afirmam que a Chevrolet já criou um modelo real dele, incluindo um sistema de motores parecido com o apresentado no carro virtual. 
Modelo foi oficialmente criado como um carro virtual para o game Gran Turismo 6.

Fonte: Salão do Carro
Categoria: Vídeos

Toyota anuncia o modelo Mirai

Toyota anuncia o modelo Mirai

Veículos com tecnologias diferenciadas de combustível, preferencialmente que utilizem tecnologias de energia renovável e que não emitem poluentes são o próximo passo para o futuro da indústria automobilística mundial. Eles representam uma verdadeira revolução dentro do mercado, pois apontam para uma preocupação cada vez maior para com o meio ambiente e para com a emissão de gases na atmosfera em virtude de veículos. Mais um passo importante rumo ao futuro das energias renováveis e dos combustíveis alternativos foi dado com o anúncio feito esta semana pela Toyota, que mostrou ao mundo o modelo Mirai, que é um veículo movido a hidrogênio.

Primeiro carro de série movido a hidrogênio

O Mirai pode ser considerado inovador e histórico por diversos motivos, mas o principal, sem sombra de dúvidas, se deve ao fato de que ele é o primeiro carro de série movido a hidrogênio do mundo. Ele será produzido em larga escala pela montadora japonesa, para ser lançado comercialmente, inicialmente nos mercados do Japão e dos Estados Unidos, já em 2015. A intenção da Toyota é lançá-lo comercialmente em praticamente todos os principais mercados do mundo em no máximo 3 anos, como parte de uma estratégia voltada para a produção dos chamados “carros verdes”.

O Toyota Mirai foi batizado com este nome justamente pelo fato de que em japonês, a palavra Mirai significa “futuro”, que é justamente o que o modelo representa para o mercado mundial. Com 4 portas, este sedã médio apresenta as mesmas dimensões do Toyota Camry que é comercializado atualmente no mercado brasileiro, trazendo design similar aos modelos do portfólio da marca. O Toyota Mirai apresenta autonomia de 480 km, sendo que seu tanque de hidrogênio poderá ser reabastecido em um procedimento que não irá durar mais do que 5 minutos.

Poluição zero

Para a alegria dos defensores de carros que poluem menos o ambiente, o Toyota Mirai simplesmente irá emitir pelo seu escapamento apenas vapor d’água, o que não irá agredir o meio ambiente em absolutamente nada. A célula de combustível que permite ao Toyota Mirai se movimentar é o local onde o hidrogênio é combinado ao oxigênio presente no ar, gerando, como resultado do processo, água e eletricidade. Para fazer com que este processo que proporciona energia para movimentar o sedã continue ocorrendo, é necessário reabastecer o tanque com hidrogênio, fazendo com que a reação química possa ser mantida em pleno funcionamento.
O Toyota Mirai é o primeiro carro de série movido a hidrogênio do mundo. Ele será produzido em larga escala, e será lançado oficialmente já em 2015.

Fonte: Salão do Carro
Categoria: Prévias

Renault Oroch é a picape Duster disfarçada de conceito, que chega em 2015 para enfrentar Strada top e S10

Renault Oroch é a picape Duster disfarçada de conceito, que chega em 2015 para enfrentar Strada top e S10



Inédito, conceito Duster Oroch antecipa picape derivada do SUV Diogo de Oliveira/R7 Utilitário criará segmento das picapes "meio-médias" Diogo de Oliveira/R7 Quem for ao Salão do Automóvel de São Paulo certamente vai se surpreender com o conceito Renault Oroch. Trata-se da versão picape do SUV compacto Duster disfarçada de protótipo. É um modelo de proporções inéditas, razoavelmente maior que a Fiat Strada, líder entre as compactas, e pouco menor que uma Chevrolet S10, campeã de vendas entre as picapes médias há uma década e meia. Um projeto ousado, que está bem próximo das ruas. O utilitário chegará às lojas em 2015, prossivelmente no primeiro semestre, com produção nacional no complexo industrial de São José dos Pinhais, no Paraná, e preços acessíveis. Custará pouco mais de R$ 50 mil na versão de entrada, indicada aos frotistas, com grande capacidade de carga e mecânica robusta. Ao mesmo tempo, oferecerá conforto de carro de passeio, com espaço de SUV e cabine dupla para levar até cinco adultos. Com a picape Duster, a Renault vai criar um segmento inédito que promete encorpar nos próximos anos — a Fiat também está desenvolvendo sua picape "meio-média", que nascerá do conceito FCC4, outro destaque desta 28ª edição do motor show paulistano. Ambos estão previstos para 2015, mas o projeto da marca francesa se mostra adiantado. Segundo o presidente da Renault do Brasil, Olivier Murguet, a picape terá papel estratégico. Sandero Stepway é um dos estreantes do Salão de São Paulo Diogo de Oliveira/R7 — Ainda é um show car, mas é evidentemente que quem chegar primeiro ganhará um bônus pelo pioneirismo. É um segmento que não existe hoje. Estamos preparando uma proposta inovadora de picape, a Oroch une características cargueiras e de carro de passeio. Para crescer mais, precisamos investindo em novas frentes.

Outro destaque da Renault em SP é Fluence 2015, reestilizado Diogo de Oliveira/R7 Projetado pela filial brasileira, o conceito da picape Duster exibe visual típico dos protótipos, com muitos LEDS e soluções que realçam e exalam sofisticação. O estilo da dianteira lembra o da picape Volkswagen Amarok, com faróis quadrangulares e grade robusta — há uma conexão com as linhas que serão aplicadas ao SUV compacto nos próximos meses, em sua reestilização. Como projeto, a picape Oroch é mais um show car que um conceito. Veja a galeria completa Renault Captur deve ser produzido no Paraná a partir de 2015 Divulgação/Renault Vem aí o Captur, SUV do novo Clio Durante os primeiros dias do Salão de São Paulo, o R7 conversou com Olivier Murguet sobre projetos futuros da marca do losango para o Brasil. Sereno e muito sincero em determinados momentos, o presidente da filial brasileira confirmou que a montadora terá de atuar em segmentos novos para crescer além dos 8% projetados para 2016 — atualmente, a Renault possui 6% nas vendas nacionais. É nesse âmbito que entra o Captur. O SUV compacto feito sobre a plataforma do novo Clio é a opção para disputar vendas com utilitários da faixa dos R$ 75 mil, hoje ainda carente de opções, mas que, no início de 2015, receberá os novatos Honda HR-VJeep Renegade e Peugeot 2008. Estes virão desafiar o Ford EcoSport, líder da categoria, e também o Renault Duster. O ponto é que o Captur é uma opção mais moderna e urbana, enquanto o Duster brigaria no custo/benefício. — É fato que teremos de entrar em novos segmentos se quisermos crescer mais no Brasil a partir de 2016. Conforme anunciamos há poucos meses, dois novos projetos entrarão na fábrica de Curitiba nos próximos meses. Ainda não "batemos o martelo" sobre algumas definições, mas sabemos que, nos segmentos superiores, precisamos de mais volume, o que poderia vir de um sedã médio ou de um SUV. Veja a galeria completa Novo Twingo tem tração traseira e usa mesma plataforma dos novos smarts ForTwo e ForFour, lançados no Salão de Paris 2014 Diogo de Oliveira/R7 "Novo Twingo no Brasil seria aventura" Durante o bate-papo com o chefe da Renault brasileira, foram citados outros modelos, em especial Clio e Twingo, compactos que, nos últimos dois anos, ganharam novas gerações na Europa. Segundo Olivier Murguet, seria uma atitude aventureira importar ou mesmo produzir o novo Twingo no Brasil, uma vez que se trata de um carro de nicho, com baixa perspectiva de vendas. Já o Clio entraria em choque com o Sandero, que vai bem. — Cerca de 80% das vendas da Renault no Brasil vem de Sandero, Logan e Duster. Por ora, o Clio está muito bem, vende cerca de 2.500 unidades/mês, estamos satisfeito. Mas é claro que olhamos para este segmento no futuro. Estamos buscando encontrar um veículo moderno, com bom desempenho e custo de fabricação que permita a empresa e a rede lucrarem. Não é uma equação fácil em um carro de R$ 25 mil. Já em relação à vinda do novo Twingo, Olivier lembrou a trajetória do modelo nos anos 90. — Tivemos uma experiência com o Twingo entre 1997 e 1998, era um carro que dava muita mídia, mas só vendia em São Paulo, com volume baixo. Era opção aos que queriam se destacar, mostrar um estilo de vida, era fashion... Porém, quando as pessoas avaliavam de forma racional, complicava. Se trouxéssemos o novo Twingo, o pessoal ia achar legal, mas venderíamos 15 mil, 20 mil unidades/ano e esse volume não paga o investimento. Olivier finalizou o bate-papo falando sobre o impacto da globalização no mercado brasileiro e a recente modernização dos carros nacionais, em especial os compactos, como Hyundai HB20 e Volkswagen Up. Para o executivo, a maior competição entre as fabricantes e a chegada de novos produtos está mexendo com os hábitos dos consumidores brasileiros, cujo perfil de escolha do carro, há poucos anos, ainda se mostrava conservador. — O mercado brasileiro é o quinto maior do mundo e é um mercado difícil, porque o gosto dos consumidores daqui não é igual ao dos europeus ou dos norte-americanos. É um jogo interessante. E é curioso como o brasileiro está se abrindo às novas marcas, e como os produtos se desenvolveram. Temos por exemplo os "primos" da Nissan, que estão investindo, construíram fábrica, estão preparando novos produtos que serão produzidos localmente. MEGA GALERIA: VEJA OS PRINCIPAIS MODELOS QUE ESTÃO NO SALÃO DO AUTOMÓVEL DE SÃO PAULO 2014 Saiba tudo sobre carros! Acesse www.r7.com/carros

Fonte: R7