30 de set de 2014

Renault Duster Outdoor

Renault Duster Outdoor



A linha do Renault Duster ganhou uma nova opção. É a série limitada Outdoor, que será vendida por R$ 59.900, trazendo novidades em sua lista de equipamentos e no visual.
Usando como base a configuração da versão Expression, a novidade chega com o mesmo motor 1.6 16V Hi-Flex de 110/115 cv. O modelo conta com direção hidráulica, ar-condicionado, airbag duplo, freios ABS, vidros e travas elétricos e sistema de som com CD/MP3/USB e entrada auxiliar. Visualmente, as novidades ficam por conta das rodas de liga-leve e dos faróis com máscara negra, além dos adesivos “Outdoor” espalhados pela lataria.

O novo Duster Outdoor será vendido nas cores branco Glacier, prata Étoile, verde Amazonas e vermelho Fogo. Apesar de ser uma série limitada, a marca não divulgou quantas unidades serão produzidas. A garantia é a usual, ou seja, de 3 anos ou 100.000 km.






Fonte: Carros Novos

BMW lança i3 no Brasil por R$ 225.950. Hatch elétrico promete gastar R$ 7 a cada 160 km percorridos

BMW lança i3 no Brasil por R$ 225.950. Hatch elétrico promete gastar R$ 7 a cada 160 km percorridos



Hatch pode ser carregado em tomadas comuns de 110 e 220 Volts Diogo de Oliveira/R7 A BMW lançou nesta quarta-feira (10), em São Paulo, o hatch i3, primeiro carro da marca bávara 100% movido a eletricidade. O modelo desembarca no Brasil cinco meses após estrear nos Estados Unidos e no Japão, mercados onde os veículos elétricos e híbridos recebem incentivos fiscais por serem ecológicos. Como por aqui não existe lei que beneficia estes modelos, o i3 chega em duas versões a preços bem salgados: R$ 225.950 e R$ 235.950 (completo). Para driblar a falta de infraestrutura, a BMW optou por trazer somente as configurações com "extensor de autonomia". Funciona assim: além do potente motor elétrico de 170 cv, que é alimentado por um conjunto de baterias de íon-lítio (como nos smartphones), o i3 traz um pequeno motor a gasolina de 647 cm³ capaz de gerar 34 cv de força. Este é usado apenas para alimentar o elétrico — não traciona as rodas traseiras. Essa combinação aumenta a autonomia, que chega a 300 km. Na prática, o i3 funciona no modo elétrico quase todo tempo, considerando que o hatch circulará por ambientes urbanos. Segundo a fábrica alemã, numa conta realista, o modelo roda entre 130 km e 160 km com as baterias carregadas. Depois disso, o pequenino motor a gasolina de dois cilindros é acionado para alimentar o elétrico, permitindo percorrer 100 km adicionais. Para os executivos da BMW, a autonomia de até 300 km é mais que suficiente para o dia-a-dia na cidade. Pesquisas apontaram que os clientes (em potencial) percorrem até 200 km por dia, quando muito — na maioria dos casos, a distância diária é inferior a 100 km. O hatch ainda oferece dois modos de condução que desligam alguns sistemas para ampliar a autonomia — o EcoPro acrescenta 20 km, e EcoPro + amplia em até 40 km. Carregando as baterias com R$ 7 Além de não queimar combustível nem emitir gases do efeito estufa, um grande diferencial dos carros elétricos é o fato de se poder recarregar as baterias em uma tomada comum. No caso do i3, o proprietário poderá plugar o cabo em tomadas convencionais de 110 e 220 Volts, ou requisitar a instalação do "i Wallbox", console de maior voltagem que leva entre 3 e 5 horas para carregar totalmente as baterias — na tomada são 8h (220V) ou 16h (110V). Outro dado importante do "i Wallbox" é a aplicação. Com o equipamento, que custa R$ 7.500, além de carregar as baterias mais rápido, os donos do i3 que moram em condomínios evitarão dores de cabeça com a vizinhança. Isso porque apenas com o console de alta voltagem é possível computar os gastos diretamente na conta do cliente — evitando o repasse para os demais moradores. A boa notícia é que uma carga custa R$ 7, em média. Aceleração de esportivo num corpinho de minivan No breve contato com o i3, dentro de um condomínio fechado na zona Oeste da capital paulista, impressionou a capacidade do modelo de ganhar velocidade, tanto nas acelerações quanto nas retomadas. Pelos dados de fábrica, são 3,9 segundos para arrancar do 0 aos 60 km/h, e 7,9 segundos para atingir os 100 km/h. Ao volante, o torque "parrudo" de 25,5 kgfm empurra o corpo contra o encosto dos bancos e impressiona pela intensidade. Como em outros veículos elétricos, o torque é sempre despejado por inteiro, e isso muda por completo o estilo de condução, uma vez que o motor não trabalha com faixa de giros. Dessa forma, tem-se a energia integral à disposição desde o primeiro toque no pedal do acelerador. No entanto, o i3 se diferencia por oferecer o que a BMW chama de "one pedal feeling": ao soltar o acelerador, o freio motor é tão forte que dispensa a ação dos freios. Em outras palavras, dependendo da velocidade e da situação, o condutor não precisa acionar os freios. O hatch simplesmente perde velocidade até parar por completo, apenas utilizando o freio motor. Isso ocorre em situações de trânsito pesado, por exemplo. Um dado curioso é que, à medida em que o hatch perde velocidade, a energia cinética produzida pela desaceleração realimenta o pacote de baterias, preservando a autonomia. Outro aspecto interessante no i3 é o silêncio absoluto dentro da cabine. Os elétricos em geral costumam emitir um silvo nas acelerações, produzido normalmente pelo câmbio do tipo CVT (continuamente variável). O barulho não incomoda, mas é perceptível. No hatch elétrico da BMW, não se houve qualquer barulho. Nada. O isolamento acústico é impressionante, tanto em relação aos motores quanto aos ruídos aerodinâmicos. "Cliente vai pagar pela alta tecnologia" Sem benefícios fiscais e sem infraestrutura, o BMW i3 chega ao Brasil sem grandes perspectivas de vendas, o que era natural e esperado. A montadora alemã espera entregar cerca de 100 unidades até o fim do ano. De certa forma, este volume é até otimista, considerando-se que o mercado brasileiro vive uma recessão. Contudo, os executivos da marca apostam na alta tecnologia do hatch elétrico, que pode ser vista em todas as partes. A estrutura da cabine, por exemplo, é inteira feita de fibra de carbono, material superleve, extremamente rígido e muito caro — normalmente usado em supercarros. Sua elevada rigidez, por sinal, permitiu a construção da célula sem as colunas centrais, permitindo a instalação das chamadas portas suicidas (que se abrem simetricamente opostas). Isso torna excelente o acesso aos bancos traseiros nos dois lados do hatch. Já a cabine é ampla, alta e generosa, traz bancos dobráveis e lembra a praticidade do Honda Fit. O entre-eixos de 2,57 metros não é enorme, e três adultos podem ficar apertados no banco traseiro. De toda forma, o espaço é muito bom e conta com a ausência do túnel central, obtida com o posicionamento dos motores na traseira e com o deslocamento do câmbio para coluna de direção. O painel é limpo, tem poucos botões e usa materiais ecológicos. Ao mesmo tempo, a sofisticação aparece nas tecnologias embarcadas. Há seis air bags, controles de estabilidade e de tração, sistema anti-colisão, sensores de obstáculos, faróis de LED adaptativos, teto solar, ar-condicionado automático, controle de cruzeiro e sistema de som fornecido pela Harman-Kardon. A "cereja do bolo" é o sistema ConectedDrive, que inclui uma generosa tela widescreen no centro do painel repleta de funcionalidades. O sistema trabalha com um SIM Card, tal como um aparelho celular, fornecido pela Vodafone e com rede habilitada. A partir dele é possível acessar a internet, interagir com o smartphone a partir de aplicativos diversos (Apps) e navegar por GPS com serviços de trânsito que indicam das melhores rotas — exatamente como no Waze, aplicativo famoso por indicar as rotas menos congestionadas. Há ainda um serviço de Concierge, com central telefônica. O proprietário do i3 pode, por exemplo, ligar para a central e pedir que localizem um estabelecimento. Dependendo do caso, é possível até realizar a operação completa — como um envio de flores. O sistema também liga para o Samu (Serviço de Atendimento Médico de Urgência) se registrar um acidente grave, envia a localização e pode até verificar (por telemetria) quantas pessoas estavam a bordo e quantos airbags estouraram. Carro de imagem, para o cliente e para a marca Futurista e, ao mesmo tempo, real, o BMW i3 chega ao Brasil como referência em tecnologia e ecologia. É um carro do futuro já disponível para compra no presente. Seu "calcanhar de Aquiles" deve ser mesmo o preço. Segundo a montadora, mais da metade dos R$ 225.950 iniciais seriam impostos. Ao mesmo tempo, a conta do consumo impressiona: são R$ 7 por carga e aproximadamente R$ 0,05 por quilômetro percorrido (no modo 100% elétrico). Ou seja, se o comprador colocar na ponta do lápis, gastará pouco com eletricidade, terá à disposição tecnologias de ponta e um "cartão de visitas" ecológico. Se residir em São Paulo, ganhará ainda o direito de circular todos os dias sem restrições — a prefeitura liberou o i3 do rodízio. Ainda assim, será um carro de imagem, extremamente caro, e limitado ao uso urbano, uma vez que não foi concebido para percorrer grandes distâncias. Saiba tudo sobre carros! Acesse www.r7.com/carros

Fonte: R7

Ford convoca recall do novo Ka

Ford convoca recall do novo Ka

Recém-chegado ao mercado brasileiro, o novo Ford Ka é uma das maiores apostas da montadora estadunidense para o mercado brasileiro, especialmente para concorrer com novidades com o novo Volkswagen Up!, por exemplo.

Veja também:

  • Impressões dos novos Ford Ka e Ka+ Sedan
No entanto, o modelo já é alvo de polêmicas por causa de possíveis falhas em sua fabricação, que já levaram a Ford a convocar um recall com apenas um mês de vendas do novo Ka no mercado brasileiro. Vamos entender os motivos.

A Ford, por meio de comunicado oficial, anunciou que com apenas um mês de vendas no Brasil, o novo Ka já apresenta falhas em algumas de suas unidades, que têm defeito de fabricação e precisam passar por um procedimento de recall. Segundo a própria montadora estadunidense, são 219 unidades do novo Ka que apresentam defeito de fabricação no cilindro de ignição e também no cilindro de fechadura da porta e chaves. A montadora informou que a numeração de chassi das unidades afetadas pelo problema começa no número F8121717 e termina no número F8128826, sendo que estas unidades foram fabricadas entre os dias 6 e 14 de agosto deste ano. O problema, segundo a montadora, pode afetar o funcionamento do sistema de ignição do veículo, que permite fazer com que o carro seja acionado, já que a chave poderá girar da posição “ligado” para a posição “acessório”. Deste modo, o motor pode ser desligado e o sistema de freios, os airbags e a direção passariam a não funcionar corretamente, acarretando em sérios riscos de acidentes graves. Por este motivo, a Ford anunciou a convocação do recall para substituição do cilindro de ignição e também do cilindro de fechadura da porta do motorista, além de também fazer a substituição da chave principal e da chave reserva.

A Ford passa por dificuldades, já que este é o quinto recall convocado pela montadora estadunidense no Brasil só em 2014, o que é extremamente prejudicial para a imagem e para a credibilidade da montadora junto aos seus consumidores. Os modelos afetados pelos outros processos de recall realizados neste ano pela Ford são: Fusion (duas vezes, por motivos diferentes), EcoSport e Fiesta Rocam, sendo que este último foi o de maior proporção, afetando nada menos do que 176.341 unidades. Com a imagem arranhada, a Ford chega ao seu quinto recall no mercado brasileiro em 2014, um verdadeiro recorde negativo que pode afetar não apenas a sua imagem, mas também as suas vendas. 
A Ford, por meio de comunicado oficial, anunciou que com apenas um mês de vendas no Brasil, o novo Ka já apresenta falhas que precisam ser consertadas

Fonte: Salão do Carro
Categoria: Recalls

Honda Civic Tourer 2015 ganha primeiras imagens

Honda Civic Tourer 2015 ganha primeiras imagens

O mercado europeu sempre foi um dos mais aquecidos para modelos como peruas e SUVs de médio porte, portanto, é cada vez mais natural que as principais montadoras do mundo comecem a lançar modelos nestes segmentos em profusão industrial por lá. Pois a mais recente das novidades para o segmento de peruas será o Honda Civic Tourer 2015, que teve suas primeiras imagens divulgadas pela montadora japonesa e que deverá chegar por lá antes do final deste ano.

O Honda Civic Tourer 2015 foi apresentado pela montadora japonesa recentemente, e o que se viu foi um visual realmente renovado, que deixou o modelo ainda mais moderno e ainda mais jovial. Feito para o mercado europeu, o modelo é fabricado pela Honda em uma unidade da montadora localizada no Reino Unido, de onde deverá partir para todo o restante do continente. O destaque fica por conta dos faróis de LED, além de seu para-choque, que ficou bem mais esportivo e agressivo, completando o visual renovado com a parceria da nova grade malhada. Na parte de trás, o modelo também ganhou novidades, com um novo conjunto ótico que traz lanternas maiores e com desenho bem mais arrojado, com uma barra que une as duas lanternas por sobre a tampa do porta-malas.

Segundo informações da própria montadora japonesa, o novo Honda Civic Tourer chega ao mercado europeu equipado com dois tipos de motores diferentes, para agradar a todos os tipos de consumidores. Uma versão é o motor 1.8 i-VTEC movido à gasolina, que é capaz de entregar uma potência de até 141 cavalos, que pode ser considerada de bom desempenho e também que apresenta bom índice de consumo de combustível. A outra versão é o motor 1.6 i-DTEC movido a diesel, que é capaz de entregar uma potência de até 120 cavalos, sendo perfeito para as preferências da maior parte dos consumidores europeus, que preferem propulsores movidos a diesel. A montadora japonesa preparou duas opções de sistema de transmissão para equipar a perua Civic Tourer 2015, sendo que uma é automática e outra é manual. Como já foi dito anteriormente, a Honda ainda não confirmou a data da chegada oficial da perua ao mercado europeu, mas o fato é que isto deverá ocorrer antes do final deste ano, ou no máximo, no início do primeiro semestre do ano que vem. Quanto aos valores, a Honda ainda não divulgou quais serão os preços das versões oferecidas do Civic Tourer 2015. 
O Honda Civic Tourer 2015 foi apresentado pela montadora japonesa recentemente, e o que se viu foi um visual realmente renovado.

Fonte: Salão do Carro
Categoria: Prévias

29 de set de 2014

Preços do Ford Fusion 2015 começam em R$ 101.700

Preços do Ford Fusion 2015 começam em R$ 101.700

Considerado um dos mais aguardados lançamentos para o segmento de sedãs de grande porte dentro do mercado brasileiro, o novo Ford Fusion 2015 deverá ser um verdadeiro sucesso de vendas. E o modelo já chega com preços a partir de R$ 101.700, mostrando que o novo Ford Fusion 2015 continuará sendo um veículo para pessoas com dinheiro no bolso e que procuram por veículos equipados com o que há de melhor em matéria de conforto e tecnologia.

O sedã de grande porte Ford Fusion 2015 chegará ao mercado brasileiro em definitivo em breve, mas ele já teve os seus preços divulgados pela montadora estadunidense, que mostra que o modelo, que é importado do México, deverá ter valores que partem dos R$ 101.700 por aqui. Muitas novidades serão apresentadas pelo novo Ford Fusion 2015, que trará aos consumidores brasileiros, entre outras coisas, alguns equipamentos de segurança de alta qualidade, como os airbags presentes nos cintos de segurança traseiros, que deverão ser itens de série. Com este tipo de dispositivo inovador, os riscos de lesões graves na coluna são reduzidos ao mínimo, tornando o modelo ainda mais seguro do que seus concorrentes de mercado. Outro item de tecnologia e de segurança inovador que o novo Ford Fusion 2015 irá apresentar será o Assistente de Emergência, que utiliza o sistema multimídia SYNC para fazer uma ligação ao SAMU por meio do telefone 192 em caso de acidente, fazendo para isto, o uso da conexão Bluetooth do smartphone do motorista. O sedã top de linha da Ford para o mercado brasileiro também apresenta mais novidades tecnológicas e de conforto, como o sistema de acionamento elétrico dos retrovisores. Além disso, o modelo também traz o banco do passageiro com sistema de ajuste elétrico de série, sendo que na versão SE do Fusion 2015, ele contará com 6 posições diferentes, já nas versões Titanium FWD, AWD e Hybrid, ele contará com 10 posições. As versões mais caras e completas do novo Ford Fusion 2015 também apresentam sistema de ventilação nos bancos dianteiros, que já contavam com sistema de aquecimento.

E para completar o pacote de novidades oferecido pelo novo Ford Fusion 2015 aos consumidores brasileiros, podemos contar a nova tonalidade de cor interna, chamada de “Soft Ceramic”. Esta nova tonalidade só poderá, entretanto, ser adquirida por quem levar modelos pintados na cor Branco Sibéria, pelo valor de R$ 1 mil a mais, sendo que isto só será possível nas versões Titanium AWD e Hybrid.
O sedã de grande porte Ford Fusion 2015 chegará ao mercado brasileiro em breve, mas o preço ido modelo de entrada foi confirmado: R$ 101.700.

Fonte: Salão do Carro
Categoria: Prévias

Diretor da Fiat vai substituir Luca di Montezemolo no cargo de presidente da Ferrari

Diretor da Fiat vai substituir Luca di Montezemolo no cargo de presidente da Ferrari





Fonte: R7
Categoria: formula-1

28 de set de 2014

Primeiras impressões: Jeep Cherokee Limited 2015

Primeiras impressões: Jeep Cherokee Limited 2015




Com novo visual polêmico, utilitário terá versão mais "barata" no fim do ano. Com 9 marchas, ele mantém força fora da estrada e promete "beber" menos.

Fonte: Carro G1
Categoria: Auto Esporte

BMW anuncia recall do Série 3 por falha no air bag

BMW anuncia recall do Série 3 por falha no air bag



Modelos envolvidos no recall foram produzidos entre 1999 e 2006 Divulgação A BMW anunciou nesta terça-feira (9) um chamado de 3.843 unidades do sedã Série 3, fábricadas entre setembro de 1999 e janeiro de 2006, para substituição gratuita da bolsa do air bag dianteiro.

A medida ocorre pois o sistema pode apresentar infiltração de água na caixa do gerador de gás do air bag. Nesse caso, o dispositivo pode não abrir ou até mesmo abrir involuntariamente, causando danos físicos e materiais aos passageiros.   
 
As versões envolvidas no recall são 320i, 323Ci, 323i, 325Ci, 325i, 328i, 330Ci, 330i e M3. Segundo a montadora, o tempo gasto para a substituiçção da peça é de 30 minutos, aproximadamente.

Para mais informações, a BMW disponibilizou o telefone 0800 707 3578 (disponível de 2ª a 6ª, das 8 às 19h) e o site www.bmw.com.brconfira ao fim desta nota a lista de chassis não sequenciais envolvidos no chamado. Problemas com air bag Chamados envolvendo problemas no sistema de air bag têm sido recorrentes neste ano. Em junho, três grandes montadoras japonesas — Honda, Nissan e Mazda — anunciaram um recall mundial de quase 3 milhões de veículos devido a falhas no sistema de air bag. No Brasil, esse chamado refletiu no chamado de mais de 20 mil unidades do Civic e CR-V. Dias depois, a General Motors suspendeu as vendas do Cruze (2013-2014) nos Estados Unidos e Canadá devido a um problema nos air bags. Ainda em junho, a Chevrolet convocou 39 unidades do Camaro para reparo do sistema do air bag dianteiro do lado esquerdo, que poderia não se abrir em caso de batida. Em julho, a Nissan convocou 148 unidades do utilitário Pathfinder por problemas no air bag. O chamado foi uma extensão do anúncio realizado em abril de 2013 pela mesma falha. Neste mês, a Honda convocou os proprietários dos automóveis Accord, CR-V e Civic a comparecerem, a partir do dia 12 de setembro, a uma das concessionárias autorizadas da marca para a substituição gratuita do insuflador do air bag. Legislação O Procon-SP informa que o consumidor envolvido no chamado que tiver qualquer dificuldade para realizar o reparo ou substituição do componente defeituoso poderá procurar um órgão de defesa do consumidor. É recomendável ao proprietário do veículo exigir o comprovante do serviço realizado, documento que por segurança deve ser conservado e repassado adiante, em caso de venda. Caso tenha sido comercializado mais de uma vez, o atual proprietário terá o mesmo direito ao reparo gratuito.

Os carros que não forem reparados ou inspecionados em até 12 meses após o início do recall terá a informação lançada no campo "observações" do próximo CRLV (Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo) emitido pela autoridade de trânsito, conforme determina a Portaria Conjunta nº 69 de 15/12/2010, da Secretaria de Direito Econômico e do Diretor do Departamento Nacional de Trânsito. Os chassis não sequencias envolvidos no recall da BMW são: 320i                                    
CF31594 a CF32067
CG50044 a CG54278
FT76122 a FT77736
KK47878 a KK80577

323Ci
JH66983 a JH68098 323i
FM82477 a FM86081

325Ci
JW20336 a JW22125

325i
FV85046 a FV87493
FX01595 a FX01663
JS50505 a JS50982
JV00439 a JV00445
KL37678 a KL49918

328i
EH74743 a EH75998
JL95001 a JL95602

330Ci
EH30480 a EH36596
EW00294 a EW01843
PJ60267 a PJ62513
PK44137 a PK46567

330i
FZ00546 a FZ11753
JT01477 a JT47995
KM65618 a KM68140
KN50086 a KN52537
PD81142 a PD82062
PE00010 a PE02163

M3
JP75142 a JP90860 Saiba tudo sobre carros! Acesse www.r7.com/carros

Fonte: R7

BMW Série 2 conversível e novo X6 serão lançados no Salão de Paris

BMW Série 2 conversível e novo X6 serão lançados no Salão de Paris




Conversível será vendido na Europa apenas em fevereiro de 2015. Salão do Automóvel de Paris será realizado no início de outubro.

Fonte: Carro G1
Categoria: Auto Esporte

Jeitinho Brasileiro que conquistou o mundo

Jeitinho Brasileiro que conquistou o mundo

Em 1972, a Volkswagen do Brasil lançava seu primeiro esportivo, o SP1/SP2 (motor 1600/motor 1700). Sob a plataforma do Fusca, porém com uma relação de cambio diferente e motor mais envenenado. Não era o carro mais rápido da epoca, mas era um do mais bonitos do Brasil, e detalhe, totalmente feito e desenvolvido no Brasil, seu pai e criador, Márcio Lima Piancastelli, participou ainda do projeto da Brasilia e do Gol. A importância histórica do esportivo se reflete na sua presença no museu da Volkswagen, em Wolfsburg na Alemanha. A matriz possui um SP2 Branco Lotus em seu acervo, assim como a sede da montadora em São Bernardo do Campo, São Paulo, que também tem um modelo. Hoje é muito dificil encontrar o SP2, modelos em bom estado ultrapassam os R$ 90.000,00 facilmente. Os que na época o chamavam de “SP2: Sem Potência”, hoje, tem o sonho de ter um na garagem… e quem não quer?!


Em 1972, a Volkswagen do Brasil lançava seu primeiro esportivo, o SP1/SP2 (motor 1600/motor 1700). Sob a plataforma do Fusca, porém com uma relação de cambio diferente e motor mais envenenado. Não era o carro mais rápido da epoca, mas era um do mais bonitos do Brasil, e detalhe, totalmente feito e desenvolvido no Brasil, [...]

Fonte: 4 Rodas Carburada
Categoria: Publicidade em Quatro Rodas
Autor: Fabio Paiva

27 de set de 2014

GM lançará novo carro compacto para competir com Up!

GM lançará novo carro compacto para competir com Up!




Novidade se chamará "Viva" no Reino Unido e "Karl" no resto da Europa. Com 3,68 metros, será o modelo mais barato da GM no continente.

Fonte: Carro G1
Categoria: Auto Esporte

Audi A3 conversível começa a ser vendido no Brasil por R$ 159.800

Audi A3 conversível começa a ser vendido no Brasil por R$ 159.800




Teto leva apenas 18 segundos para ser aberto ou fechado. Modelo é equipado com motor 1.8 turbo, de 180 cavalos.

Fonte: Carro G1
Categoria: Auto Esporte

Setor automotivo ainda não vê efeitos de estímulos do BC

Setor automotivo ainda não vê efeitos de estímulos do BC





Fonte: R7

Toyota faz recall de 130 mil picapes Tundra por problema em airbag

Toyota faz recall de 130 mil picapes Tundra por problema em airbag




Peça mal instalada pode interferir no acionamento das bolsas laterais. Modelo não é vendido pela marca no Brasil, e não há casos de lesões.

Fonte: Carro G1
Categoria: Auto Esporte

26 de set de 2014

Novo Mondeo terá versões 1.0 e Hybrid, confirma Ford

Novo Mondeo terá versões 1.0 e Hybrid, confirma Ford

A Ford finalmente mostrou mais detalhes do Novo Mondeo 2014, afirmando, entre outras coisas, que ele deverá ter ao menos duas versões diferenciadas, com motor 1.0 e com motor Hybrid. Com estas novidades, o novo sedã de grande porte da Ford para o mercado da Europa deverá fazer ainda mais sucesso, já que ficará ainda mais completo e com uma gama ainda mais abrangente, para atender às necessidades do maior número possível de consumidores.

Em comparação com a geração atual do sedã de grande porte da Ford, o Novo Mondeo 2014 apresenta muitas novidades, sendo que a principal é a já citada presença de versões com motor 1.0 e Hybrid. A versão 1.0 será a opção de entrada do Novo Mondeo 2014, sendo que ela chegará equipada com o motor à gasolina 1.0 litro EcoBoost, que é capaz de entregar uma potência de 125 cavalos e traz na baixa emissão de CO2 na atmosfera uma de suas principais vantagens, sendo que ela é de 119 g/km. A versão Hybrid irá contar com um motor 2.0 litros à gasolina e mais dois motores elétricos, ao passo que um destes dois motores elétricos deverá servir apenas para fazer a regeneração da energia em desaceleração. Os demais motores à gasolina serão os seguintes: 1.5 EcoBoost (entrega 160 cavalos de potência) e o 2.0 EcoBoost de duas versões (uma com 203 cavalos e outra com 240 cavalos de potência). Os motores movidos a diesel serão os seguintes: 1.6 TDCI ECOnetic, 2.0 TDCI em duas versões (uma com 150 cavalos e outra com 180 cavalos de potência) e uma versão com motor twin-turbo (entrega 210 cavalos de potência).

Um dos pontos altos que o Novo Mondeo 2014 irá apresentar aos consumidores europeus reside no projeto conduzido pela Ford que objetivava diminuir o ruído dentro do veículo. Com isto, o Novo Mondeo 2014 é um do sedãs de grande porte do mercado europeu com menos ruído interno, o que é considerado um ponto alto que deverá agradar aos consumidores mais exigentes. Outro item interessante que o modelo apresenta é um moderno sistema que ajuda na detecção de pedestres, sendo que este sistema apresenta um “banco de dados” que memoriza várias formas de pessoas diferentes. Este dispositivo só funciona com o veículo sendo conduzido em velocidades de até 80 km/h. O lançamento oficial do Novo Mondeo 2014 deverá ser feito pela Ford nas próximas semanas, e ele deverá chegar com grandes chances de ser um grande sucesso de vendas.
O Novo Mondeo 2014 é um do sedãs de grande porte do mercado europeu com menos ruído interno, tanto na versão 1.0 quanto na Hybrid.

Fonte: Salão do Carro
Categoria: Prévias

Sandero e Logan passam a contar com câmbio automatizado

Sandero e Logan passam a contar com câmbio automatizado




Transmissão Easy"R tem cinco marchas e embreagem simples. Versões com a caixa custam R$ 2,4 mil a mais do que as manuais.

Fonte: Carro G1
Categoria: Auto Esporte

Hyundai H350 chega para concorrer com Sprinter

Hyundai H350 chega para concorrer com Sprinter

O mercado de vans é um dos que mais cresce, e isto se dá não apenas no Brasil, como também em todo o mundo, com diversos modelos sendo lançados todos os anos, trazendo grandes melhorias aos consumidores. Pois para competir com os principais modelos de montadoras europeias, especialmente com a Mercedes-Benz Sprinter, que é uma das mais vendidas no mundo todo, a Hyundai decidiu apresentar o modelo H350.

O Hyundai H350 deverá fazer sua primeira aparição pública durante o Salão de Hannover, na Alemanha, o que prova como a montadora sul-coreana pretende ingressar na disputa contra os modelos europeus dentro de seu próprio território. Os modelos que são alvo do lançamento da Hyundai são os seguintes: a já citada Mercedes-Benz Sprinter, a Fiat Ducato, a Volkswagen Crafter, a Renault Master e a Iveco Daily. E para competir de igual para igual, o modelo H350 da Hyundai irá chegar equipado com o que há de melhor no mercado atual de vans, trazendo inclusive algumas inovações importantes. E uma das principais vantagens apresentadas pelo modelo será a sua versatilidade, que estará presente nas suas muitas versões com tamanhos diferenciados, tanto no que diz respeito à altura, quanto no que diz respeito à distância do entre-eixos, além de também apresentar vários tipos de portas diferentes para muitas finalidades. O modelo H350 da Hyundai apresenta uma preocupação para com as várias aplicações possíveis para uma van, sendo que ela irá possibilitar alterações de configuração (carga ou passageiros).

Além do que já foi dito, a Hyundai H350 também irá apresentar mais versões, tanto como picape, como com chassi equipado com baú para carga, o que deverá torná-la um verdadeiro sucesso. A intenção da montadora sul-coreana é claramente a de atacar o mercado europeu de vans, mas é um fato que o modelo poderá desembarcar também em outros mercados, o que incluí o mercado brasileiro, que apresenta grande quantidade de modelos disponíveis. No que diz respeito ao motor, a Hyundai prepara muitas versões diferenciadas também, sendo que com toda a certeza deverá haver um ou até mesmo dois motores movidos a diesel, o que visa agradar aos consumidores locais. Para conseguir competir em boas condições, a Hyundai informou que pretende equipar as versões do H350 com o que há de melhor em matéria de segurança e de conforto, exatamente como já é possível ser visualizado nos principais modelos feitos por montadoras europeias.
O Hyundai H350 deverá fazer sua primeira aparição pública durante o Salão de Hannover, na Alemanha.

Fonte: Salão do Carro
Categoria: Prévias

Nissan suspende contrato de 279 funcionários em Resende, RJ

Nissan suspende contrato de 279 funcionários em Resende, RJ




Objetivo é ajustar a produção à demanda do mercado nacional. Inaugurada em abril, unidade no sul do Rio conta com 1,4 mil trabalhadores.

Fonte: Carro G1
Categoria: Sul do Rio e Costa Verde

Papo de roda - A boa etiqueta

Papo de roda - A boa etiqueta



Com o programa de etiquetagem, só compra carro “beberrão” quem quiser O prezado tem noção do consumo de combustível do seu automóvel? É o declarado pela fábrica ou resultado de suas próprias medições? Saiba que, em geral, nenhum dos dois reflete a realidade. Porque os números de consumo são vários... tantas as variáveis envolvidas. A começar do próprio método utilizado pelo motorista. As contas não são complicadas, basta encher o tanque no posto, zerar o hodômetro, rodar até esvaziar e tornar a abastecer. Anotar quantos quilômetros rodados e quantos litros consumidos. Teoricamente, basta dividir um pelo outro para saber o consumo, em km por litro. Mas existem distorções: o carro estava em local plano nos dois abastecimentos? O frentista do posto insistiu depois do clique? O automático (clique) da mangueira foi idêntico nas duas vezes? O trajeto tinha mesma topografia? As vias estavam igualmente congestionadas? A proporção entre quilômetros rodados em rua e estrada foi a mesma? Por essas e por outras, só dá para confiar numa média de várias medições. Sem contar que cada motorista tem estilo próprio e peso variável no pé direito, que também interfere (muito) no resultado. Tantas são as distorções que muitas fábricas nem declaram mais o consumo para evitar reclamações de usuários baseadas em medições “domésticas”. Mas existe um padrão para aferição científica do consumo. O carro é colocado num laboratório com dinamômetro e se simula um trajeto com arrancadas, freiadas, câmbio de marchas, espera no semáforo e em congestionamento, trânsito urbano, rodoviário, etc. Todos os carros submetidos à mesma aferição, de acordo com normas estabelecidas pela ABNT. Ou seja, se tiver distorção, é a mesma para todos os modelos testados. O que não importa muito, pois o que interessa não é o valor absoluto, mas o relativo: entre dois, três ou dez carros, quem gasta mais, quem gasta menos? O consumo do automóvel está cada na berlinda em todo o mundo por dois motivos: o preço do combustível não para de subir. (Exceto no Brasil. Mas um dia a conta chega...). E porque as emissões variam proporcionalmente ao consumo: sobe um, sobe o outro. Para organizar a desordem, foi lançado em 2008 o Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular, coordenado pelo Inmetro. As fábricas que aderem devem informar o consumo de pelo menos 50% de seus modelos. Depois de agrupados por tamanho, são classificados desde o menor até o maior consumo. As etiquetas já existiam em geladeiras, especificando o consumo mensal de energia elétrica.   Poucas fábricas aderiram inicialmente: em 2009, apenas 31 modelos estavam registrados no PBVE. Mas, com a necessidade de provar ao governo aumento de eficiência para ter direito às vantagens do plano Inovar Auto, o Inmetro já tinha registrado 298 modelos no ano passado. Assim como as geladeiras, automóvel zero km também tem sua classificação de consumo bem visível, numa etiqueta afixada no parabrisa. Só compra modelo “beberrão” quem quiser.

Fonte: R7

Impressões da Chevrolet S10 LTZ

Impressões da Chevrolet S10 LTZ

De uns tempos para cá, a disputa no segmento de picapes médias deixou a racionalidade um pouco de lado e foi para o caminho de motores potentes e com generosos números de torque – principalmente as movidas a diesel. Depois de apresentar o motor 2.8 litros turbodiesel de 200 cv e 51 kgfm de torque no ano passado – um dos mais potentes da categoria –, a Chevrolet "atacou" novamente. Só que agora na motorização bicombustível. Para a linha 2015 da picape – que lidera o segmento há quase duas décadas – a marca norte-americana adicionou à gama um motor 2.5 flex totalmente novo e com boa dose de refinamento. Tudo para manter seu posto de "best-seller" e, de quebra, reduzir o consumo de combustível e também as emissões de poluentes.

Veja também:

  • Impressões da Chevrolet S10 LT 2.8 CTDI diesel
O propulsor "membro" da família Ecotec, o 2.5 litros flexível – que estará disponível para as configurações LT e LTZ – chega com boas credenciais. Além ser feito todo em alumínio, traz injeção direta de combustível, duplo comando de válvulas continuamente variáveis e sistema de partida a frio sem o "tanquinho". Os resultados são 197 cv e 26,3 kgfm de torque com gasolina e 206 cv e 27,3 kgfm quando abastecido com etanol – a Ford Ranger ostenta um 2.5 flex de 173 cv há tempos. O motor ainda é 13% mais econômico que o atual 2.4 flex de máximos 147 cv com etanol – que continua a ser oferecido, mas só para a versão de entrada LS, preferência dos frotistas.

Outro item que mereceu uma atenção especial da Chevrolet foi a dinâmica. Os engenheiros recalibraram as suspensões dianteira e traseira no intuito de deixar o conjunto mais rígido e a direção mais direta. A fabricante norte-americana ainda aproveitou para mexer no habitáculo com reforços no isolamento acústico, que afirma ter deixado a cabine 13% mais silenciosa em relação ao modelo 2014. O interior inda traz novos materiais de acabamento no painel, como plástico preto brilhante.

Dotada da nova motorização, a S10 se resume a quatro configurações – todas exclusivamente com transmissão manual de seis marchas e cabine dupla. A tração pode ser 4X2 ou 4X4. O preço incial é de R$ 86.400 pela versão LT 4X2 e vai a R$ 92.400 na LT 4X4. Nessa configuração, a picape vem com conjunto elétrico de travas e vidros, piloto automático, sistema multimídia MyLink, coluna de direção regulável em altura e rodas de liga leve de 16 polegadas. A topo de linha LTZ soma faróis tipo projetor, lanterna de leds, rodas de 17 polegadas, sensor de estacionamento, navegador por GPS, bancos em couro, volante multifuncional, rack de teto, controle de tração e estabilidade, assistente de partida em aclives e controle de velocidade de declives – dispostivos antes restritos às versões diesel. O valor começa em R$ 97.700 – 4X2 – e chega a R$ 103.700 com tração integral. Incluindo os outros dois motores e duas opções de câmbio – manual de cinco marchas e automática de seis marchas, as cabine simples e dupla, 4X2 ou 4X4, a S10 permite 14 combinações possíveis. Versatilidade para ninguém botar defeito.

Primeiras impressões

Nos limites da suavidade



Foz do Iguaçu/PR – Por fora, nada de novo. E não é para menos. A grande novidade da S10 está guardada sob o capô. O test-drive da Chevrolet S10 com o motor 2.5 litro Ecotec aconteceu bem na área limítrofe entre o Brasil e a Argentina. No pequeno trajeto com ruas "hermanas" e estradas tupiniquins, o novo propulsor mostrou um rodar bem suave. É possível chegar a 110 km/h – limite permitido da via – com o tacômetro em 2.700 rpm – sem sinais de "esgoelamento". O torque máximo de 27,3 kgfm só aparece em altas 4.400 rotações, o que dificulta o motor "encher" rápido. Os 206 cv com etanol parecem muito na ficha técnica, mas na prática a história é outra. A potência é apenas suficiente para movimentar a picape de quase duas toneladas e não há muitas sobras. O câmbio manual de seis marchas tem boa escalonagem, mas merecia engates mais precisos.
Já o novo acerto do conjunto suspensivo continua a entregar um bom comportamento dinâmico, com inclinações de carroceria bem controladas e ótima absorção de impactos ou irregularidades do asfalto. Mas o que chamou atenção mesmo foi o isolameno acústico. O pouco ruído do motor somado às novas e espessas camadas de espuma no habitáculo fazem do interior da S10 um lugar bem agradável. A cabine ficou mais sofisticada, mas ainda longe de maiores requintes. O couro nos bancos e nas laterais de porta e o preto brilhante no painel central não se harmonizam com os plásticos de aparência nada nobre. Além disso, a montagem de algumas peças do interior mereceria maior atenção – algumas parecem desalinhadas.

Ficha técnica

Motor: A gasolina e etanol, dianteiro, longitudinal, 2.457 cm³, com quatro cilindros em linha, quatro válvulas por cilindros, duplo comando do cabeçote e duplo comando variável de válvulas. Injeção direta de combustível.
Transmissão: Câmbio manual de seis marchas à frente e uma atrás. Possui controle de tração. Tração integral com seletor eletrônico rotatório.
Potência: 197 cv a 6.300 rpm com gasolina e 206 cv a 6.000 rpm com etanol.
Torque: 26,3 kgfm a 4.400 rpm com gasolina e 27,3 kgfm com etanol.
Aceleração 0-100 km/h: 9,5 segundos com gasolina e 9,1 segundos com etanol
Velocidade máxima: 163 km/h.
Diâmetro e curso: 88 mm X 101 mm.
Taxa de compressão: 11,3:1
Suspensão: Dianteira independente, com braços articulados, molas helicoidais, amortecedores hidráulicos e pressurizados e barra estabilizadora. Traseira com feixe de molas semielípticas de dois estágios e amortecedores hidráulicos e pressurizados. Possui controle de estabilidade.
Ângulo de ataque: 32°.
Ângulo de saída: 18°.
Pneus: 255/65 R17 (245/70 R16 na LT)
Freios: Dianteiros por discos ventilados e traseiros a tambor. ABS com EBD de série.
Carroceria: Picape montada sobre longarinas com quatro portas e cinco lugares. Com 5,34 metros de comprimento, 1,88 m de largura, 1,82 m de altura e 3,09 m de distância entre-eixos. Oferece airbags frontais de série.
Altura mínima do solo: 22 cm.
Peso: 1.979 kg.
Capacidade da caçamba: 1.570 litros
Tanque de combustível: 80 litros.
Produção: São José dos Campos, Brasil.
Lançamento da geração no Brasil: 2012.
Lançamento da nova motorização: 2014.

Itens de série

Versão LT: Airbag duplo, ABS com EBD
Preço: R$ 86.400 (4X2) e R$ 92.400 (4X4). Versão LTZ: adiciona faróis tipo projetor, lanterna de leds, rodas de 17 polegadas, sensor de estacionamento, navegador por GPS, bancos em couro, volante multifuncional, rack de teto, controle de tração e estabilidade, assistente de partida em aclives e controle de velocidade de declives 
Preço: R$ 97.700 (4X2) e R$ 103.700 (4X4). 
Dose de ousadia - Mais potente e eficiente, Chevrolet S10 ganha novo motor flex na linha 2015

Fonte: Salão do Carro
Categoria: Testes

BMW confirma venda do esportivo elétrico i8 no Brasil por R$ 799.950

BMW confirma venda do esportivo elétrico i8 no Brasil por R$ 799.950




Modelo chega ainda em 2014, mas vendas só serão por encomenda. Cupê acelera de 0 a 100 km/h em 4,4 segundos e alcança 250 km/h.

Fonte: Carro G1
Categoria: Auto Esporte

Salão de Hanôver 2014

Salão de Hanôver 2014

Hanôver/Alemanha – O Brasil já foi bem mais popular no cenário automotivo mundial. Mas, de solução, agora é encarado como problema. Isso ficou evidente na 65ª edição do Internationale Automobil-Ausstellung Nutzfahrzeuge, o IAA. O nome em alemão pode ser traduzido como "Exposição Internacional de Veículos Comerciais", mas o evento bianual é mais conhecido no mercado brasileiro simplesmente como Salão de Hanôver. Na edição de 2014 do maior motorshow de caminhões, ônibus e veículos comerciais do mundo, a atual queda nas vendas no mercado brasileiro, que há tempos era visto como um oásis de crescimento em meio à retração planetária no setor, foi responsabilizada por diversos números pouco animadores de vendas globais. Se os mercados centrais – Europa, América do Norte e Japão – até ensaiam tímidas recuperações depois da longa pasmaceira deflagrada pela crise de 2008, as expressivas quedas das comercializações no Mercosul nos últimos dois anos, puxadas pelo Brasil e pela Argentina, derrubaram muitos balanços. Algo que, no Salão de Hanôver 2014, provocou sorrisos amarelos de inquietação nos executivos de muitas empresas do setor. 

Veja também:

  • Mercedes-Benz Future Truck 2025
  • TransExpo Latin America - Feira internacional de logística e transporte
Nesse mercado global em transformação, onde europeus e norte-americanos parecem finalmente ter retomado – ainda que discretamente – o fôlego e o protagonismo, as empresas do setor aproveitaram a mostra germânica para tentar se reposicionar e ganhar vantagem em relação à concorrência. Para algumas, a estratégia é aproveitar a visibilidade do evento para se afirmar como detentoras de tecnologias superiores. As alemãs Mercedes-Benz e ZF se sentiram em casa para apresentar protótipos futuristas para o transporte pesado. A fabricante de transmissões e outros componentes automotivos com sede em Friedrichshafen exibiu no campo de provas do evento o seu Innovation Truck, que oferece a possibilidade de ser manobrado remotamente, em baixas velocidades, através de um tablet - como se fosse um carrinho de controle remoto. Já a marca da estrela de três pontas sediada em Stuttgart revelou o protótipo Future Truck 2025, com seus conceitos de como serão os caminhões dentro de uma década – com destaque para os sistemas de condução autônoma, sem a intervenção do motorista.  Também na proposta futurista – com direito ao tema de "Star Wars" como música de fundo durante a apresentação à imprensa mundial –, a italiana Iveco mostrou a versão conceitual Vision da nova geração da Daily. Com menos espalhafato, a Volkswagen apresentou a picape conceitual Tristar, com diversas soluções criativas para o aproveitamento de espaço. Mesmo sem ser futurista, quem também mexeu com a imaginação do público de Hanôver foi o Western Star 5700 Optimus Prime. O parrudo modelo da marca norte-americana exposto está decorado como o caminhão-robô protagonista da série cinematográfica "Transformers".

Mas nem só de fantasia e propostas conceituais se faz um evento automotivo – ainda mais em tempos tão difíceis quanto os atuais. Com as rodas bem fixas na realidade, alguns destaques de Hanôver já têm desembarque imediato nos mercados centrais. O MAN TGX D38, com seu motor moderno Euro 6 com reduzidos níveis de emissões, é focado no mercado europeu, assim como o Scania G410 Euro 6, recentemente eleito o "Caminhão Verde" do ano na Europa. Um argumento de marketing nada dispensável nos tempos atuais – ainda mais no Velho Continente.  Apesar da fase adversa, há até algumas novidades de Hanôver que podem dar as caras em breve no abatido Mercosul. A van Mercedes Vito já tem produção confirmada para a mesma fábrica na Argentina onde é feita a Sprinter vendida no Brasil. O caminhão médio DAF LF está cotadíssimo para ser o novo modelo da marca holandesa a ser fabricado no Paraná. E o Volvo 7900 Hybrid Articulated pode ser uma opção para a marca sueca, que já produz ônibus híbridos em Curitiba e assiste a um aumento da demanda por modelos articulados no mercado nacional. Ou seja, o Brasil até pode não estar nos seus melhores dias no panorama automotivo mundial – mas está longe de merecer desprezo.

Top Ten - Dez destaques do Salão de Hanôver 2014

ZF Innovation Truck - As empresas alemãs de componentes ZF, ZF Lenksysteme – joint venture da ZF e da Bosch – e Openmatics se juntaram para projetar um caminhão que demonstrasse como seus novos sistemas automotivos inteligentes funcionam. O protótipo do cavalo-mecânico com carreta mede 25 metros – com semirreboque e reboque – e integra avançados sistemas de transmissão, direção e telemática. O modelo é equipado com a nova transmissão automatizada TraXon Hybrid e conta com o sistema de direção com sobreposição de torque ZF Servotwin para veículos comerciais. Mas o "gadget" mais surpreendente do Innovation Truck é um aplicativo que permite que a carreta seja manobrada remotamente para a posição desejada – num pátio de estacionamento, por exemplo – através de um tablet, como em um "game". Além do novo "brinquedinho" conceitual, a ZF comemora a compra da norte-americana TRW – aquisição que a posiciona entre as três maiores empresas de componentes automotivos do mundo. E anunciou em Hanôver que irá produzir no Brasil os câmbios automáticos para veículos comerciais AS-Tronic e TraXon.

Mercedes-Benz Future Truck 2025 - A alemã Mercedes-Benz apresentou o protótipo de um cavalo mecânico que pode ser conduzido em regime autônomo – sem a intervenção do motorista – por rodovias e vias expressas. O Mercedes-Benz Future Truck 2025 é derivado do Actros 1845, com 449 cv de potência e 224,3 kgfm de torque máximo, equipado com o câmbio automatizado Mercedes PowerShift 3 de 12 marchas. Para possibilitar a condução autônoma, o Future Truck 2025 é recheado de aparatos tecnológicos, com sensores e câmaras interconectados em rede, capazes de gerar uma imagem completa do entorno do caminhão e com precisão a ponto de reconhecerem o acostamento com a ajuda das linhas delimitadoras. O sistema dispõe dos dados de um mapa digital viário em três dimensões. Ao entrar na estrada, o condutor ocupa a pista da direita e, depois de alcançar a velocidade estabelecida de 80 km/h, o sistema oferece a opção "Highway Pilot". Nesse modo, o motorista pode girar seu assento para uma posição de trabalho ou de descanso. Tanto que a cabine do modelo conta com um console central similar a uma estação de trabalho de um escritório. Além disso, o condutor tem a sua disposição um tablet removível, com tela sensível ao toque para executar outras atividades.

MAN TGX D38 - Destaque da MAN no IAA 2014, o TGX ganha esse nome em função de seu novo motor, batizado de D38. O recém-desenvolvido seis cilindros e 15.2 litros pode ser calibrado para render 520, 560 ou 640 cv de potência. O motor com turbo-alimentação de dois estágios tem torques máximos de 254,9 kgfm (520 cv), 275,3 kgfm (560 cv) e 305,9 kgfm, disponíveis em todas as marchas. Com controle de cruzeiro interligado ao GPS, o sistema reconhece aclives e declives à frente e calcula a velocidade mais econômica. Isso resulta em uma redução de combustível que pode chegar a 6% para transportes de longa distância. O trem de força recebe a transmissão TipMatic 2 em todas as suas versões. A caixa de câmbio traz três novas funções: a Speed Shifting, que reduz interrupções na tração, a EfficientRoll economiza combustível ao colocar a caixa de câmbio em ponto morto e o modo Idle Speed Driving atua nos engarrafamentos e nas manobras, contando com alto torque na mais baixa velocidade.

DAF LF - O DAF LF é um caminhão de distribuição de 12 toneladas com para-lamas, spoiler e defletor criados especificamente para melhorar a aerodinâmica e reduzir as emissões de poluentes com a economia de combustível. De acordo com a marca holandesa, o cavalo mecânico consome, em sua nova geração como motor Euro 6, uma média de 4% menos de diesel. Mas esse número chega a 8% em velocidade constante de 85 km/h. São duas opções de chassis, com 6,75 metros ou 7,05 m. O caminhão pode ser equipado com motor Paccar PX-5 de 4.5 litros, 112 cv e quatro cilindros ou o propulsor Paccar PX-7, de 6.7 litros, 253 cv e seis cilindros. Este modelo é bastante cotado para ser produzido em breve na fábrica da marca holandesa no Brasil, localizada na cidade paranaense de Ponta Grossa. Só que com uma motorização Euro 5/Proconve 7, que é padrão no mercado brasileiro, é claro.

Scania G 410 Euro 6 - Para reduzir os níveis de consumo, a Scania adotou em seu Streamline G 410 4x2 um sistema defletor de ar complementar. O resultado foi uma eficiência energética digna de conquistar o título ecológico de "Green Truck of the Year". O modelo tem a cabine-cama da linha Highline da série G e é equipado com o motor Scania de 13 litros, 6 cilindros em linha e 410 cv. O torque máximo é de 219,2 kgfm. O trem de força é completado por uma transmissão de 12 velocidades totalmente automática, que facilita a vida do motorista e é programada para auxiliar na redução do gasto de combustível. O conjunto todo faz com que o Scania G 410 consiga rodar 100 km consumindo uma média de 23,29 litros de diesel.
Western Star 5700XE Optimus Prime - De acordo com a Western Star Trucks, o XE do seu 5700XE significa “extrema eficiência”. Com grande variedade de entre-eixos e também de cabines, o modelo já é famoso no mundo inteiro. Ele é um dos robôs com formas automotivas da série de filmes “Transformers”, conhecido como Optimus Prime. A marca aposta em novos recursos aerodinâmicos do capô, teto, chassis e cabine do 5700XE para reduzir o arrasto e aumentar a eficiência. O caminhão pode ter motor com até 600 cv de potência e torque de 283,4 kgfm. Mas há opções de propulsores menores, como o DD13 de 470 cv.
Iveco Vision - O conceito da marca italiana foi desenvolvido sob a ideia de uma van capaz de poluir menos sem perder suas capacidades comerciais. O Vision é equipado com um sistema de dupla energia que permite a utilização de dois tipos diferentes de tração: um elétrico, indicado para trajetos curtos, e outro híbrido, adequado para viagens longas e que diminui em até 25% as emissões de CO2 e o consumo de combustível. Para evidenciar a vocação profissional, um sistema de gerenciamento de carga utiliza uma série de sensores que identificam a carga e indicam a melhor posição para ela no interior do veículo. A partir dessa identificação, são acionados dispositivos de contenção que impedem a movimentação de cargas.
Mercedes-Benz Vito - Versão comercial do Classe V, sucessor do Viano, o Vito será produzido em 2015 na fábrica de Virrey del Pino, na Argentina. Trata-se de um comercial leve menor que a Sprinter com capacidade de carga de 1.369 kg e três versões: furgão de carga, furgão misto de carga e passageiros e apenas passageiros. O modelo ainda não tem data marcada para chegar ao Brasil e, além da usual tração traseira, disponibiliza também a opção de tração dianteira, associada ao motor 1.6 CDI movido a diesel com potências de 88 cv ou 114 cv. Já as versões com rodas motrizes traseiras contemplam o motor 2.1 CDI a diesel com três opções de potência: 136 cv, 163 cv ou 190 cv.
Volkswagen Tristar - Num exercício da futurologia, a Volkswagen mostrou a picape Tristar. O conceito antecipa como será a próxima geração de veículos comerciais da marca alemã, que deve surgir no ano que vem. De acordo com a fabricante, o modelo adota um motor turbodiesel de 2.0 litros de 204 cv e 45,9 kgfm de torque acoplado a uma transmissão automatizada de dupla embreagem e sete marchas. Já o visual do protótipo é inspirado na van Transporter – hoje em sua quinta geração. Assim como o interior, onde o painel é semelhante ao veículo vendido há mais de 60 anos. O habitáculo ainda ostenta bancos giratórios, uma mesa tablet com tela de 20 polegadas, sistema para videoconferência, mesa para refeição e também uma máquina de café embutida atrás do banco do motorista. Alguns itens, definitivamente, não devem ser levados em consideração em uma versão de produção.
Volvo 7900 Hybrid Articulated - Os ônibus híbridos apareceram em profusão em Hanôver. Um dos mais vistosos é o ônibus articulado da Volvo, que tem capacidade para transportar 154 passageiros com consumo de combustível até 30% menor do que o modelo diesel atual. Vendido para algumas cidades europeias e com produção em série iniciada no começo deste ano, o Volvo 7900 Hybrid é equipado com um propulsor a diesel 5.0 de 240 cv e 92,8 kgfm de torque aprovado pelas normas Euro 6 que trabalha em conjunto com um elétrico de 150 kW. Com 18 metros de comprimento, o ônibus armazena a energia das frenagens na bateria para, posteriormente, utilizá-la pelo motor. De acordo com a Volvo, o modelo reduz em 87% as emissões de nitrogênio e 50% as emissões de partículas poluentes. Como a marca sueca já produz ônibus híbridos em Curitiba e a demanda por modelos articulados no Brasil anda aquecida em virtude dos diversos BRTs em fase de implementação no país, pode ser que o 7900 Hybrid Articulated acabe nas linhas de montagem paranaenses, em versão com motor Euro 5.

Autor: Luiz Humberto Monteiro Pereira (Auto Press)
Fotos: Luiz Humberto Monteiro Pereira/Carta Z Notícias

Reversão de expectativas - De "namoradinho do mundo", Brasil se transforma em "vilão global" no Salão de Hanôver 2014

Fonte: Salão do Carro
Categoria: Caminhões

25 de set de 2014

Fiat faz recall do Idea, Punto, Bravo e Doblo

Fiat faz recall do Idea, Punto, Bravo e Doblo

A prática do recall ainda soa como novidade para os consumidores brasileiros, mas o fato é que cada vez mais montadoras começam a fazer uso deste recurso para sanar possíveis problemas de fabricação em seus veículos. Pois a “bola da vez” é a Fiat, que acabou de anunciar que fará recall de nada menos do que 4 de seus modelos mais famosos, o Idea, o Punto, o Bravo e o Doblo, devido uma falha no câmbio que pode gerar dificuldades para realizar o engate de marchas acima de 40 mil km rodados.

A Fiat realizou na última sexta-feira, dia 19 de setembro, um comunicado oficial em que anuncia que fará um recall de 4 de seus principais modelos dentro do mercado brasileiro: Idea, Punto, Bravo e Doblo. O motivo, segundo informações da própria montadora italiana, reside na necessidade de realizar a troca de óleo lubrificante da caixa de câmbio, além de também fazer a verificação dos componentes da primeira marcha dos modelos, que poderão ser trocados, sendo que isto irá ocorrer, ainda segundo o comunicado, apenas com modelos com quilometragem superior aos 40 mil km. A Fiat afirma que a troca de óleo objetiva efetivamente evitar que ocorra desgaste de modo prematuro da engrenagem da primeira marcha, o que pode, entre outras coisas, causar acidentes. Com a dificuldade de engrenar a primeira marcha, o condutor poderá simplesmente não conseguir arrancar com o veículo, o que poderá causar acidentes, que podem trazer problemas de ordem física e material, segundo palavras da própria montadora italiana.

O anúncio feito pela Fiat indica que os modelos afetados pelo processo de troca de óleo serão os já citados Punto (Essence) e Idea (Adventure e Sporting), sendo que as numerações de chassi correspondentes são as seguintes: Punto – 1194449 a 1296320 e Idea – 2207059 a 2263214. Já os modelos afetados pela possível troca de componentes de suas engrenagens são os seguintes: Punto (T-Jet) – 1194671 a 1295853, Doblo (Adventure) – 1091042 a 1113929, Idea (Adventure Dualogic e Essence – 2207056 a 226323, Bravo (Essence, Sporting e Absolute) – 9014646 a 9034364. O serviço de recall já teve início nesta semana, na segunda-feira, dia 22 de setembro, sendo que ele deve ser feito mediante agendamento prévio por parte do proprietário, diretamente por meio do telefone da Fiat, que é o 0800 707 1000. Quem preferir também poderá realizar o agendamento diretamente em uma concessionária da montadora italiana espalhada pelas principais cidades do Brasil. 
A Fiat realizou na última sexta-feira, dia 19 de setembro, um comunicado oficial em que anuncia um recall de 4 de seus principais modelos no Brasil.

Fonte: Salão do Carro
Categoria: Recalls

Jeep lança nova geração do Cherokee a partir de R$ 159,9 mil

Jeep lança nova geração do Cherokee a partir de R$ 159,9 mil




Crossover é uma evolução do "quadradão" Cherokee Sport. Ele terá motor V6 3.2 litros de 271 cv e câmbio de 9 marchas.

Fonte: Carro G1
Categoria: Auto Esporte